Header Ads Widget

Recent Comments

header ads

5 refeições bizarras que eram normal na Era Medieval

Durante os últimos séculos, os hábitos alimentares dos seres humanos mudaram drasticamente. Um exemplo disso é o fato de dividirmos nossos dias em três refeições principais, enquanto os romanos antigos costumavam ter um único banquete ao meio-dia.

A chegada da Idade Média fez com que as coisas mudassem um pouco, principalmente a respeito da quantidade de refeições que era aceitável fazer em um dia. Porém, isso não significa que os nossos ancestrais não tinham outros hábitos bizarros. Veja só cinco pratos que eram comidos na Era Medieval e que provavelmente seriam bastante julgados nos restaurantes de hoje em dia!

1. Castores
(Fonte: Wikimedia Commons)

Durante a Idade Média, acreditava-se que as caudas de castor eram "frias" e, portanto, podiam ser comidas em dias de jejum. No século XVII, as pessoas passaram a comer o castor inteiro como tradição, visto que virou uma prática aceita pela Igreja Católica.

Em determinado período, o bispo do Quebec perguntou aos seus superiores se havia algum problema em comer castores na sexta-feira durante a Quaresma. Como resposta, ele ouviu da Igreja que não havia problemas, uma vez que esse animal poderia ser considerado um peixe por ser "ótimo nadador".

2. Gato assado
(Fonte: Wikimedia Commons)

Você já ouviu falar em churrasquinho de gato? Durante a Idade Média isso não só era uma realidade como também era uma receita bem comum. Recomendava-se que a cabeça do felino fosse cortada e jogada fora. Na época, acreditava-se que comer os miolos dos gatos faria você perder os sentidos e não ter mais controle sobre suas faculdades mentais.

Então, o gato seria cortado e limpo. Antes de assá-lo, a criatura deveria ser enterrada por um dia e uma noite para ficar totalmente pronto. Normalmente, o gato assado era servido mergulhado em um caldo ou com bastante alho.

3. Lampreia
(Fonte: Wikimedia Commons)

Até mesmo para os grandes amantes de frutos do mar, alimentar-se de uma lampreia poderia ser uma tarefa um tanto quanto nojenta. Esse peixe possui ventosas em sua boca e se alimenta do sangue de outros peixes maiores. Porém, isso não era um grande problema para quem vivia na Idade Média.

Naquela época, a lampreia era considerada uma verdadeira iguaria e era constantemente consumida nos dias em que não se devia comer carne vermelha. Reza a lenda que a morte do rei Henrique I da Inglaterra foi devido ao consumo excessivo desse estranho animal.

4. Pênis de ovelha
(Fonte: Wikimedia Commons)

Para nós, imaginar comer o pênis de qualquer animal possa soar como um enorme absurdo, mas as receitas medievais não pensavam muito nisso. Na verdade, o pênis de ovelha era um prato bastante consumido entre os plebeus, sendo preparado de várias formas diferentes.

Ao todo, era necessário lavá-lo e limpá-lo para poder rechear a carne com dez ovos, açafrão, leite e gordura. Então, o prato era escaldado, assado e polvilhado com gengibre, canela e pimenta. Será que você aguentaria essa receita?

5. "Lixo"
(Fonte: Wikimedia Commons)

Por mais bizarro que isso possa soar, algumas pessoas da Era Medieval literalmente comiam um prato batizado de "lixo" — e ele era tão nojento quanto o nome faz parecer. A receita incluía cabeças, pés, fígados e moelas de galinhas, que serviriam como o ingrediente principal de uma bela sopa.

A carne do frango era cozida em um caldo com pimenta, canela, cravo, macis, salsa e sálvia. Por fim, o alimento era servido junto de pão, gengibre, verjuice — um suco altamente ácido —, sal e açafrão.

Postar um comentário

0 Comentários

Random Posts

header ads