Eike Batista é solto e vai cumprir prisão domiciliar no Rio

O empresário é réu na Justiça Federal do Rio por corrupção ativa, lavagem de dinheiro e organização criminosa
Por Da redação

30 abr 2017, 12h05 - Atualizado em 30 abr 2017, 16h57


Eike Batista chega à sede da Polícia Federal no Rio para prestar depoimento em janeiro de 2017 (Ueslei Marcelino/Reuters)

O empresário Eike Batista, preso no fim de janeiro na Operação Eficiência, um desdobramento da Lava Jato, foi solto na manhã de hoje (30) e já está em casa no Jardim Botânico, na zona sul do Rio de Janeiro. O empresário é réu na Justiça Federal do Rio por corrupção ativa, lavagem de dinheiro e organização criminosa.


Na sexta-feira (28), o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes mandou soltar o empresário. No sábado (29), o juiz federal de plantão, Gustavo Arruda Macedo, do 16º Juizado Especial Federal do Rio de Janeiro, determinou a prisão domiciliar de Eike, que deve obedecer a nove medidas cautelares, entre as quais afastar-se da direção das empresas envolvidas, em especial as do Grupo X, e não manter contato com qualquer pessoa que seja ré ou investigada no processo que tramita na 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro ou em outros processos relacionados à Lava Jato.


Eike Batista deixa Bangu e segue para prisão domiciliar (GloboNews/Reprodução)


Veja também

BrasilJuiz determina que Eike deixe Bangu e cumpra prisão domiciliarquery_builder29 abr 2017 - 22h04

BrasilThor Batista comemora decisão do STF de soltar Eikequery_builder29 abr 2017 - 13h04


Segundo as investigações, Eike teria repassado 16,5 milhões de dólares em propina ao então governador do Rio, Sérgio Cabral, por meio de contratos fraudulentos com o escritório de advocacia da mulher de Cabral, Adriana Ancelmo, e uma ação fraudulenta que simulava a venda de uma mina de ouro, por intermédio de um banco no Panamá. Em depoimento na Polícia Federal, Eike confirmou o pagamento para tentar conseguir vantagens para as empresas do grupo EBX, presididas por ele.



Mansão de Eike Batista onde ele vai cumprir prisão domiciliar (Reprodução/TV Globo)

(Com Agência Brasil)
spacer

A história da argentina que sobreviveu a três naufrágios desastrosos - incluindo o do Titanic

Violet Jessop ganhou o apelido de 'Miss Inafundável' e trabalhou quase a vida toda em embarcações.

Por BBC

30/04/2017 17h32 Atualizado há 6 horas



Violet Constance chegou a trabalhar como enfermeira da Cruz Vermelha em uma das embarcações (Foto: Wikimedia Commons/Public Domain)



As probabilidades de estar em duas das maiores catástrofes náuticas da história parecem remotas. E ainda mais remota a possibilidade de alguém conseguir sobreviver a ambos os eventos e ainda assim seguir navegando.


Mas Violet Jessop conseguiu e, por isso, ganhou o apelido de "Senhorita Inafundável" no início do século 20.


Ela era tripulante de três das maiores embarcações das primeiras décadas de 1900 quando os navios sofreram acidentes - alguns trágicos. Jessop trabalhava como camareira ou enfermeira no naufrágio dos navios da maior, mais moderna e luxuosa frota da época: o Olympic, o Titanic e o Britannic.




Trajetória





Nesse estaleiro de Belfast foram construídos o Olympic, oTitanice o Britannic, que aparece na foto (Foto: Wikimedia Commons/Public Domain)


No primeiro desastre, ela viajava no transatlântico britânico RMS Olympic quando a embarcação colidiu com um navio de guerra na costa do Reino Unido em 1911. Conseguiu sobreviver, apesar dos danos sérios causados à embarcação.


Longe de evitar a navegação, no ano seguinte ela voltou a subir a bordo de outro cruzeiro enorme, talvez o mais famoso dos últimos tempos (apesar de ter navegado por poucos dias): o RMS Titanic. E não parou por aí.


Ela tinha 24 anos quando se envolveu em um dos desastres marítimos mais lembrados da história - quando o Titanic afundou no mar gelado do Atlântico somente quatro dias depois de começar sua viagem inaugural, em 15 de abril de 1912.



Incrivelmente, ela também sobreviveu e não ficou entre as mais de 1,5 mil vítimas.


E mais uma vez, ela seguiu fazendo viagens marítimas, e seguiu se envolvendo em naufrágios.


Em 1916, em plena primeira Guerra Mundial, ela se alistou como enfermeira da Cruz Vermelha a bordo do HMHS Britannic, um transatlântico convertido em um navio hospital que navegava pelo Mar Egeu quando foi atacado pelos alemães.


O barco afundou em menos de uma hora. Mas Violet Jessop também viveu para contar essa história.




Quem era essa mulher?




Os pais de Jessop eram irlandeses que chegaram à Argentina em uma onda imigratória no final do século 19.


Jessop nasceu no dia 2 de outubro de 1887 perto de Bahía Blanca, no sul da província de Buenos Aires, onde o pai trabalhava como pastor de ovelhas.


Ela era a mais velha de seis irmãos. Tinha um espírito lutador e teve a resistência testada desde criança: ainda pequena contraiu tuberculose e os médicos lhe deram três meses de vida.


A família inteira se mudou para a província de Mendoza, no oeste, sobre a cordilheira dos Andes, para que o clima ajudasse na recuperação dela.


E ela melhorou - algo considerado milagroso na época.


Mas o pai logo morreu e depois do falecimento dele, a mãe decidiu levar a família para a Inglaterra, onde conseguiu trabalho como camareira na companhia de navegação Royal Mail Line.


Quando a mãe começou a ter problemas de saúde, Jessop - já com 21 anos de idade - buscou trabalho para manter a família e conseguiu uma vaga similar a da mãe, na mesma empresa.


Foi assim que começou a relação dela com os barcos.




Atados pelo destino




Mas a história reservaria a Jessop uma conexão muito particular com três navios específicos: as estrelas da companhia de navegação White Star Line, onde ela começou a trabalhar em 1908.


Os navios Olympic, Titanic e o Britannic eram três "barcos irmãos" da classe Olympic, criados quase da mesma forma. E o destino dos três também seria muito parecido - e infeliz.


O primeiro, o RMS Olympic, teve a melhor sorte. Inaugurado em maio de 1911 com grande pompa como o maior barco da sua época - ele tinha 30 metros a mais que os rivais próximos - o Olympic quase teve um final desastroso poucos meses depois da estreia.


Em setembro de 1911, a embarcação se chocou contra o navio de guerra HMS Hawke na costa da Inglaterra - o acidente perfurou o casco e danificou a hélice do Olympic, mas não houve feridos e o cruzeiro retornou ao porto de Southampton.


O capitão do transatlântico era um homem chamado Edward John Smith, que no ano seguinte ganharia fama por capitanear o barco que chegou para ofuscar o Olympic: o admirado RMS Titanic, ainda maior e mais luxuoso que o caçula.


Em um caderno de memórias que escreveu sobre suas experiências - que depois de sua morte seriam publicadas com o título de Titanic Survivor ("Sobrevivente do Titanic", em tradução livre), Jessop contou que era feliz trabalhando no Olympic, e que não queria mudar de embarcação.


Mas os amigos e familiares, maravilhados com o luxo e a magnificência do Titanic acabaram a convencendo.




Titanic





Violet foi uma das sobreviventes do naufrágio do Titanic (Foto: National Museums Northern Ireland)


E foi assim que a jovem de 24 anos passou a ser uma de somente 23 mulheres que integravam a tripulação da trágica viagem inaugural do Titanic.


Em suas memórias, ela recordou o que aconteceu depois da colisão e como sobreviveu ao naufrágio.


"Me mandaram ir para o convés. Os passageiros passeavam tranquilos. Eu e as outras camareiras observamos como as mulheres se agarravam a seus maridos antes de serem colocadas nos botes salva vidas com os filhos", afirmou.


"Algum tempo depois, um oficial ordenou que nós entrássemos no bote número 16 para mostrar às mulheres que era seguro".


Ao entrar no bote, lhe entregaram um bebê que ela segurou contra o colete salva vidas de cortiça por horas para evitar que morresse congelado, até que chegou o RMS Carpathia para salvá-los.


Já a bordo do novo navio, apareceu uma mulher - que Violet supôs ser a mãe da criança - e pegou o bebê.


Violet Jessop e outros 704 sobreviventes foram levados à Nova York, nos Estados Unidos.




'Britannic'




Essa experiência dramática também não a afastou do mar. Jessop seguiu trabalhando como camareira para a mesma empresa.


A conexão dela com o terceiro "barco irmão" da classe Olympic, o Britannic - que começou a navegar em 1914 - chegou com a Primeira Guerra Mundial.


O mais jovem dos cruzeiros, que assim como seus semelhantes havia sido criado com a intenção de unir a Europa com os Estados Unidos, nunca chegou a cruzar o Atlântico.


O governo britânico o transformou em um navio hospital e Violet se juntou aos tripulantes - dessa vez como enfermeira da Cruz Vermelha.




Sobrevivente mais uma vez




Em novembro de 1916, o barco navegava pelo mar Egeu na altura do canal de Kea, na Grécia, quando houve uma explosão.


A imprensa britânica da época relatou que o barco havia sido alcançado por torpedos alemães, mas muito afirmam que a embarcação teria batido contra uma mina.


O barco afundou em 55 minutos, três vezes mais rápido que o Titanic, apesar de todas as precauções que os engenheiros navais tomaram para fazer com que a embarcação fosse mais segura.


Desta vez, Jessop não conseguiu escapar em um bote salva-vidas, já que o seu e o de outros foram sugados pelas hélices do barco. Ao tentar se lançar ao mar, ela bateu a cabeça, mas foi resgatada.


Ela atribui o milagre à abundante cabeleira de cor castanha, porque a tiraram da água a içando pelos cabelos.


O incidente deixou 30 pessoas mortas, mas a maioria sobreviveu. O desastre só não foi maior porque o barco estava indo em busca de feridos e ainda não transportava vítimas.


Antes de se aposentar, ela trabalhou ainda mais uma vez no Olympic, que depois do primeiro incidente não voltou a sofrer problemas graves e foi o único dos três irmãos que não terminou embaixo do mar.


Em 1926, ela mudou de navio e trabalhou para a Red Star Line, voltando alguns anos depois ao primeiro lugar de trabalho: a Royal Mail Line.




Adeus





Em 1998, depois do sucesso do filme 'Titanic', os sobrinhos de Violet decidiram publicar suas memórias sobre os acidentes (Foto: Reprodução/Amazon)


Em 1945, após o final da Segunda Guerra Mundial, ela deixou os barcos por uma vaga como secretária. Mas, em 1948, com 61 anos de idade, voltou a navegar por mais dois anos até se aposentar, em 1950.


Depois de 42 anos de relação com o mar, Jessop se mudou para uma casa de campo em Suffolk, um condado no leste da Inglaterra.


Embora tenha se casado aos 40 anos com um marinheiro, a relação durou pouco tempo e ela não teve filhos. Mas as memórias dela foram eventualmente publicadas por sobrinhos, em 1998.


Jessop viveu até 1971, quando uma insuficiência cardíaca conseguiu aquilo que três desastres em alto mar não conseguiram. Ela tinha 84 anos.

spacer

Rocam prende oito membros da FDN com armas de grosso calibre e munições

A Polícia Militar, através do 2° Batalhão de Choque/ Rondas Ostensivas Cândido Mariano (2º BPCHQ/ROCAM), realizou, na madrugada desta sábado, dia 29 de abril, a maior apreensão de armas de fogo do ano, em Manaus. Na ocasião, os policiais militares prenderam oito pessoas, que seriam integrantes da facção Família do Norte (FDN), a quem pertenceria o armamento.

 

A prisão da quadrilha no bairro Amazonino Mendes, na zona Norte da Cidade. A viatura Rocam de Número 233, em patrulhamento, recebeu informações através do Whatsapp Denúncia Rocam, de que, na Rua Bela Vista, bairro Amazonino Mendes, havia três pessoas portando armas de fogo pesadas em um veiculo modelo Gol, de cor cinza e placa JXS-6028, quando os policiais se deslocaram para o local.

 

Na rua indicada, os policiais da Rocam avistaram o veículo e iniciaram a abordagem dos que estavam em seu interior, Márcio Orlan Silva de Jesus, 26 anos, Rafael Pinheiro Reis, 25 anos, e Edvilson de Almeida de Oliveira, 23 anos. Com eles, primeiramente, os policiais encontraram uma pistola de calibre .40, arma de uso exclusivo das Polícias Civil, Militar e Rodoviária Federal e das Forças Armadas.

 

Após os militares questionarem a origem do armamento, eles obtiveram informações que os levaram a outras diligências, com apoio de outras equipes da Rocam, e chegaram às residências de N° 3 e N° 3A, na rua Bela Vista, onde foram encontradas mais três pistolas de calibre .40, dois revólveres calibre .38, uma submetralhadora calibre 9mm, duas espingardas calibre 12, 11 munições calibre 12, 20 munições de calibre 9mm, 44 munições de calibre .40, uma granada, um colete balístico e três rádios comunicadores.

 

Nas residências diligenciadas, os policiais da Rocam encontraram Eliel Costa Apolinário, 21 anos, Gabriel Costa Apolinário, 18 anos, Valdison Soares da Silva, 29 anos, Ezequiel Silva Santiago, 20 anos e Ewerton Andrade de Souza, de 19 anos. Todos os oito presos pela polícia informaram, durante a ação policial, que são integrantes da facção criminosa Família do Norte (FDN) e atuavam como seguranças das bocas-de-fumo do bairro Amazonino Mendes, além de cometerem assaltos pela cidade.

 

Os infratores foram conduzidos para o 6° Distrito Integrado de Polícia (DIP), no bairro Cidade Nova, para os procedimentos legais.

 

FOTOS: DIVULGAÇÃO/PMAM

spacer

Enchente evolui e Defesa Civil do Amazonas coloca novos municípios em Situação de Alerta


A Defesa Civil do Amazonas incluiu hoje, 28, na lista de "Situação de Alerta" 20 novos municípios das calhas do Médio Solimões e Médio Amazonas, e coloca em "Atenção",  mais quatro cidades das calhas do Madeira e Negro incluindo Manaus. Além disso, o órgão analisa decretos de Emergência de pelo menos quatro municípios afetados pela enchente.

 

"O desastre está evoluindo gradualmente e a Defesa Civil do Estado, que está trabalhando na minimização dos impactos, enviará técnicos para as calhas mais prejudicadas no intuito de avaliar os possíveis danos e agilizar o processo de decretação de Emergência caso seja necessário", disse o Secretário Executivo da Defesa Civil do Amazonas, coronel Fernando Pires Júnior.

 

Situação de Alerta- Em Alerta entraram Jutaí, Coari, Fonte Boa, Uarini, Alvarães, Tefé, Codajás, Manacapuru, Iranduba, Anori, Maraã, Careiro Castanho,  Anamã e Manaquiri todos na calha do Médio Solimões. Da calha do Médio Amazonas foram incluídos Itacoatiara, Autazes, Silves, Itapiranga, Urucurituba, e ainda, Careiro da Várzea localizado na calha do Amazonas.

No caso de Envira, na calha do Juruá, que estava em Situação de Alerta, o nível do rio voltou ao normal e o município saiu da lista de enchente do órgão.

 

Situação de Atenção- Passaram a integrar a lista de Atenção Borba e Nova Olinda do Norte localizados no Baixo Madeira e na calha do Negro, Novo Airão e Manaus.

 

Análise de decretos- Benjamin Constant e Atalaia do Norte no Alto Solimões, Caapiranga, localizado no Baixo Solimões e Juruá, na calha do Juruá, decretaram Situação de Emergência por conta da enchente, mas os processos estão em análise na Defesa Civil AM.

 

Visita Anamã- Técnicos da Defesa Civil AM serão deslocados nos próximos dias para a cidade de Anamã, na calha do Médio Amazonas, para analisar os impactos da enchente, as ações de resposta à população e ainda a documentação para processo do decreto de Emergência, se for o caso.

 

 

BALANÇO ENCHENTE / 2017

 

*SITUAÇÃO DE EMERGÊNCIA

(Famílias afetadas nos 06 municípios em Emergência: 10.530)

 

1 - Guajará (calha do Juruá)

2 – Ipixuna (calha do Juruá)

3- Eirunepé (calha do Juruá)

4 - Itamarati (calha do Juruá)

5- Carauari (calha do Juruá)

6- Canutama (Purus)

 

Obs: Decretação pelo município, em fase de análise pela Defesa Civil do Estado.

 

7- Benjamin Constant (Alto Solimões) novo

8- Atalaia do Norte (Alto Solimões) novo

9- Caapiranga (Baixo Solimões) novo

10- Juruá (Juruá) novo

 

*SITUAÇÃO DE ALERTA

 

1-Tabatinga (calha do Solimões)

2- São Paulo de Olivença (calha do Solimões)

3- Amaturá (calha do Solimões)

4- Santo Antônio do Iça (calha do Solimões)

5- Tonantins (calha do Solimões)

6- Parintins (calha do Baixo Amazonas)

7- Barreirinha (calha do Baixo Amazonas)

8- Nhamundá (calha do Baixo Amazonas)

9- Urucará (calha do Baixo Amazonas)

10- Boa Vista do Ramos (calha do Baixo Amazonas)

11- Maués (calha do Baixo Amazonas)

12-São Sebastião do Uatumã (calha do Baixo Amazonas)

13- Jutaí (calha do Médio Solimões)  novo

14- Coari (calha do Médio Solimões) novo

15- Fonte Boa (calha do Médio Solimões)  novo

16- Uarini (calha do Médio Solimões)  novo

17- Alvarães (calha do Médio Solimões)  novo

18-Tefé (calha do Médio Solimões) novo

19-Codajás (calha do Médio Solimões) novo

20-Manacapuru (calha do Médio Solimões) novo

21-Iranduba (calha do Médio Solimões) novo

22-Anori (calha do Médio Solimões) novo

23-Anamã (calha do Médio Solimões) novo

24-Manaquiri (calha do Médio Solimões) novo

25- Itacoatiara (calha do Médio Amazonas) novo

26- Autazes (calha do Médio Amazonas) novo

27-Silves (calha do Médio Amazonas) novo

28- Itapiranga (calha do Médio Amazonas) novo

29-Urucurituba (calha do Médio Amazonas) novo

30- Maraã (Médio Solimões) novo

31- Careiro da Várzea (Amazonas) novo

32- Careiro Castanho (Médio Solimões) novo

 

*SITUAÇÃO DE ATENÇÃO

 

1- Manaus- (Negro) novo

2- Novo Airão- (Negro) novo

3- Borba (Baixo Madeira) novo

4- Nova Olinda do Norte (Baixo Madeira) novo

 

*SITUAÇÃO DE EMERGÊNCIA "DESLIZAMENTO DE TERRA"

1- Manacapuru (calha do Baixo Solimões)  –Status: Atendido

2- Tefé (calha do Médio Solimões) – Status: Atendido

 

Famílias afetadas: 121

spacer

Segundo Barco PAI ‘Todos pela Vida’ vai beneficiar mais de 22 mil pessoas na calha do Purus

Inaugurado pelo governador do Amazonas, professor José Melo, na tarde desta sexta-feira, 28 de abril, o barco PAI "Todos pela Vida II" zarpou rumo aos seis municípios do da calha do Purus, onde deverá beneficiar mais de 22,5 mil pessoas e prestar cerca de 90 mil atendimentos para comunidades indígenas e ribeirinhas.

Esta é a segunda embarcação do Programa de Atendimento Itinerante (PAI) a entrar em operação e terá como destino as cidades de Boca do Acre, Pauini, Lábrea, Canutama, Tapauá e Beruri e suas 22 comunidades. Com a presença do vice-governador Henrique Oliveira, a inauguração aconteceu no estaleiro Juruá Estaleiros e Navegação, localizado na estrada do Brito, KM 1, no Cacau Pirera, Iranduba (a 27 quilômetros de Manaus).

De acordo com o governador, a exemplo do primeiro barco, que está em expedição pela calha do Juruá desde março, esta nova embarcação pode superar as expectativas em relação ao atendimento. "Nossa meta inicial com o primeiro barco era realizar cerca de 12 mil atendimentos, mas hoje o Todos Pela Vida contabiliza mais de 30 mil atendimentos já realizados em sua primeira viagem. Esses números só confirmam a necessidade e a decisão acertada do nosso governo em investir nesse atendimento itinerante. Só em Envira foram feitos 18 mil", afirmou Melo.

Com a ida do barco para a região, a população terá acesso a 32 tipos de serviços nas áreas de cidadania, saúde, justiça e assistência social, dois a mais que da primeira vez, com novidades como a inclusão do Calendário Nacional de Imunização com 13 vacinas, exames para o diagnóstico de doenças de pele, hanseníase, Doenças Sexualmente Transmissíveis – DST/AIDS e problemas cardíacos e o cadastramento da biometria feita pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

 

José Melo falou ainda da prioridade do roteiro adotado pelo programa no interior. "Escolhemos o Juruá e o Purus para começar, pois são as regiões em que o Índice de Desenvolvimento Humano é menor. Por isso, não poupamos esforços para levar estes serviços para a nossa população do interior", completou.

 

Revitalização das embarcações – A reforma é um investimento do Fundo de Promoção Social (FPS). Ao todo, foram destinados R$ 7 milhões para a revitalização das três embarcações que realizam atendimento fluvial de cidadania, saúde, justiça e assistência social no interior. A coordenação é da Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc).

 

O Barco PAI "Todos pela Vida I" está em expedição pelos municípios da calha do Juruá desde março e já fez mais de 30 mil atendimentos. A terceira embarcação está em fase de obras e tem inauguração prevista para o dia 15 de maio.

 

Serviços – Com os barcos "Todos pela Vida", o Governo do Amazonas facilita o acesso da população a uma gama de serviços e benefícios sociais, desenvolvendo ações de interesse estratégico para a melhoria da qualidade de vida e alcançando quem mora em regiões de difícil acesso. Na área de cidadania, é possível emitir documentos como RG, CPF, Carteira de Trabalho, Certidão de Nascimento, alistamento militar, Rani (Identidade Indígena) e fazer regularização previdenciária. São instrumentos que garantem inclusão em uma série de programas de proteção social, desenvolvimento socioeconômico, além da própria obtenção da aposentadoria.

Na área de saúde, serviços inéditos estão sendo oferecidos. O barco conta com a Citologia em Meio Líquido, exame preventivo para mulheres mais moderno e preciso no diagnóstico de lesões pré-cancerosas no colo do útero, a entrega de mosquiteiros impregnados de inseticida para o combate à malária e a doação de cadeiras de roda, muletas, bengalas e kits dormitórios para pessoas com deficiência.

Consultas com médicos, dentistas e oftalmologistas – com a entrega posterior dos óculos feitos sob medida, exames de ultrassonografia, transvaginal e a manutenção de uma farmácia para a entrega de remédios à população.

No Barco PAI "Todos pela Vida II" foram incluídos serviços novos na área de saúde. Haverá equipes de plantão para triagem dermatológica com atenção especial para a hanseníase, testes rápidos para identificação de DST/AIDS, e a disponibilização das vacinas do Calendário Nacional de Imunização, composto por 13 vacinas, como as contra a febre amarela, o HPV, a meningite e a hepatite B. Também é a primeira vez que o barco realiza o ecocardiograma, exame que identifica doenças do coração, e o exame sintomático respiratório para reconhecimento da tuberculose.

Roteiro de viagem – Na calha do Purus, a expedição do barco PAI "Todos pela Vida II" vai durar três meses, com atendimentos em seis cidades e 22 comunidades ribeirinhas e indígenas. A primeira parada será em Boca do Acre, no dia 11 de maio. Depois, o barco seguirá levando os serviços para as cidades e comunidades de Pauini (19 a 29/05), Lábrea (30/05 a 10/06), Canutama (23/06 a 11/07), Tapauá (02 a 12/07) e Beruri (13/07 a 01/08).

Em Boca do Acre, o atendimento acontecerá na sede e na comunidade Camicuã (18/05). Em Pauini, além da sede do município, os serviços serão levados às comunidades Boca do Mapiá (19/05), Vitória do Afogado (20/05), Kanakury (21/05) e Ajuricaba (29/05).

Na cidade de Lábrea, o Barco PAI "Todos pela Vida II" vai ancorar nas comunidades Santa Fé (30/05), Bela Rosa (31/05), Cachoeira do Hilário (01/06), Cacau (02/06) e Marahã (03/06). Em Canutama, haverá atendimento nas comunidades de Belo Monte (30/06) e Ribeirão (11/07). Já em Tapauá, a embarcação atuará nas comunidades da Foz do Tapauá (02/07) e Beabá (12/07).

 

FOTOS: BRUNO ZANARDO/SECOM


spacer

Seleção Amazonense de Judô conquista 51 medalhas

Os judocas amazonenses elevaram o nome do Amazonas ao topo do esporte nacional. Isso porque, a delegação conquistou, no último final de semana, 51 medalhas no Campeonato Brasileiro Região 1, sediado em Marituba, no Pará. Ao todo, foram 12 de ouro, 7 de prata e 8 de bronze, tornando-se campeão geral no masculino com 27 medalhas, além de 4 de ouro, 8 de prata e 12 de bronze pela feminino. O Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel), cedeu 70 passagens áreas para a delegação.

 

De volta a Manaus, os atletas começaram a revelar a saga para ficar - pela primeira vez - à frente dos estados como Maranhão, Ceará, Pará, Piauí, Amapá e Roraima, concorrentes diretos na disputa. Vale ressaltar, que o expressivo resultado garantiu vaga para 31 judocas do Amazonas para as etapas do Campeonato Brasileiro 2017, que acontecem em todo o Brasil.

 

"Essa foi a maior delegação que já viajou para um Brasileiro Região 1. Essa competição serve como seletiva para o Brasileiro e era fundamental uma participação massiva dos nossos atletas e, graças a Deus, isso aconteceu. Nunca tínhamos conquistado uma competição nacional geral e agradecemos todo o apoio", disse o treinador, Gláucio Mendonça, honrado com os resultados da turma.

 

"Tivemos estados tradicionais como o Piauí, que tem uma campeã olímpica, também disputamos contra o Maranhão, que tem trabalhos mais consistentes, e hoje ficou provado que o nosso trabalho tem dado frutos. Hoje dominamos nossa região e a perspectiva é sempre melhorar", afirmou.

 

Em ação - As judocas da Associação Lassalista, Greyce Keli, 18, Kamylle Santos, 15, e Mikaela Queiroz, 18, retornaram aos treinos nesta quinta-feira, dia 27, depois de juntas conquistarem cinco medalhas no Brasileiro Região 1. Em 'ação', as atletas mostraram orgulhosas as quatro pratas e uma dourada que as credenciaram a disputar a etapa nacional, no próximo mês, na Bahia.

 

"Foi muito complicado conquistar o ouro no Sub-21 médio (-70kg), porque minha adversária tinha muita força e consegui vencer no golden score. Nas minhas duas primeiras lutas ganhei por ippon, na terceira foi por finalização e na final contra a cearense venci por wazari. Acredito que ela cansou a mente e consegui vencer. Minha prata na Sênior meio pesado (‐78kg) já foi mais difícil, enfrentei uma lutadora que já fez parte da seleção e acabei passando para a final. Enfrentei uma adversária pesada e acabei não conseguindo o ouro e fiquei com a prata. Tentei e fiquei feliz com o resultado", contou Greyce Keli.

 

Com 15 anos, a judoca Kamylle Santos conquistou duas pratas no Sub-21 feminino pesado (+78kg) e no Sub-18 feminino pesado (+70kg). Com lutas difíceis na final, a atleta amazonense esbarrou na paraense Nathalia Reis. "Primeiro teve as lutas do Sub-21, que não é minha categoria, mas lutei com meninas mais velhas e foi muito difícil. Nas duas finais fiquei com a prata, enfrentei uma paraense que pesava 25 quilos a mais que eu e não consegui a vitória, mas estou feliz por ter conquistado a vaga no Brasileiro", disse.

 

Há 10 anos no judô, Mikaela Queiroz conquistou a prata na categoria Sênior feminino meio médio (‐63kg). A derrota para a maranhense Brenda Barbosa não ofuscou o brilho e a felicidade da jovem. "É uma sensação muito boa, ótima. Levei para a minha família e todos estão orgulhosos. Agora é focar no Brasileiro na Bahia para trazer mais medalhas", comentou.

 

Quem contribuiu para aumentar o quadro de medalhas douradas do masculino foi Rafael Barbosa, 23. O lutador da Associação Barbosa venceu o amapaense Júlio Vilhena, na final da categoria sênior ligeiro (-60kg). "Foi a primeira vez que eu participei de um brasileiro regional. Foram dois dias de competição e para eu conquistar o ouro fiz quatro lutas, ganhando três por ippon. Foi uma competição muito boa e teve muita gente lutando", disse.

 

Com ippons e wazaris, Carolynne Hernandez, 20, trouxe um ouro - dos quatro conquistados - no feminino. Derrubando as atletas do Pará e duas do Amapá, a bicampeã brasileira encerrou a luta final contra a cearense Emília Lopes, após aplicar um ippon na rival e conquistar o topo do pódio na categoria sênior feminino ligeiro (‐48kg).

 

"Estou muito feliz. É a sexta vez que ganho o Brasileiro Regional. Não lutava há uns quatro anos, já que o Amazonas não participou nos anos anteriores. Estava com uma expectativa muito grande, pois essa competição vale pontos para a seletiva olímpica, e graças a Deus consegui", afirmou.

spacer

Programa Saúde na Escola promove caminhada contra o Aedes aegypti em Benjamin Constant

Por Olivaldo Bruno, Assessor de Comunicação.

As coordenações municipais do Programa Saúde na Escola (PSE) - vinculadas as Secretarias de Saúde (SEMSA) e Educação (SEMED), em conjunto com a Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino (SEDUC), promoveram nesta sexta-feira (28/04) uma caminhada pelas principais ruas de Benjamin Constant. O ação marcou o encerramento de atividades de combate ao mosquito Aedes aegypti, desenvolvidas nas escolas durante a semana.

Alunos da rede de ensino municipal, participaram durante a semana de palestras sobre o mosquito que transmite as doenças da Dengue, Chikungunya e Zica Vírus. As apresentações foram realizadas nas escolas Professora Graziela Corrêa de Oliveira, Olavo Bilac e Cosme Jean e contou com a participação especial do palestrante Professor José Moacir da Silva Maia.

A passeata teve início às oito horas da manhã na Praça Frei Ludovico e seguiu pelas Ruas Getúlio Vargas, Praça da Bandeira e Avenida Castelo Branco, com encerramento em frente ao prédio da SEMSA. A ação promovida pela coordenação do PSE, com a parceria da Prefeitura de Benjamin Constant através da SEMSA e SEMED, atraiu a atenção do público para a necessidade do combate ao mosquito Aedes Aegypti. A caminhada reuniu grande número de estudantes que juntos chamaram a atenção dos populares às medidas de prevenção.
O objetivo da mobilização, como enfatizou a enfermeira Fernanda, é a sensibilização dos alunos e da população em geral, para que incentivem outras pessoas como familiares e conhecidos para a prevenção e, estendam a campanha ainda mais. "Estamos encerrando as atividades de divulgação do combate ao mosquito Aedes Aegypti, que aconteceu durante toda a semana nas escolas públicas municipais, com esta caminhada. Quero agradecer a todos os envolvidos nesta campanha de combate ao mosquito Aedes, a todos os parceiros nesta caminhada, pois a conscientização da população é a melhor maneira nesse combate", enfatizou.

Participaram da caminhada as coordenadoras Gisely Freitas da Rocha (PSE-SEMED), Fernanda Peres Braga (PSE-SEMSA), o coordenador local do PSE-SEDUC, Valber Felix Ipuchima, técnicos e funcionários da secretaria de saúde, professores e alunos das escolas municipais. O movimento visa sensibilizar a comunidade escolar e a população sobre a necessidade do combate ao mosquito transmissor de doenças.

spacer

TEUS PROBLEMAS SIGNIFICAM QUE DEUS NÃO TE AMA?


O que é maior: o problema que você está enfrentando ou o amor que o Senhor tem por você? Os problemas que surgem na tua vida não evidenciam que você não é amado por Deus... Os problemas que você enfrenta debaixo da Graça de Deus não são para tua punição mas para que o nome d'Ele seja glorificado em tua vida.  O amor dele vai te dar a sabedoria e a graça suficiente para você vencer. (leia Rm 8.35-35).

Absolutamente nada é maior do que o amor de Deus por você. Jesus demostrou esse grande amor quando ele mesmo entregou sua vida por você. Ele se fez maldição para que você se tornasse justiça, ele foi rejeitado para que você fosse amado. Quando você se apega ao amor de Deus, tua esperança é renovada.
spacer

Em Coari, homem é morto ao tentar assaltar mercadinho com arma de brinquedo

quinta-feira 27 de abril de 2017 - 5:49 PM
Jucélio Paiva / portal@d24am.com
O suspeito, que não teve o nome divulgado, usava uma camisa de mototaxista.Foto: Divulgação/PM
Manaus –Valdemir de Souza Lisboa, 36, conhecido como Bad Boy, foi morto a tiros ao tentar assaltar um mercadinho com uma arma de brinquedo, na tarde desta quinta-feira (27), em Coari (a 363 quilômetros de Manaus). A informação foi confirmada pelo major Pedro Moreira, comandante do o 5º Batalhão da Polícia Militar (BPM) do município.
Conforme informações do cabo Enos, do 5º BPM, o crime foi por volta das 12h30, em um mercadinho localizado no bairro da Liberdade. O cabo relatou que a polícia ainda não tem informações sobre o autor dos disparos.
O suspeito usava uma camisa de mototaxista. Segundo o cabo Enos, ele chegou ao mercadinho e anunciou o assalto com uma arma de brinquedo.
“Alguém, dentro da loja, percebeu que era uma arma falsa e atirou contra o suspeito. Recolhemos a arma e entregamos na delegacia”, disse.
O homem ainda foi encaminhado para o hospital de Coari, mas não resistiu.
De acordo com o major Pedro Moreira, o homem foi morto com um tiro de espingarda. 
spacer

Globo obriga jornalistas a trabalharem para a TV paga e gera revolta

27/04/2017


João Almeida




Repórter Rodrigo Carvalho. Foto – reprodução/TV Globo.




Uma nova determinação do diretor-geral de jornalismo da Globo, Ali Kamel, tem deixado muitos repórteres da Globo e Globo News de cabelo em pé.





É que, segundo o “decreto” baixado por Kamel, todo repórter e correspondente da emissora carioca deverá produzir também para o canal pago GloboNews. E vice-versa.


Tal medida foi comunicada aos profissionais via e-mail interno. E o óbvio aconteceu: vários jornalistas, principalmente os veteranos, reclamaram para os mais próximos, inclusive colegas e chefes imediatos.


Eles alegaram que vão ter que trabalhar mais sem ganhar nada a mais por isso e que ficarão mais tempo nas transmissões ao vivo. Além disso, eventualmente, terão que fazer duas versões de uma mesma reportagem, para a Globo e para a emissora fechada de notícias do mesmo grupo, o que pode precarizar a produção.


Ao que parece, os que mais reclamaram de tal novidade jornalística foram Ilze Scamparini, de Roma, e Rodrigo Alvarez, de Berlim. Eles também não participaram da cobertura das últimas eleições da França, no domingo passado.


Vale dizer que, em mais de cinco anos, nenhum repórter da GloboNews participava do SPTV 1ª Edição, mas esse regime foi quebrado na última terça, quando Mitchel Diniz falou sobre roubo de motos em São Paulo.


Procurada, a Globo alegou que “a integração e participação dos correspondentes nos dois canais não é recente” e também que “é inclusive pedida pelos jornalistas”.


O canal negou uma possível turbulência com Ilze Scamparini e Rodrigo Alvarez, que teriam inclusive, por-email, lamentado “não terem conseguido entrar (na GloboNews) por questões internas”.


Outra curiosidade gerada a partir dessa nova regra no departamento de jornalismo foi a participação, na última quinta-feira, 20, do repórter Rodrigo Carvalho no Jornal Nacional, falando sobre o tiroteio ocorrido na avenida Champs Elysees, em Paris.


Ele voltou a aparecer na Globo no domingo, no Fantástico, cobrindo as eleições da França.

Repórter Mitchel Diniz. Foto – reprodução/TV Globo.




Com informações do site Notícias da TV.
spacer

Rocam detém quadrilha que realizava assaltos a coletivos em Manaus

LEGENDA: A Rocam encontrou três armas e 500 gramas de substância entorpecente com os infratores, que foram detidos na zona norte.

A equipe de Policiais Militares da Ronda Ostensiva Cândido Mariano (Rocam), da viatura 6971, desarticulou, na tarde desta quinta-feira (27), uma quadrilha envolvida em assalto a coletivos na cidade de Manaus. O grupo foi preso e com eles foram encontradas três armas e 500 gramas de substância entorpecente. Os infratores foram presos na zona norte de Manaus.

Durante patrulhamento pela área Norte de Manaus, a guarnição recebeu informação através do "WhatsApp Denúncia ROCAM" de que, na avenida Samaúma, em frente ao SPA do bairro Monte das Oliveiras, uma mulher de camisa vermelha estaria portando uma arma de fogo. A equipe se deslocou até o local e confirmou o fato. Com Viviane Souza do Nascimento, 18 anos, foi encontrado um revolver de calibre 38.

 

Após ser questionada sobre o armamento, Viviane informou que fazia parte de um bando que praticava assaltos em coletivos na cidade e que iria entregar a arma na casa de Vanderson Silva e Silva, 22 anos. Diante das informações da mulher sobre o paradeiro dos outros três companheiros de crimes, a Rocam se deslocou para os locais e encontrou Vanderson em sua residência, portando uma arma caseira de calibre 16, e na casa de Breno Caio dos Santos Brito, 20 anos, foi encontrado aproximadamente 500 gramas de maconha tipo Skank e de na casa de Victor Gabriel Fernandes, 18 anos, uma porção de entorpecente, supostamente oxi e uma arma caseira tipo espingarda.  

 

Os detidos confirmaram que participavam de roubos a coletivos e venda de entorpecente em vários pontos da cidade de Manaus. A quadrilha foi conduzida ao 15°DIP para os procedimentos legais.

FOTO: PMAM


spacer

Foi acessar o seu Gmail e notou uma mudança no login? Entenda a novidade


Do UOL, em São Paulo 
  • Reprodução
    Mudança na tela de login do Google
    Mudança na tela de login do Google
Você reparou a página de login do Google mudou? A mudança foi mais estética --ou, como a empresa diz, trouxe uma aparência "mais limpa e simples" e "deixa o processo mais rápido".
Concorda?
Mas a mudança não teve grandes alterações na funcionalidade. A única diferença é que agora os campos de e-mail e senha ficam na mesma página. 
A nova cara do Google já começou a aparecer para algumas pessoas, tanto nos navegadores dos computadores, quanto nos aplicativos de smartphones e tablets.
Se você ainda não está visualizando o novo formato, talvez precise atualizar o navegador. 
Reprodução
 
Reprodução

spacer

Fundação de Medicina Tropical inscreve pacientes com HIV em novo teste t



MANAUS


27/04/2017 às 16:20



Paulo André NunesManaus (AM)

Para participar dos testes - que já estão em andamento - os voluntários devem estar na faixa etária de 40 a 75 anos e fazendo tratamento contra HIV, no mínimo, há seis meses


Os testes do tratamento inédito para prevenção de doenças cardíacas (ataque cardíaco e derrame cerebral) em pessoas que vivem com HIV, anunciado hoje pela Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD), vão dar a oportunidade a 120 pessoas do Amazonas, portadoras do vírus, de levar uma vida melhor.

A novidade consiste no uso, por pessoas com HIV, de uma medicação chamada Pitavastatina, que integra um grupo de medicamentos que tem na composição a estatina e que é utilizada para o controle do colesterol.

Para participar dos testes - que já estão em andamento - os voluntários devem estar na faixa etária de 40 a 75 anos e fazendo tratamento contra HIV, no mínimo, há seis meses. Os interessados em fazer parte do estudo podem obter maiores informações pelos telefones 98181-9272, 99302-9272 ou 2127-3577 ou dirigir-se até o setor de Enfermaria de Pesquisa Clínica da FMT-HVD, localizado na avenida Pedro Teixeira, 25, bairro Dom Pedro, Zona Centro-Oeste da cidade.

A FMT-HVD é uma das oito instituições do Brasil a participar da pesquisa, que é inédita no mundo. Os testes do novo tratamento deverão abranger 6.500 mil voluntários em todo o Planeta. Além do Brasil, estão participando da pesquisa, denominada “Estudo randomizado para prevenir eventos vasculares em HIV (REPRIEVE)”, países como Estados Unidos, Porto Rico, África do Sul, Botswana e Tailândia.

No Brasil, além de Manaus, participam do estudo centros de pesquisas do Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais.

Os 120 voluntários de Manaus vão passar a ser acompanhados por um período de até cinco anos para verificar se a medicação, de fato, previne contra as doenças cardiovasculares em pessoas com HIV.

“Se confirmada a redução do risco, a expectativa é que o Ministério da Saúde indique esse medicamento para pacientes com HIV”, ressaltou Marcus Lacerda, diretor de Ensino e Pesquisa da instituição, que falou ontem com a imprensa junto com Graça Alecrim, diretora-presidente da Fundação de Medicina Tropical, e Kim Marinho, enfermeiro e coordenador do estudo em Manaus. Nesse grupo de doenças cardíacas que vai atuar o tratamento em pessoas que vivem com HIV, é 40% maior o risco de desenvolvimento de problemas cardiovasculares.

Pesquisa

A pesquisa é financiada pelo National Heart Lung e Blood Institute, do National Institutes of Health (NIH). A diretora Graça Alecrim explica que o vírus HIV desencadeia um processo inflamatório nas células do organismo e, por isso, o risco das doenças cardiovasculares é maior nesses pacientes.

Segundo ela, a vantagem é que, diferente das outras estatinas disponíveis no mercado, a Pitavastatina não reduz a eficácia dos medicamentos usados no tratamento do HIV.

“A Pitavastina tem menos interações com o coquetel que é usado pelos pacientes que têm HIV/Aids e está sendo proposta como medicação profilática. O Estado do Amazonas se propôs a incluir 150 voluntários e nós ainda estamos recrutando eles. Um grupo vai usar a droga e outro não”, informou o diretor e ensino Marcus Lacerda.

Medicamento

Em caso de eficácia do medicamento nos testes em todo o País, o diretor de ensino e pesquisa Marcus Lacerda informou que o estudo será interrompido e o Ministério da Saúde passará a adquirir a Pitavastina para ser utilizada na população brasileira com HIV-Aids.
spacer

Rio Negro Challenge Amazônia acontece neste domingo, dia 30, e vai reunir 210 atletas em busca de vitória

Bastante aguardado pelos maratonistas, o Rio Negro Challenge Amazônia acontece neste domingo, dia 30, a partir das 7h, na praia da Ponta Negra. Ao todo, está confirmada a participação de 210 atletas, que vão disputar braçada a braçada o pódio do evento que já se tornou tradicional quando o assunto é águas abertas. Nomes como de Vitor Gadelha, Catarina Ganzeli, Jéssica Santos, entre outros, são cotados para dar show nas águas escuras do Rio Negro.

 

Com apoio do Governo do Amazonas, via Secretaria de Estado de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel), a competição será dividida em duas provas, sendo com percursos de 1,5 km e 3 km, em 14 categorias, nos naipes masculino e feminino. Além disso, paralelo ao evento, ainda será realizado o Circuito Curumim, com percurso de 500 metros, composto pelas provas Mirim (de 08 a 09 anos), Mirim 1 (de 10 a 11) e a Petiz (de 12 a 13 anos).

 

Dos 210 inscritos, 32 atletas são de outas localidades, como Rio de Janeiro, São Paulo, Piauí, Roraima, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Salvador, Maceió, Maranhão, Brasília, além da Colômbia. "Este ano, graças a Deus, vamos conseguir reunir atletas de vários estados, o que alimenta a competitividade e possibilita o turismo esportivo. Tenho certeza que vai ser uma grande disputa e, como sempre, o Rio Negro vai ser o protagonista desta competição, uma vez que ele é o principal adversário dos atletas", destacou o organizador, Pierre Gadelha.

 

Ainda segundo Pierre, a entrega de kits do Rio Negro Challenge será realizada no sábado, dia 29, na Aquática Amazonas (Av. Efigênio Salles, s/n - Aleixo), no horário das 16h às 19h. Lembrando que é necessária a apresentação dos seguintes documentos para o recebimento: atestado médico e declaração técnica. No caso de menores de 18 anos, é pedido ainda a apresentação da autorização do responsável legal.

 

Ainda no sábado, 29, acontece o Congresso Técnico, que terá início às 17h30, também na Aquática. "A participação não é obrigatória, mas muito importante para receber as informações sobre a prova e tirar dúvidas, como saber todo o percurso de boias, tempo–limite de prova, regras gerais da Fina, a distribuição das metragens", enumerou Pierre.

 

Profissional tem presença confirmada

Nadadora profissional de águas abertas, Catarina Ganzeli, da Universidade Santa Cecília (Unisanta), estará em Manaus para disputar o Rio Negro Challenge. A atleta, inclusive, está perto de ser a única brasileira a concluir todas as provas do FINA Open Water Swimming Grand Prix. A última prova do mundial foi feita no dia 5 de fevereiro, na Argentina, quando a jovem nadou 57 km do Rio Coronda, em nove horas, e conquistou o 11º lugar na classificação geral.

 

"Eu vou encerrar o mês do meu aniversário e iniciar a campanha do #vaicatarina, uma ação para participar do Water Swimming, justamente no Rio Negro Challenge. Irei disputar a prova de três quilômetros e estou muito animada por poder realizar essa prova. Tenho certeza que vai ser incrível e convido todos a torcerem", disse a atleta, campeã do Super Challenge Rei e Rainha do Mar.

 

FOTOS: ANTONIO LIMA/SEJEL

 

spacer

Recapturados dois foragidos do Compaj e preso trio envolvido com o tráfico de drogas na cidade

As equipes de investigação do 5º Distrito Integrado de Polícia (DIP), sob o comando da delegada titular da unidade policial, Déborah Barreiros, recapturaram na quarta-feira, dia 26, por volta das 6h, os foragidos do regime semiaberto do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) Johnnys Bernardo de Souza, 30, e Reginaldo Pantoja de Castro, 41.

Os policiais civis prenderam, ainda, Bismark Miranda do Nascimento, 27, Elizabeth Sales Bandeira, 26, e Rafael Araujo de Figueiredo, 21, envolvidos com o tráfico de drogas na cidade.

De acordo com a delegada titular do 5º DIP, Johnnys e Reginaldo cumpriam pena por roubo. Reginaldo estava foragido desde 2005 e Johnnys há menos de 24h. Os infratores estavam juntos quando foram localizados, no beco da Cacimbas, bairro São Raimundo, zona Oeste da capital.

Tráfico de drogas - Conforme a autoridade policial, as investigações em torno do caso que envolve Bismark, Elizabeth e Rafael foram iniciadas após ligações anônimas feitas ao número 181, o disque-denúncia da Secretaria de Estado de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM).  As prisões dos infratores ocorreram em um bar situado na Rua Presidente Dutra, bairro São Raimundo, na zona oeste.  

 

"No local funcionava um suposto bar, sendo que a função real do imóvel era disfarçar a venda de entorpecentes. Com os infratores apreendemos R$ 1,5 mil em espécie, uma pedra média de oxi, um liquidificador com vestígios de substância entorpecente e rejunte", informou Barreiros.

Ao término dos trâmites legais no 5º DIP, Johnnys e Rafael foram reconduzidos ao Compaj. Já Bismark, Elizabeth e Rafael foram levados para Audiência de Custódia no Fórum Ministro Henoch da Silva Reis, no bairro São Francisco, zona Sul da capital.

FOTOS: DIVULGAÇÃO/PC-AM

spacer