Header Ads

Com aumento, Parintins fica com maior parcela do FPM


Até julho de 2016, a previsão é que o município receba R$ 1,7 milhão em recursos do Fundo.Foto: Raimundo Valentim/ Acervo DA


Manaus - Parintins será o município do interior do Estado com a maior parcela de repasse do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) nos próximos dois anos, segundo dados da Confederação Nacional dos Municípios (CNM). Até julho de 2016, a previsão é que o município receba R$ 1,7 milhão em recursos do Fundo.


O valor é uma estimativa com base na votação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 246/2014, aprovada em primeiro turno na Câmara dos Deputados, no último dia 4, que aumenta em 1% os repasses do Fundo para os municípios brasileiros. A previsão é que a proposta volte à pauta na próxima semana, segundo a assessoria de comunicação da Casa.
De acordo com a CNM, os 62 municípios do Amazonas receberão, juntos, R$ 66,8 milhões do governo federal nos próximos dois anos.
Segundo a PEC, o FPM terá um aumento de 1%, sendo 0,5% pagos em julho de 2015 e o restante em julho de 2016. A assessoria de comunicação da CNM informou que a correção dos valores corresponderá a um impacto anual de R$ 3,8 bilhões no orçamento da União.
A CNM informou que, com o aumento, em julho de 2015 os municípios do Amazonas receberão R$ 30,7 milhões e outros R$ 36,1 milhões em julho de 2016. Caso a PEC seja aprovada, a capital do Estado, Manaus, será a cidade que receberá o maior volume de recursos, segundo a CNM.
De acordo com dados divulgados no último dia 6, pela Confederação, a previsão é que Manaus receba R$ 19,9 milhões de FPM nos próximos dois anos.
Fonte de receita
Entre os outros municípios do interior do Estado, os maiores valores serão destinados a Manacapuru, Coari e Tefé, que, atualmente, também são os que mais recebem repasses do FPM.
De acordo com os cálculos da confederação, Manacapuru ficará com R$ 1,6 milhão, Coari terá R$ 1,3 milhão e Tefé contará com R$ 1,2 milhão, até julho de 2016.
De acordo com dados da Associação Amazonense dos Municípios (AAM), 80% dos municípios do Estado têm o FPM como principal fonte de receita municipal.
Desde 2013, em reuniões promovidas pela CNM, prefeitos e gestores municipais de todo o País pleiteiam um aumento de 2% no FPM. Eles chegaram a se reunir com o presidente do Congresso Nacional, senador Renan Calheiros.
O fundo é formado pela parcela dos recursos que a União arrecada com os Impostos de Renda (IR) e Sobre Produtos Industrializados (IPI). Atualmente, 23,5% dos dois impostos eram destinados aos municípios. Caso a PEC seja aprovada, o percentual passará para 24,5%.
O FPM é repassado aos municípios de acordo com a população estimada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
Com 1% de aumento, os municípios de Manicoré, Maués, Tabatinga e Humaitá receberão, até 2016, R$ 1,1 milhão referentes ao fundo.
Os menores valores serão repassados aos municípios de Itamarati, Itapiranga, Japurá e Silves, que ficarão com R$ 321,6 mil.
De acordo com a Emenda Constitucional 18/66, os recursos repassados via FPM não podem ser contingenciados e podem ser aplicados em qualquer área da administração municipal.

Nenhum comentário

1. O Blog em Destaque reserva-se o direito de não publicar ou apagar acusações insultuosas, mensagens com palavrões, comentários por ele considerados em desacordo com os assuntos tratados no blog, bem como todas as mensagens de SPAM.

Tecnologia do Blogger.