19 de abril de 2017

Equipes do DRCO prendem dupla com armas, granadas, maconha do tipo skunk e munições

Bruno Queiroz Ribeiro e Enderson Fonseca de Brito foram presos com duas espingardas calibre 12, uma metralhadora nove milímetros, quatro granadas, maconha do tipo skunk, material para embalo da substância ilícita e munições intactas. FOTOS: ERLON RODRIGUES/PC-AM

A Polícia Civil do Amazonas, representada pelos delegados Guilherme Torres e Denis Pinho, diretor e diretor-adjunto, respetivamente, do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), falou na manhã desta quarta-feira, dia 19, durante coletiva de imprensa realizada às 10h30, no prédio da Delegacia Geral, sobre as prisões, em flagrante, de Bruno Queiroz Ribeiro, 25, chamado de "Brunão", e Enderson Fonseca de Brito, 27, conhecido como "Buiú". Com a dupla foram apreendidas duas espingardas calibre 12, uma metralhadora nove milímetros, quatro granadas, maconha do tipo skunk, material para embalo da substância ilícita e munições intactas.

De acordo com o delegado Guilherme Torres, as investigações em torno do caso foram iniciadas há uma semana, logo após uma denúncia anônima. "Nossas equipes interceptaram a dupla na tarde de ontem, dia 18, no bairro Novo Aleixo, zona norte da capital. "Buiú" e "Brunão" fazem parte de uma facção criminosa que atua no Estado e cediam armamentos pesados para organizações criminosas. A metralhadora é oriunda de São Paulo, não é mais fabricada e tem um grande poder de impacto. Eles atuam com o tráfico de drogas na área do Novo Aleixo e roubos no bairro Parque Dez de Novembro, na zona centro-sul", disse.

Segundo Denis Pinho, ao longo do trabalho investigativo representantes do Exército Brasileiro (EB) informaram que a metralhadora apreendida foi um produto desenvolvido exclusivamente para uso das Forças Armadas, com capacidade de disparo de 750 tiros por minuto e, em função de problemas de segurança, não é mais fabricada. "Com todo esse aparato, verificamos que se tratava de uma organização criminosa bem articulada. Então temos o prazo de 30 dias para concluir o Inquérito Policial (IP), onde vamos verificar outros envolvidos", informou o diretor-adjunto do DRCO.

        Enderson tem em nome dele dois mandados de prisão preventiva por homicídio. O primeiro foi expedido no dia 24 de agosto de 2015, pelo juiz Mauro Moraes Antony, da 3ª Vara Criminal. A segunda ordem judicial foi expedida no dia 14 de março de 2016 e uma terceira, pelo mesmo crime, no dia 30 de março de 2016, ambas assinados pelo juiz Eliezer Fernandes Júnior, da 2ª Vara Criminal. O infrator responde, ainda, a sete processos criminais, sendo cinco por roubo majorado, um por homicídio consumado e outro por homicídio tentado. Bruno responde a dois processos criminais por tráfico de drogas.

Na base do departamento, nas dependências da Delegacia Geral, Bruno e Enderson foram autuados, em flagrante, por tráfico de drogas, associação para o tráfico de drogas e posse ilegal de arma de fogo de uso restrito. "Buiú" ainda foi indiciado por homicídio. Ao término dos procedimentos cabíveis Enderson será levado ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM) e "Brunão" conduzido para Audiência de Custódia no Fórum Ministro Henoch da Silva Reis, na zona sul.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

1. O Blog em Destaque reserva-se o direito de não publicar ou apagar acusações insultuosas, mensagens com palavrões, comentários por ele considerados em desacordo com os assuntos tratados no blog, bem como todas as mensagens de SPAM.