Header Ads

Força-Tarefa vai investigar mortes no Compaj e corpos começam a ser identificados

Sob orientação do Comitê de Gerenciamento de Crise do Sistema de Segurança Pública do Amazonas, tiveram início na manhã desta segunda-feira (2) as investigações em torno da morte de 56 detentos do regime fechado, no domingo (1), no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) localizado no quilômetro oito da BR-174. Hoje, também teve início o processo de identificação dos corpos no Instituto Médico Legal.

 

A Força-Tarefa de investigação é formada por delegados de unidades especializadas e Distritos Integrados de Polícia (DIPs) e será coordenada diretamente pelos delegados Ivo Martins, Tarson Yuri e Rodrigo de Sá Barbosa, titulares, respectivamente, da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), 4ª Seccional Oeste e 20º DIP, localizado no bairro Tarumã, zona Oeste de Manaus.

 

O objetivo também é identificar os líderes do movimento no dia 1º de janeiro e responsabilizá-los criminalmente.  "Os delegados vão ser responsáveis na apuração das mortes no Compaj nas últimas 24h e todo o trabalho será iniciado a partir de imagens de câmeras do circuito interno da penitenciária. Eles também vão colher depoimentos de presos e de agentes penitenciários da unidade prisional", disse o delegado-geral Francisco Sobrinho.

 

No IML, o processo de identificação dos corpos iniciou desde as primeiras horas da manhã. As impressões digitais das vítimas já foram coletadas, bem como o levantamento de imagens dos corpos.  Por volta das 15h30, iniciou a coleta de dados e informações com os familiares dos detentos.

 

Conforme a perita criminal do Departamento de Polícia Técnico-Científica (DPTC), Fabíola Rodrigues, uma estrutura reforçada tenta agilizar o processo de reconhecimento para posterior liberação dos corpos. "O efetivo do Instituto de Criminalista e o Instituto Médico Legal estão todos empregados para viabilizar em tempo hábil na liberação de todos os corpos. Estamos com todos os materiais necessários para esses procedimentos e estamos aguardando os resultados das impressões papilares que foram coletadas e enviadas ao Instituto de Identificação", informou.

 

O Comitê de Gerenciamento de Crise é formado por mais de 20 órgãos dos governos Estadual, Federal e Municipal, sob a coordenação da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), e acompanha a situação das unidades do sistema prisional da capital.




Nenhum comentário

1. O Blog em Destaque reserva-se o direito de não publicar ou apagar acusações insultuosas, mensagens com palavrões, comentários por ele considerados em desacordo com os assuntos tratados no blog, bem como todas as mensagens de SPAM.

Tecnologia do Blogger.