15 de junho de 2017

A questão do Amazonas não pode ser comparada à de Temer.


BRASIL

AGU diz que cumpre 'dever constitucional' ao defender TSE em debate sobre separação de contasÓrgão sustenta que processo sobre governador do AM é distinto da ação contra chapa Dilma-Temer

POR O GLOBO

15/06/17 - 17h40 | Atualizado: 15/06/17 - 17h45



A ministra da AGU, Grace Maria Fernandes Mendonça - Jorge William / Agência O Globo

BRASÍLIA — A Advocacia-Geral da União (AGU) divulgou nota nesta quinta-feira para informar que que está cumprindo seu "dever constitucional" de defender, em ação no Supremo Tribunal Federal (STF), a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que cassou os mandatos do governador e do vice do Amazonas. A AGU sustenta também que o documento não contraria tese apresentada pelo presidente Michel Temer, de separação de contas entre titular e vice, no julgamento da semana passada no TSE, uma vez que os dois processos seriam "absolutamente distintos".

A AGU afirma que a questão do Amazonas não pode ser comparada à de Temer. "O processo sobre a chapa que concorria ao governo do Amazonas, objeto da peça apresentada pela AGU, analisou diversas provas que atestaram a compra de votos, fato que motivou o TSE a cassar governador e vice pelo entendimento de que isto maculou todo o processo eleitoral. Já os autos do processo da chapa presidencial analisavam a regularidade nas contas da campanha, o que acabou sendo ratificado pelo tribunal", diz o órgão.

Conforme mostrou reportagem do GLOBO desta quarta-feira, a AGU defendeu nesta semana, em parecer no caso do Amazonas no Supremo, a indivisibilidade das chapas eleitorais: "eventual eleição para o cargo de vice está obrigatoriamente vinculada à do titular". Já a defesa pessoal do presidente Michel Temer pleiteou a separação de contas caso o TSE decidisse pela condenação no processo que pedia a cassação da chapa Dilma-Temer. Como o veredicto foi pela absolvição, a questão não chegou nem a ser debatida na Corte Eleitoral.

ventual denúncia... Marcha para Jesus reúne milhares na Zona Norte de São Paulo Defesa de Palocci atribui a Mantega responsabilidade por pagamentos... Corpo de Jorge Bastos Moreno é sepultado em Cuiabá Associação Brasileira de Imprensa presta homenagem a Moreno FH sugere que antecipação de eleições seria 'gesto de grandeza' de... Governador quer dar nome de Jorge Bastos Moreno para escola no MT E-mail liga coronel investigado à obra na casa de filha de Temer

BRASIL

AGU diz que cumpre 'dever constitucional' ao defender TSE em debate sobre separação de contasÓrgão sustenta que processo sobre governador do AM é distinto da ação contra chapa Dilma-Temer

POR O GLOBO

15/06/17 - 17h40 | Atualizado: 15/06/17 - 17h45



A ministra da AGU, Grace Maria Fernandes Mendonça - Jorge William / Agência O Globo

BRASÍLIA — A Advocacia-Geral da União (AGU) divulgou nota nesta quinta-feira para informar que que está cumprindo seu "dever constitucional" de defender, em ação no Supremo Tribunal Federal (STF), a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que cassou os mandatos do governador e do vice do Amazonas. A AGU sustenta também que o documento não contraria tese apresentada pelo presidente Michel Temer, de separação de contas entre titular e vice, no julgamento da semana passada no TSE, uma vez que os dois processos seriam "absolutamente distintos".

A AGU afirma que a questão do Amazonas não pode ser comparada à de Temer. "O processo sobre a chapa que concorria ao governo do Amazonas, objeto da peça apresentada pela AGU, analisou diversas provas que atestaram a compra de votos, fato que motivou o TSE a cassar governador e vice pelo entendimento de que isto maculou todo o processo eleitoral. Já os autos do processo da chapa presidencial analisavam a regularidade nas contas da campanha, o que acabou sendo ratificado pelo tribunal", diz o órgão.

Conforme mostrou reportagem do GLOBO desta quarta-feira, a AGU defendeu nesta semana, em parecer no caso do Amazonas no Supremo, a indivisibilidade das chapas eleitorais: "eventual eleição para o cargo de vice está obrigatoriamente vinculada à do titular". Já a defesa pessoal do presidente Michel Temer pleiteou a separação de contas caso o TSE decidisse pela condenação no processo que pedia a cassação da chapa Dilma-Temer. Como o veredicto foi pela absolvição, a questão não chegou nem a ser debatida na Corte Eleitoral.

Segundo a AGU, a defesa de Temer pela separação de contas "se alinha a precedentes específicos do próprio TSE, como o que envolvia também as eleições de 2014 e separou a responsabilidade dos então candidatos a governador e vice do Distrito Federal por uso indevido de meios de comunicação social em campanha publicitária durante o período eleitoral".

A AGU sustenta como "equivocado" dizer que o parecer protocolado recentemente pelo órgão no processo sobre a chapa do Amazonas contraria a defesa de Temer "por tratar-se de manifestação em caso totalmente desconexo e que, por isso, tem a plena possibilidade de produzir efeitos diversos no universo jurídico".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

1. O Blog em Destaque reserva-se o direito de não publicar ou apagar acusações insultuosas, mensagens com palavrões, comentários por ele considerados em desacordo com os assuntos tratados no blog, bem como todas as mensagens de SPAM.