11 de julho de 2017

Presidente do Senado corta luz e suspende sessão iniciada pela oposição

Da Redação

As senadoras Vanessa Grazziotin (PC do B), Gleisi Hoffmann e Fátima Bezerra (ambas do PT) ocuparam a mesa do Senado e deram início a sessão que começaria a avaliar a reforma trabalhista, sem a presença do presidente do Senado, Eunício de Oliveira (PMDB). A ocupação foi uma tentativa de trancar a pauta e impedir que a proposta do governo Michel Temer fosse votada nesta terça-feira (11).

Um dia antes, a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Carmen Lúcia, negou o mandado de segurança, apresentado por Paulo Paim (PT), que pedia a suspensão da votação da matéria.

A ocupação da oposição, no entanto, foi uma maneira de driblar o governo. Aproveitando o atraso de Eunício, os senadores usaram a regra prevista no regulamento da Casa segundo a qual qualquer senador pode dar início à sessão, desde que haja quórum presente. O Senado começou os trabalhos então, com uma mesa presidida por Fátima Bezerra.

O presidente de fato, Eunício de Oliveira, não reagiu bem. Para impedir que a oposição seguisse, o senador suspendeu a sessão, cortou a transmissão da TV Senado e mandou cortar as luzes do Plenário.

Em uma postagem na sua página, a senadora Gleisi Hoffman, presidente do PT, disse que a oposição não deixaria a mesa, mesmo no escuro. "Não podemos permitir que prossigam com essa reforma. Se querem tumultuar a vida dos milhares de trabalhadores e trabalhadoras retirando seus direitos, então continuaremos na mesa".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

1. O Blog em Destaque reserva-se o direito de não publicar ou apagar acusações insultuosas, mensagens com palavrões, comentários por ele considerados em desacordo com os assuntos tratados no blog, bem como todas as mensagens de SPAM.