Header Ads

Peixe-boi fêmea resgatada pelo IPAAM passará por avaliação médica na segunda-feira (23) na AMPA

O Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (IPAAM) recebeu na noite de sexta-feira (20) uma bebê peixe-boi fêmea de aproximadamente 40 dias de vida, encontrada por um ribeirinho em sua rede de pesca em Coari (a 363km em linha reta de Manaus). O animal foi transportado por um avião fretado pela Petrobras de Coari a Manaus e foi recepcionado pelos técnicos do IPAAM no aeroporto Eduardinho e depois encaminhado ao Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), sede da Associação Amigos do Peixe-boi (AMPA).

Em boas condições de saúde e ativa, a fêmea com cerca de 1 metro e 20 quilos passará por uma avaliação médico veterinária na segunda-feira (23) e será cuidada pela equipe da AMPA, através do médico veterinário Dr. Antony. O resgate do animal foi possível graças à iniciativa do secretário de meio ambiente de Coari, Evandro Moraes, que comunicou o caso ao IPAAM, e à Petrobras, que forneceu o transporte, além da contribuição da Ampa que cuidará do animal.

Não é possível saber se a fêmea peixe-boi estava órfã ou se distanciou de sua mãe no momento da captura acidental. A peixe-boi será amamentada até os dois anos de idade e só a partir de sua autonomia que a equipe da Ampa dará um nome a ela. Este é o peixe-boi de n° 240.

A analista ambiental da gerência de fauna do Ipaam, Yara Gonçalves, ressaltou que o trabalho do instituto não acaba agora, uma vez que vai monitorar o desenvolvimento animal como experiência para as demais ações de resgate de fauna silvestre.

"O Ipaam não recomenda as pessoas tirarem os animais do seu habitat. Um filhote deste precisa ser alimentado a cada 3h com leite especial e dá muito trabalho", ressalta Yara.

"Estamos muito felizes com o sucesso do resgate. Agradecemos a parceria fundamental da Prefeitura de Coari e da Petrobras, através do Rogério Airoldi e Natália Castro, que viabilizaram o transporte aéreo. Ressaltamos a parceria com a Ampa – uma associação que luta pela preservação desta espécie, como desenvolve um espaço importante para a pesquisa científica", destacou a analista ambiental.

O peixe-boi da Amazônia vive na bacia do rio Amazonas e é considerado o maior mamífero de água doce do planeta, podendo alcançar 3 metros e 450 quilos. Eles vivem até 50 anos na natureza. A pesca predatória para explorar a pele e o couro coloca o animal na lista de espécies vulneráveis a extinção.

Fotos: Glecem Gaia/IPAAM

Nenhum comentário

1. O Blog em Destaque reserva-se o direito de não publicar ou apagar acusações insultuosas, mensagens com palavrões, comentários por ele considerados em desacordo com os assuntos tratados no blog, bem como todas as mensagens de SPAM.

Tecnologia do Blogger.