Foto: Divulgação

Dentro de uma semana, as aldeias indígenas de São Gabriel da Cachoeira (AM) devem começar a receber mais de 13 mil cestas básicas doadas pelo Governo Federal para minimizar os impactos causados pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19). A previsão de entrega dos produtos - cujo carregamento já começou a ser feito no Porto de Manaus - é até a próxima sexta-feira (26).


No município amazonense, cada uma das 6,7 mil famílias atendidas receberá duas cestas compostas por 22 kg e oito produtos. No total, serão 44kg para cada núcleo familiar.


Os itens foram comprados mediante leilão eletrônico realizado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) com recursos repassados pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH).


A ministra Damares Alves lembra que o Governo Federal tem somado esforços para combater os efeitos da pandemia. "Esse trabalho conjunto é fundamental para que possamos atender da melhor forma possível as nossas comunidades indígenas e povos tradicionais. Unidos, não vamos deixar ninguém para trás", enfatizou.


Transporte

Inicialmente prevista para ocorrer até o dia 29 de maio, a entrega de alimentos em São Gabriel da Cachoeira teve a data alterada em virtude de problemas operacionais. Houve atraso por parte dos fornecedores, que alegaram dificuldades no recebimento de feijão e flocos de milho. Eles ressaltaram, ainda, o fato de os produtos serem oriundos de outros estados, já que o Amazonas não é conhecido pela produção de grãos. Outro motivo apontado pelas entidades consiste na redução do fluxo do transporte fluvial durante o período da pandemia.


Um segundo leilão foi realizado, de forma a garantir que as comunidades indígenas do município tenham acesso à alimentação.


A distribuição dos alimentos é uma ação do Plano de Contingência para Populações Vulneráveis, anunciado pelo Governo Federal e coordenado pelo MMFDH. A iniciativa prevê o investimento de R$ 4,7 bilhões em políticas públicas.

Transporte Inicialmente prevista para ocorrer até o dia 29 de maio, a entrega de alimentos em São Gabriel da Cachoeira teve a data alterada em virtude de problemas operacionais. Houve atraso por parte dos fornecedores, que alegaram dificuldades no recebimento de feijão e flocos de milho. Eles ressaltaram, ainda, o fato de os produtos serem oriundos de outros estados, já que o Amazonas não é conhecido pela produção de grãos. Outro motivo apontado pelas entidades consiste na redução do fluxo do transporte fluvial durante o período da pandemia. Um segundo leilão foi realizado, de forma a garantir que as comunidades indígenas do município tenham acesso à alimentação. A distribuição dos alimentos é uma ação do Plano de Contingência para Populações Vulneráveis, anunciado pelo Governo Federal e coordenado pelo MMFDH. A iniciativa prevê o investimento de R$ 4,7 bilhões em políticas públicas. Atenciosamente, Assessoria de Comunicação Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos imprensa@mdh.gov.br (61) 2027-3525 (61) 99558-9277