Header Ads

DO ÚLTIMO SEGUNDO: 54 nomes de políticos investigados na Lava Jato chega ao STF

Relação traz políticos com foro especial, mencionados em pedidos de abertura de 28 inquéritos policiais; divulgação depende de levantamento do sigilo por parte de Teori Zavascki

A lista com 54 políticos com foro especial sobre os quais o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu abertura de 28 inquéritos policiais, chegou oficialmente ao ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), na noite desta terça-feira (3).  A divulgação dos nomes supostamente envolvido no esquema de desvios na Petrobras depende agora da suspensão do sigilo das investigações, solicitado pelo procurador.


Rodrigo Janot: divulgação de nomes suspeitos de envolvimento depende da suspensão dos sigilos
Agência Brasil
Rodrigo Janot: divulgação de nomes suspeitos de envolvimento depende da suspensão dos sigilos

No ofício, Janot pede também o arquivamento de sete investigações preliminares abertas em setembro do ano passado com base nos depoimentos do ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, e o doleiro Alberto Youssef, mas que não tinham indícios que pudessem justificar a abertura de inquérito.
A expectativa em torno da divulgação dos nomes vem acirrando as tensões no Congresso e no governo. Nos últimos dias, políticos supostamente incluídos na relação começaram a ensaiar discursos em resposta às acusações de envolvimento no esquema.
Nona fase da Operação da Lava Jato começou nesta quita-feira (5) e apreendeu grandes quantidades de dinheiro, 500 relógios e documentos. Foto: Polícia Federal
Nona fase da Operação da Lava Jato começou nesta quita-feira (5) e apreendeu grande quantia de dinheiro, 500 relógios e documentos. Foto: Polícia Federal
Suspeito de ligação com Alberto Yousseff, Adarico Negromonte é preso pela PF, em novembro.. Foto: Cassiano Rosário/Futura Press
O advogado da Queiroz Galvão, José Luiz de Oliveira Neto, em entrevista em novembro. Foto: Cassiano Rosário/Futura Press
Roberto Brzezinski Neto, representante do escritório que defende Renato Duque na Operação Lava Jato, em janeiro. Foto: Cassiano Rosário/Futura Press
Nona fase da Operação da Lava Jato começou nesta quita-feira (5) e apreendeu grande quantidade de dinheiro, 500 relógios e documentos. Foto: Polícia Federal
Investigações da Operação Lava Jato . Foto: Fotos Públicas
Graça Foster e cinco diretores renunciam ao cargo na Petrobras
. Foto: Fotos Públicas
Costa e Cerveró entram em contradição na CPMI sobre corrupção na Petrobras. Foto: Fotos Públicas
Costa e Cerveró entram em contradição na CPMI sobre corrupção na Petrobras. Foto: Fotos Públicas
Costa e Cerveró entram em contradição na CPMI sobre corrupção na Petrobras. Foto: Fotos Públicas
Costa e Cerveró entram em contradição na CPMI sobre corrupção na Petrobras. Foto: Fotos Públicas
Lilian Pinheiro visita o pai, Leo Pinheiro (presidente da OAS), em carceragem da PF, em janeiro. Foto: Futura Press
Amigos e familiares do lobista Fernando Baiano o visitam em carceragem da PF em Curitiba (PR), em 21 de janeiro. Foto: Futura Press
Procurador Deltan Dallagnol explica como era feita esquema de propina na Petrobras, em coletiva realiazada em Curitiba (PR), no dia 11 de dezembro. Foto: Futura Press
Sede do Ministério Público Federal, que investiga os desvios na Petrobras. Foto: Futura Press
Viatura da Receita Federal deixa prédio da construtora Camargo Correia durante operação Lava Jato, em 14 de novembro. Foto: Futura Press
Malotes com documentos de detidos na Operação Lava Jato apreendidos pela PF em 14 de novembro . Foto: Futura Press
Presidente da construtora UTC, Ricardo Pessoa, é preso pela PF em 14 de novembro de 2014. Foto: Futura Press
Polícia Federal vasculha sede da OAS, uma das envolvidas em esquemas de propinas da Lava Jato, em novembro de 2014. Foto: Futura Press
Funcionário manuseia obras de artistas brasileiros apreendidas pela PF na Operação Lava Jato, em 16 de maio. Foto: Futura Press
PF apreende farta quantia de reais e dólares no Rio de Janeiro, em 17 de março. Foto: Divulgação/Polícia Federal
PF apreendeu grande quantidade de dinheiro em cofre na cidade de Londrina, no Paraná. Foto: Divulgação/Polícia Federal
Entre os crimes investigados estão contrabando de pedras preciosas e desvios de recursos públicos. Foto: Divulgação
São cumpridas também ordens de seqüestro de imóveis de alto padrão, além da apreensão de patrimônio adquirido por meio de práticas criminosas. Foto: Divulgação
Carro de luxo apreendido pela PF. Foto: Divulgação
Entre os bens apreendidos, foram encontradas obras de arte no Paraná. Foto: Divulgação/PF
Posto de combustível no DF onde foram feitas apreensões. Foto: Divulgação/PF
Operação Lava Jato da Polícia Federal. Foto: Divulgação
Doleiro Alberto Yousseff segue preso por outras acusações 21 10 2014. Foto: Jeso Carneiro/Agência Senado
Nona fase da Operação da Lava Jato começou nesta quita-feira (5) e apreendeu grandes quantidades de dinheiro, 500 relógios e documentos. Foto: Polícia Federal
1/30
A lista, supostamente, já teria confirmados os nomes de dois dos principais líderes da base no Congresso: os presidentes da Câmara, Eduardo Cunha (RJ), e o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), segundo informações veiculadas pelos sites dos jornais O Globo e O Estado de S. Paulo. O aviso teria sido feito, supostamente, pelo vice-presidente da República, Michel Temer, que esteve com Janot na quinta-feira.
Embora a expectativa seja de que os nomes venham à tona ainda nesta semana, a decisão de tornar a lista pública depende exclusivamente do ministro Teori Zavascki neste momento.  
Apesar da apreensão em torno dos nomes, tanto o Palácio do Planalto quanto parlamentares têm dito que a divulgação pode se transformar em mecanismo de alívio. Primeiro, por conta da decisão de Janot de pedir apenas a abertura de inquéritos e não de abrir ação penal contra os suspeitos de envolvimento no esquema da Petrobras. Segundo, pela previsão de que políticos de vários partidos sejam incluídos na lista, o que ajudaria a diluir o desgaste entre integrantes da base e da oposição.
No Planalto, há ainda a expectativa de que a decisão tire parte do foco das denúncias da presidente Dilma Rousseff.

    Nenhum comentário

    1. O Blog em Destaque reserva-se o direito de não publicar ou apagar acusações insultuosas, mensagens com palavrões, comentários por ele considerados em desacordo com os assuntos tratados no blog, bem como todas as mensagens de SPAM.

    Tecnologia do Blogger.