Header Ads

Presidente do Senado corta luz e suspende sessão iniciada pela oposição

Da Redação

As senadoras Vanessa Grazziotin (PC do B), Gleisi Hoffmann e Fátima Bezerra (ambas do PT) ocuparam a mesa do Senado e deram início a sessão que começaria a avaliar a reforma trabalhista, sem a presença do presidente do Senado, Eunício de Oliveira (PMDB). A ocupação foi uma tentativa de trancar a pauta e impedir que a proposta do governo Michel Temer fosse votada nesta terça-feira (11).

Um dia antes, a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Carmen Lúcia, negou o mandado de segurança, apresentado por Paulo Paim (PT), que pedia a suspensão da votação da matéria.

A ocupação da oposição, no entanto, foi uma maneira de driblar o governo. Aproveitando o atraso de Eunício, os senadores usaram a regra prevista no regulamento da Casa segundo a qual qualquer senador pode dar início à sessão, desde que haja quórum presente. O Senado começou os trabalhos então, com uma mesa presidida por Fátima Bezerra.

O presidente de fato, Eunício de Oliveira, não reagiu bem. Para impedir que a oposição seguisse, o senador suspendeu a sessão, cortou a transmissão da TV Senado e mandou cortar as luzes do Plenário.

Em uma postagem na sua página, a senadora Gleisi Hoffman, presidente do PT, disse que a oposição não deixaria a mesa, mesmo no escuro. "Não podemos permitir que prossigam com essa reforma. Se querem tumultuar a vida dos milhares de trabalhadores e trabalhadoras retirando seus direitos, então continuaremos na mesa".

Nenhum comentário

1. O Blog em Destaque reserva-se o direito de não publicar ou apagar acusações insultuosas, mensagens com palavrões, comentários por ele considerados em desacordo com os assuntos tratados no blog, bem como todas as mensagens de SPAM.

Tecnologia do Blogger.