Com maratona até novembro, Flamengo espera encaixar reforços nos jogos e colocará elenco para rodar

Geuvânio estreou contra o Grêmio Foto: Alexandre Cassiano / Agência O Globo

Até o fim do primeiro turno do Brasileiro, nos próximos seis jogos, o Flamengo não terá tempo para treinar. Até novembro, em quatro torneios, terá jogos no meio e no fim de semana. Isso significa que o encaixe dos principais reforços será feito nas partidas. Haverá rodízio em breve, sempre jogando com quem estiver melhor. Para o jogo com o Cruzeiro, domingo, Paolo Guerrero volta ao time, e com ele, a esperança de um ataque mais eficiente do que foi diante do Grêmio, quando Diego e Éverton Ribeiro não resolveram.

A entrada de novas peças requer paciência para a engrenagem do conjunto funcionar. E o centroavante tem papel fundamental nisso. Contudo, há um ingrediente que os milhões do clube para contratar não pagam: o tempo. Essa foi a resposta de Diego ao ser questionado sobre o encaixe dos talentos.

- Apesar de trabalharmos em alto nível precisamos de prática. Geuvânio estreou, Éverton Ribeiro vem jogando…Estamos em crescimento. Temos procurado treinar, mas o conhecimento entre nós vai acontecer nos jogos - reconheceu o meia, mal contra o Grêmio.

O Flamengo vinha de sete vitórias e dois empates e reencontrou o bom futebol pela soma das qualidades individuais, principalmente. Com caras novas, o sistema de jogo precisa ser reafirmado. Assim, o técnico Zé Ricardo deve mexer pouco na equipe enquanto não precisar poupar. Renê entra no lugar de Trauco, suspenso, e Guerrero volta no de Damião. A importância do centroavante se tornou óbvia.

- É uma das nossas referências. Tem um peso muito grande.- observa Diego.

Comentários