Header Ads

Destacadas as ações do Amazonas que contribuem para a redução dos casos de malária


Intensificar as ações de combate e melhorar as abordagens de tratamento e controle da malária no Estado foi o foco principal do 2ª Seminário Estadual Alusivo ao Dia Mundial de Luta Contra a Doença, realizado nesta terça-feira, 25 de abril, no auditório do Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam), no bairro Dom Pedro, zona Centro-Oeste de Manaus. O evento foi realizado pela Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM) e contou com a presença do governador em exercício, Henrique Oliveira, que enfatizou os trabalhos em âmbito estadual para alcançar o menor índice da doença na região.

 

"O Governo do Amazonas tem incentivado esse combate através da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas, e recentemente com as ações do Barco Pai, que vai visitar as calhas levando a campanha e executando medidas para amenizar os problemas de saúde junto à população. Saúde e combate à malária não se faz dentro de gabinete, se faz nas ruas e nos municípios. E vamos continuar com esse mesmo empenho, e onde tiver uma pessoa ou cidade vulnerável atuaremos com rigor para alcançarmos os menores níveis da doença", explicou o governador em exercício, Henrique Oliveira.

 

Entre 2015 e 2016, o Amazonas registrou uma redução de 32% nos casos de malária. Conforme relatório da FVS, os investimentos do Governo Estadual tem surtido efeito na redução dos casos. O Amazonas saiu de 74.309 mil casos, em 2015, para 49.928, em 2016. Em torno de 11 municípios amazonenses ainda apresentam 60% dos casos da doença no Estado, sendo que 20% são de territórios indígenas. O diretor-presidente da FVS, Bernadino Albuquerque, ressaltou a importância das ações de combate à doença nessas localidades.

 

"O que vem sendo discutido é um esquema de tratamento que possa facilitar a vida do doente e as áreas de riscos também. Temos a região do alto rio negro ainda com um índice alto, mas estamos com nossos agentes entrando nessas áreas e realizando os trabalhos de prevenção. Para isso, é necessária estratégia específica junto aos Distritos Sanitários de Saúde Indígena em parceria com as demais esferas dos governos estadual, federal e municipal".

 

O Governo do Estado já investiu R$ 4 milhões em equipamentos, insumos estratégicos, como, por exemplo, a distribuição de mosquiteiro impregnado, além da capacitação técnica continuada para que as equipe de endemias fossem estruturadas nos municípios e assim conseguissem fazer uma intervenção efetiva junto a população.

 

Temas - O seminário teve abordagens sobre o ''Contexto Histórico do Controle da Malária no Amazonas", "Prevenção, Controle e vigilância da Malária: Desafios da Gestão, Estratégias para Eliminação da Malária na Região Amazônica", "Proposta do Amazonas de Novo Esquema de Tratamento na Malária", "Protocolo ilustrado de Tratamento de Malária, relato de experiência bem sucedida em Eirunepé".

 

Dados sobre malária - Aproximadamente 80% dos casos de malária no Amazonas são oriundos de 11 municípios. Até março de 2017 foram registrados 12.775 casos da doença, sendo que São Gabriel da Cachoeira é responsável por 2.751 casos (21,53%), Santa Isabel do Rio Negro com 1.781 casos (13,94%), Barcelos com 1.552 casos (12,15%),  Manaus com 1.486 (11,63%),  Guajará com 773 casos (6,05%), Presidente Figueiredo com 483 casos (3,78%), Lábrea    com 356 (2,79%), Coari com 355 casos (2,78%), Careiro da Várzea 270 casos com (2,11%), Humaitá com 268 casos (2,10%) e Atalaia do Norte com 246 casos (1,93%).

O Dia 25 de abril, o Dia Mundial de Luta contra a Malária, foi instituído pela Assembleia Mundial da Saúde em 2007, com a finalidade de reconhecer o esforço global para o controle efetivo da malária.

 

FOTOS: VALDO LEÃO/SECOM



Nenhum comentário

1. O Blog em Destaque reserva-se o direito de não publicar ou apagar acusações insultuosas, mensagens com palavrões, comentários por ele considerados em desacordo com os assuntos tratados no blog, bem como todas as mensagens de SPAM.

Tecnologia do Blogger.