17 de março de 2017

Idam completa 21 anos e reforça assistência técnica para ampliar atividades produtivas no Estado

Para apoiar as atividades de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) no Amazonas, o Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Amazonas (Idam) está adquirindo veículos, motocicletas e demais equipamentos eletrônicos que facilitarão o atendimento nas Unidades Produtivas Familiares. No total foram investidos mais de R$ 3 milhões, oriundos de convênios firmados com o governo federal, que, somados ao orçamento do governo estadual, vão incrementar a produção agropecuária amazonense.


O investimento é mais um reforço dentro do projeto da nova Matriz Econômica Ambiental, do Governo do Amazonas, e vai otimizar o atendimento aos mais de 51,3 mil beneficiários (agricultores familiares, produtores rurais, pescadores, aquicultores, indígenas, extrativistas, assentados, jovens e mulheres rurais) assistidos pelo Idam, órgão do Sistema Sepror, que completa 21 anos de atuação no setor primário, no sábado, 18 de março.

Para o secretário de Estado de Produção Rural, Hamilton Casara, muitas ações positivas foram conquistadas pelo setor primário e o Idam vem prestando um serviço inestimável à sociedade amazonense. "Não seríamos hoje o que somos no campo das diversas atividades econômicas e cadeias produtivas, se não tivéssemos um excelente trabalho de assistência técnica e extensão rural. E a partir de agora, com a integração do Sistema Sepror, o Idam se fortalecerá ainda mais para que possamos atender melhor o nosso produtor rural", destacou o secretário.     

Tecnologias
Investimentos têm sido feitos pelo governo do Amazonas para aumentar a produção agropecuária, como é o caso da mecanização agrícola que apresentou um acréscimo de 40% nos últimos cinco anos. Em 2011, o Amazonas possuía 46 mil hectares de áreas mecanizadas e hoje, com os benefícios que a tecnologia proporciona, o registro superou a margem dos 65 mil hectares.

Essa mesma tecnologia será utilizada no desenvolvimento das atividades de piscicultura e fruticultura, que são metas prioritárias da Matriz Econômica Ambiental. No plantio de abacaxi, em Novo Remanso/Itacoatiara, a produção já alcançou mais de 63,7 milhões de frutos utilizando a tecnologia da mecanização. A cultura apresenta potencial para o município e atualmente conta com mais de 800 agricultores trabalhando com a atividade.

De acordo com o diretor-presidente do Idam, Malvino Salvador, a participação do Instituto junto a Matriz Econômica Ambiental é exatamente buscar as potencialidades de cada região e transformar em oportunidades econômicas. "Na produção de açaí, por exemplo, precisamos realizar levantamentos e definir se o ideal é plantar ou explorar a produção nativa. É necessário fazer o mapeamento e identificar as áreas de maior concentração para que possamos obter resultados seguros" disse Malvino.
No sistema de irrigação, que é tecnologia utilizada para oferecer água em quantidade suficiente às áreas de plantio, o Idam registrou em 2016, mais de 1,9 mil hectares de áreas irrigadas com os plantios de  mamão, maracujá, banana, citros e hortaliças.     

Sustentabilidade - Grande parte das áreas mecanizadas é utilizada para recuperação de pastagem que estão concentradas nos municípios de Boca do Acre, Apuí, Humaitá, Santo Antônio do Matupi/Manicoré e Vila Extrema/Sul de Lábrea. A tecnologia quando apropriada à realidade do agricultor e da propriedade rural, apresenta benefícios como o aumento da produtividade por hectare, redução da pressão ambiental sobre as áreas de floresta primária e desmatamento, além de diminuir o esforço físico do trabalhador no campo.

Fotos: Divulgação/Idam





Nenhum comentário:

Postar um comentário

1. O Blog em Destaque reserva-se o direito de não publicar ou apagar acusações insultuosas, mensagens com palavrões, comentários por ele considerados em desacordo com os assuntos tratados no blog, bem como todas as mensagens de SPAM.