Coari, Am 24 de novembro de 2017

Desde que aconteceu um homicídio que tirou a vida do moto-taxista "Tito", em Coari, na tarde desta quinta-feira (23) os coarienses foram confrotados com a realidade de que algo muito especial e diferente precisa ser feito para mudar o quadro de insegurança no município. A noite foi marcada por uma ação dos dos moto-taxistas que chegaram rapidamente aos envolvidos no crime e quase lincharam os suspeitos de terem matado o colega de farda.

Duas meninas, menores, também fora detidas suspeitas de terem levada a vítima para a emboscada para ser morto por três homens. Um dos suspeitos, conhecido como Buiú considerado de alta periculosidade em Coari, comandou o latrocínio e foi espancado por um grupo de populares que decidiram fazer “justiça com as próprias mãos” antes da polícia colocar as mãos nele.

Ao mesmo tempo em que mais uma operação da polícia, com a presença em Coari dos comandantes maiores da polícia militar no Estado e do Vice-Governador que também é Secretário de Segurança estava em andamento prendendo mais de 30 criminosos previamente investigados, outros crimes aconteciam simutaneamente, como assaltos e roubos, tráfico de drogas e tantos outros delitos, como é o caso registrado na publicação abaixo.


A vice prefeita foi a rádio, conceder entrevista com a presença do vice-governador para informar a população à respeito da operação em andamento. Ela informou que se reuniu com vice-governador e Secretário de Segurança Publica do Amazonas, Bosco Saraiva, para tratar das necessidades da segurança em Coari. "Graças a pedidos que eu e o prefeito Adail Filho fizemos constantemente para o Governo do Amazonas, nesta manhã foi realizada a Operação Coari, objetivo de cumprir mandados de prisão e de busca e apreensão de envolvidos com o tráfico de drogas, homicídios, roubos e furtos no município" - informou a vice-prefeita. Ela também garantiu que a operação de hoje, que vai continuar por tempo indeterminado porque Coari precisa de paz. 


Mesmo assim houve um principio de tumulto, no Bairro de Santa Efigênia onde fica a casa do prefeito. Tumulto que foi debelado pela presença da guarda municipal e da polícia militar. Segundo informações o tumulto foi gerado por protestos referentes à morte do moto-taxista no dia anterior.

Vereadores também foram a uma outra rádio, pois não participaram da entrevista com a vice-prefeita e o vice-governador. Também  nesta entrevista  deram as informações referentes ao trabalho parlamentar sobre a falta de segurança e lembraram das constantes idas até a Secretaria de Segurança Pública do Estado para pedir providências, além da audiência sobre segurança pública que também realizaram no município para cobras as autoridades competentes sobre o assunto.

Fato é que o assunto veio à tona como nunca. Há nas redes sociais convocações para mais manifestações mas não se sabe até agora qual o nível de adesão. Moto-taxistas fizeram buzinaço pelas ruas de Coari na tarde de hoje. A insegurança tem olhado os coarienses nos olhos, aquela encarada intimidadora, em uma semana em que mais sangue foi derramado no solo coarienses, roubos aconteceram e a preocupaçã aumentou.