A 2.850 metros de altitude e diante do já eliminado Equador, a Argentina, que não fica fora da Copa do Mundo desde 1970, definirá se disputará ou não torneio do ano que vem nesta terça-feira no estádio Olímpico Atahualpa, em Quito, pelas Eliminatórias Sul-americanas. Mais uma vez, a pressão recaí sob os ombros do astro Lionel Messi.

A equipe bicampeão mundial ocupa a sexta colocação das Eliminatórias com 25 pontos, mas garante vaga, ao menos na repescagem, em caso de vitória contra os equatorianos. Se perder ou empatar, a Argentina terá de torcer por uma combinação de resultados.

O técnico Jorge Sampaoli sabe o que é jogar como visitante na altitude de Quito. Em 2010, dirigiu o Emelec e conquistou o primeiro turno do Campeonato Equatoriano, embora tenha perdido o título na final, diante da LDU Quito. A Argentina não vence em Quito desde as Eliminatórias para a Copa de 2002, quando fez 2 a 0. Desde então, foram duas derrotas e um empate.

Sampaoli não poderá contar com o volante Fernando Gago, que sofreu lesão no joelho diante do Peru. Duas substituições são esperadas em relação ao empate em 0 a 0 na Bombonera, na última quinta. Ever Banega e Papu Gómez devem perder lugar a Enzo Pérez e Eduardo Salvio. No ataque, embora tenha ido mal na semana passada, Darío Benedetto deverá ser o centroavante, com Mauro Icardino banco.

O Peru tentará garantir vaga na Copa do Mundo pela primeira vez desde 1982, mas para isso precisará vencer a Colômbia, em Lima, além de torcer por uma combinação de resultados. Os colombianos podem garantir vaga até com um empate.

Atualmente na zona de repescagem, os peruanos chegam à partida decisiva na quinta posição, com os mesmos 25 pontos que os argentinos, na sexta colocação, e um a menos que os colombianos, que ocupam o quarto e último lugar a conseguir a classificação direta. A seleção peruana não depende só de si, caso o Chile vença o Brasil e a Argentina vença o Equador por uma vitória superior à peruana. A vitória, no entanto, garante o time ao menos na repescagem.

Apesar de jogar como visitante, a Colômbia tem uma missão menos complicada e depende apenas do próprio desempenho para carimbar o passaporte à Rússia. Uma simples vitória será o bastante para garantir a classificação. Um empate também servirá caso a Argentina não ganhe ou o Chile perca. O empate, no entanto, garante o time na repescagem.