O presidente Juan Manuel Santos decretou estado de calamidade pública devido à tragédia natural em Mocoa, sul da Colômbia.


O presidente Juan Manuel Santos decretou estado de calamidade pública devido à tragédia natural em Mocoa, sul da Colômbia. (AP)
O presidente Juan Manuel Santos decretou estado de calamidade pública devido à tragédia natural em Mocoa, sul da Colômbia. (AP)

DIEGO ZERBATO, ENVIADO ESPECIAL BOGOTÁ, COLÔMBIA (FOLHAPRESS) – Deslizamentos de terra deixaram neste sábado (1º) ao menos 254 mortos e centenas de feridos e desaparecidos em Mocoa, no sul da Colômbia. Segundo a Cruz Vermelha do país, outras 202 se feriram e 200 estavam desaparecidas.

O presidente Juan Manuel Santos decretou estado de calamidade pública devido à tragédia natural que, segundo ele, foi a pior em 25 anos. As chuvas aumentaram o nível dos rios Mocoa, Sangoyaco e Mulatos, que descem em direção à cidade, e provocaram uma série de deslizamentos de terra cujos sedimentos seguiram a correnteza dos rios.

Com cerca de 40 mil habitantes, Mocoa está sem energia elétrica e abastecimento de água. A enxurrada destruiu a maior parte dos bairros do município, bem como as pontes que a ligam com o resto do país.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

EM COARI ASSASSINO DE MOTO-TAXISTA RESISTE A CERCO POLICIAL E É MORTO

FOGO DESTRÓI MERCADINHO HUDSANDRA EM COARI

POLICIAIS DO 5°BPM/COARI APREENDEM ARMA DE FOGO COM MULHERES NA CIDADE DE COARI/AM