Situação ainda preocupa pois a taxa de letalidade no município é quase o dobro da nacional. 

Felizmente, com a redução do número de óbitos registrados em Coari, o município perdeu o segundo lugar no horrível ranking da morte por Covid-19. Com a atualização dos números neste domingo, 10 de maio, Tabatinga passa a ocupar a segunda colocação e Coari fica em terceiro lugar. Uma queda muito importante. 
MUNICÍPIOS ONDE ESTÃO OCORRENDO MAIS ÓBITOS 
Os 05 municípios onde estão ocorrendo mais mortes pelo novo coronavírus até hoje são: Manacapuru (48), Tabatinga (35), Coari (33), Parintins (31) e Itacoatiara (21). A diferença de Coari para o segundo lugar Tabatinga são de 02 óbitos. Um intervalo pequeno, que ainda traz preocupação, e a preocupação fica clara quando estudamos os índices. 
RETA ASCENDENTE 
Segundo a análise dos números realizada pelos integrantes do Curso de Medicina da UFAM em Coari, os óbitos no município ainda estão em uma reta ascendente. De ontem para hoje foram mais três mortes por Covid-19, com a soma total observada desde o primeiro óbito que aconteceu dia 19 de abril, 33 vidas já ceifadas em decorrência do contágio com o novo coronavírus. 
O ÍNDICE DE LETALIDADE EM COARI PREOCUPA 

O índice de letalidade no município é extremamente alto: se formos comparar os números é fácil perceber que estamos acima da média em letalidade: no Brasil a letalidade é de 6,9%; no Amazonas é de 8,0%; já em Coari superamos de forma assustadora esta média e chegamos ao incrível índice de letalidade de 11,7%. É impossível não se deter neste número e se perguntar o porquê de outros municípios onde os números de contágios são maiores ou aproximados que os nossos, os óbitos são menores como é o caso de Tefé que está em terceiro lugar no número de casos positivos e apresenta 19 óbitos, ou de Santo Antônio do Içá que tem 245 casos confirmados e apenas 5 óbitos. 
É NECESSÁRIO COMPREENDER O QUE ESTÁ ACONTECENDO 
No mínimo estes índices merecem um estudo de caso. A guerra travada nesta pandemia não é apenas para diminuir a curva ou evitar o colapso do sistema de saúde, mas acima de tudo salvar vidas. Já antevendo este quadro, as autoridades municipais alertaram a população sobre o perigo, a não existência de um medicamento que curasse a doença e também a não existência de uma vacina. Também, lembraram da importância de redobrar os cuidados para que pessoas do grupo de risco (diabéticos, hipertensos e idosos e pessoas que apresentassem outras comobirdades) evitassem o contato social para reduzir o risco de contágio, porém pouca coisa mudou na rotina das pessoas. 
A LUTA PELA VIDA E UMA BOA NOTÍCIA 
assim a luta pela vida tem que ser mantida, todos os esforços devem ser empreendidos para salvar o número maior pessoas. Isso é bem possível. O índice de recuperados no Brasil é de 40%, o que mostra que é possível sobreviver a tudo isso. Ate três dias atrás em Coari o número de mortos era superior do que o de recuperados (27 para 22), porém a boa notícia é que desde ontem este quadro começa a muda e hoje se manteve com o número de 33 óbitos e de 36 recuperados. Se o número de recuperados continuar a crescer, a certeza que acaletará a todos é que a guerra pela vida começará a ser vencida.