10 de julho de 2017

Referindo-se à UEA, governador David Almeida diz que o pior já passou

Em entrevista a uma rádio local na manhã desta segunda-feira, 10 de julho, o governador David Almeida descartou que a Universidade do Estado do Amazonas (UEA) esteja correndo o risco de fechar as portas.  "Não é essa tragédia que foi anunciada. O pior já passou. Quero trazer a realidade, dizer que a UEA vai receber mais dinheiro esse ano. Eu tenho visitado o interior e já estou dando ordem de serviço para a continuidade de obras que estavam paradas de centros e núcleos de ensino superior. Essa é a realidade da universidade", afirmou o governador.
David Almeida apresentou os dados que apontam para a recuperação do orçamento da instituição em 2017. "Ano passado a universidade fechou o ano com um orçamento em torno de R$ 330 milhões, este ano a estimativa é que a UEA possa receber em torno de 400 milhões de reais. Se as estimativas estiverem corretas, vamos recuperar cerca de R$ 70 milhões".
 
De acordo com o governador, por depender dos recursos do Distrito Industrial, a UEA sofreu com o impacto da crise econômica nacional na industrial local nos últimos dois anos, mas a tendência é de estabilidade.  "Os repasses para a UEA foram diminuídos ano passado, por conta da queda no faturamento do Distrito Industrial, porque o orçamento da universidade está atrelado ao faturamento no distrito. Se caiu no distrito, é óbvio que vai diminuir os repasses para a UEA", explicou.
 
De acordo com balanço fechado, ano passado, pela Secretaria Estadual de Fazenda (Sefaz), o fundo criado por Lei destinado à UEA caiu -27,04% em 2016. Todos os demais impostos também tiveram redução, assim como as contribuições feitas pela indústria: -26,98% do ITCMD (imposto sobre heranças e doações); - 37,5% do FTI (Fundo de Fomento ao Turismo, Infraestrutura, Serviços e Interiorização do Desenvolvimento); e -9,32% do FMPES (Fundo de Apoio às Micro e Pequenas Empresas e ao Desenvolvimento Social).
 
Política de expansão é mantida – O governador disse que continua a manter a política do Governo do Amazonas de levar o ensino superior a todos os municípios através da Universidade do Estado do Amazonas (UEA). Por isso, deu ordem de concluir as obras dos núcleos da UEA que estão em andamento em todos os municípios. Atualmente, 11 cidades possuem Núcleos de Ensino Superior, seis municípios têm Centros de Ensino Superior e sete terão em breve um novo campus para que os cidadãos possam estudar presencialmente. Naqueles municípios em que não há núcleo, as pessoas estudam através do IPTV, protocolo de transmissão de aulas via satélite.
 
UEA em números – Tendo início de suas atividades acadêmicas em agosto de 2001, a UEA é a maior universidade multicampi do país, ou seja, é a instituição de ensino superior brasileira com o maior número de unidades que integram a sua composição. A UEA possui mais de 20 mil estudantes regularmente matriculados na graduação e, também, na pós-graduação.
 
A UEA está presente em 27 cidades do Amazonas. Barcelos, Boa Vista do Ramos, Jutaí, São Sebastião do Uatumã, Apuí, Santo Antônio do Içá e Tapauá são as cidades em que há construção de novos Núcleos de ensino superior. As obras estão em andamento e têm previsão de ser concluídas ainda neste semestre. Tefé e Parintins estão com os seus respectivos Centros em reforma.

FOTOS: Valdo Leão

 
 



Nenhum comentário:

Postar um comentário

1. O Blog em Destaque reserva-se o direito de não publicar ou apagar acusações insultuosas, mensagens com palavrões, comentários por ele considerados em desacordo com os assuntos tratados no blog, bem como todas as mensagens de SPAM.