Manaus/AM - A Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM) aprovou na manhã desta quarta-feira (24) pedidos de declaração de calamidade pública em nove municípios do interior do Amazonas em razão da segunda onda de Covid-19. 



Os pedidos foram enviados pelos prefeitos de Beruri, Careiro, Nova Olinda do Norte, Itacoatiara, Autazes, Coari, Guajará, Lábrea e Santa Izabel do Rio Negro.Durante a sessão, os parlamentares também aprovaram o estado de calamidade pública solicitado pelo governador Wilson Lima (PSC). As duas medidas têm duração de seis meses, a partir de janeiro.

O município de Boca do Acre decretou estado de calamidade por 180 dias. De acordo com a Defesa Civil do município, mais de 6 mil pessoas foram afetadas pela inundação causada pela cheia histórica dos rios Acre e Purus.

Dados atualizados da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM) registram que, dos mais de 309 casos de Covid-19, 53,63% das novas notificações são do interior (165,8 mil) e 46,37% da capital (143,4 mil).

O decreto de calamidade pública visa auxiliar a administração públicas municipal e estadual durante situações críticas, conferindo mais agilidade à contratação de serviços e obras por meio de dispensa de licitação.