Header Ads

Advogados de Léo Pinheiro pedem a Moro que Lula não grave depoimento


UOL - O melhor conteúdo


  • poder


    JOSÉ MARQUES
    DE CURITIBA

    05/05/2017 20h32

    Danilo Verpa - 05.set.2016/Folhapress
    SAO PAULO - SP - 05.09.2016 - Leo Pinheiro (OAS) chega a sede da PF por conducao coercitiva (Foto: Danilo Verpa/Folhapress, PODER) ORG XMIT: LAVA-JATO
    Léo Pinheiro, sócio da OAS, chega à sede da Polícia Federal em São Paulo para prestar depoimento
    Os advogados de Léo Pinheiro, sócio da OAS, querem que o juiz Sergio Moro não permita que a defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva grave a audiência do próximo dia 10, em Curitiba.
    Tanto Lula como Léo Pinheiro são réus em ação criminal que tramita na Lava Jato sobre o tríplex no Guarujá (SP). O empresário, que negocia delação premiada, depôs a Moro no último dia 20.
    Em petição protocolada na noite desta sexta (5), os advogados José Luis Oliveira Lima e Rodrigo Dall'Acqua afirmam que "não concordam com a realização da gravação não oficial do interrogatório do corréu".
    "Nunca é demais reforçar que o princípio na publicidade não autoriza a livre gravação da imagem das partes relacionadas ao processo, de seus representantes legais e de quaisquer outras pessoas que estejam presentes durante a realização dos atos processuais em audiência", justificaram.
    Segundo eles, caso a defesa de Lula filme toda a sala de audiência no dia do depoimento, "certamente causará a exposição desnecessária da imagem de todos os presentes no ato, para muito além dos limites do processo e ainda gerando transtornos indesejados tanto à realização da audiência, quanto ao andamento do processo em si".
    O pedido de Lula também foi rebatido pelo Ministério Público Federal, conforme informou a colunista Mônica Bergamo, da Folha.
    Os advogados do ex-presidente pediram para fazer o seu próprio registro do depoimento porque consideram que a câmera centrada na pessoa que depõe propaga "uma imagem distorcida dos sucessos verificados na audiência, impedindo que sejam avaliadas a postura do juiz, do órgão acusador, dos advogados e de outros agentes envolvidos no ato".
    Foi solicitado a Moro que o fotógrafo do Instituto Lula, Ricardo Stuckert, fizesse as gravações.
    No entanto, a defesa de Pinheiro considera que a gravação oficial focada na pessoa que presta depoimento "não é indicativo de prejuízo ao réu", "assegura a precisão do registro" e "visa garantir a maior fidelidade possível da prova".
    "O mesmo procedimento, ressalte-se, é adotado para depoimentos prestados por testemunhas e ofendidos, não havendo qualquer diferenciação quando se trata de depoimento prestado por acusados", dizem Lima e Dall'Acqua na petição.
    O juiz Sergio Moro ainda não respondeu aos pedidos.
    PROCESSO
    Lula será ouvido no processo em que é réu sob acusação de ter recebido vantagens indevidas da empreiteira OAS, entre elas um tríplex em Guarujá, no litoral de São Paulo.
    Em depoimento, Léo Pinheiro disse a Moro que o apartamento é de Lula.
    A defesa do ex-presidente nega que o tríplex seja dele e afirma que a fala de Pinheiro é uma "versão negociada para agradar" procuradores e destravar seu acordo de delação premiada.




    Edição impressa



GRÁTIS - Na Google Play Store
VER

Nenhum comentário

1. O Blog em Destaque reserva-se o direito de não publicar ou apagar acusações insultuosas, mensagens com palavrões, comentários por ele considerados em desacordo com os assuntos tratados no blog, bem como todas as mensagens de SPAM.

Tecnologia do Blogger.