Daniel Maciel 
Coari-Am 06 de maio de 2020

Em uma entrevista, a secretária de saúde do município de Coari Francisnalva Mendes abordou o tema referente ao alto índice de letalidade em Coari do Covid-19. O município alcançou ontem o segundo lugar no Amazonas em número de óbitos. Os índices chamam a atenção para a periculosidade do novo coronavírus e para o crescimento exponencial de mortes. Nesta quarta-feira foram divulgados os números de 24 óbitos, um aumento de 07 óbitos a mais que no dia 05 de maio. 

A secretária informou que 95% dos óbitos que ocorreram em Coari são de pacientes que agudizaram sem procurar uma das UBS do município. Esses casos já chegaram com insuficiência respiratória, com agudização da doença "e nós não pudemos fazer muita coisa por estes pacientes" - informou Francisnalva. A maioria dos óbitos foram em pessoas já consideradas idosas e com hipertensão ou diabetes.

Dois óbitos foram de pessoas mais jovens, mas que apresentaram hipertensão. Todos os óbitos ocorridos em Coari por Covid-19 foram por pessoas que apresentaram outras comobirdades.

UM APELO

A secretária fez um apelo as pessoas que estão na área de risco como: diabéticos, hipertensos e idosos para que os familiares tenham uma atenção redobrada na prevenção ao contágio com o COVID-19 pois as pessoas deste grupo são de alto risco.  "Por mais que nós tenhamos estrutura para atender as pessoas, o vírus é muito letal" - disse ela.

UMA DOENÇA NOVA QUE NÃO TEM REMÉDIOS OU VACINA

Francisnalva lembrou que ainda se está estudando sobre este vírus e que não há muitos dados científicos para poder conduzir clinicamente esta doença."Ainda se está vendo como se trata. Não é uma coisa fácil de se combater. Não há dados clínicos, vacinas ou medicações certas sobre essa doença" informou a secretária.

INVESTIMENTOS NA ÁREA DE SAÚDE

Sobre os investimentos na área de saúde, a secretária afirmou que o município de Coari não foi pego de surpresa com relação à estrutura de atendimento. Com relação ao atendimento estadual, ela lembrou que o governo do Amazonas já está no limite e que não estão recebendo transferências de nenhum tipo de paciente para Manaus nem por coronavírus e nem por outra doença.

UTI SEMI-INTENSIVA

Em virtude deste tipo de problema e dentro de um planejamento, Coari se preparou para ter uma UTI, semi-intensiva e também uma UTI aérea. O Hospital de Coari tem todos os equipamentos necessários na área, menos hemodiálise, pois seria necessário ter um profissional nefrologista, porém infelizmente, tais profissionais não querem vir para o interior do Estado, pois nem mesmo a demanda da capital, nesta área, não está sendo suprida.

DIFICULDADES COM ESPECIALISTAS

Também é necessário ter em Coari um médico intesivista, no entanto,  devido a saturação das UTIS em Manaus, não está sendo possível trazer este especialista para Coari, apesar de todos os esforço da prefeitura neste sentido. Mas a prefeitura não vai parar de tentar trazer tal profissional, pois como foi dito anteriormente não está sendo possível transferir pacientes para Manaus.

CÁPSULAS E CILINDROS DE OXIGÊNIO

As cápsulas utilizadas na SEMEL serão utilizadas em Coari, compradas pelo governo municipal e serão instaladas esta semana. Elas serão usadas tanto em pacientes que não estão necessitando de respiração mecânica, quanto em pacientes em estado mais grave. Mais cilindros de oxigênio foram comprados, assim como investimentos na área de estruturas e pessoal.

ABASTECIMENTO DE MEDICAMENTOS

Através de um contato do prefeito Adail Filho com outros estados da federação foi possível comprar medicamentos para abastecer a rede de saúde de Coari, os medicamentos já estão no município. Foram comprados equipamentos de segurança para os 1.600 profissionais de saúde que estão trabalhando em Coari.