20 de dezembro de 2016

“O mote do nosso trabalho no próximo ano é geração de emprego”, afirma governador José Melo

Geração de emprego e renda serão prioridades em 2017, afirmou o governador José Melo, durante balanço do governo feito em entrevistas a emissoras de rádio e televisão locais, nesta terça-feira, 20 de dezembro. O governador anunciou que já tem em caixa cerca de R$ 950 milhões, oriundos de empréstimos, para investimentos em 2017, que terão como enfoque as áreas de educação, saúde, infraestrutura e a implantação da Nova Matriz Econômica Ambiental do Estado.

 

Ao fazer um retrospecto dos desafios enfrentados em 2016, Melo avaliou que o ano foi "o mais difícil da sua vida", mas disse que encerra o período com o sentimento de superação. Elencou a crise econômica, que já causou perdas de mais de R$ 1,3 bilhão na arrecadação de impostos somente este ano, e o desembolso alto com o pagamento das dívidas contraídas no governo dos antecessores (que começou a ser efetuado na atual gestão), como fatores que impuseram fortes limitações ao governo.

 

"A crise atingiu a Zona Franca de Manaus, o comércio, os serviços, sofremos com a queda na arrecadação de impostos, fechamento de autorização para novos empréstimos e, em compensação, o pagamento das dívidas já contraídas que tiveram alta vertiginosa com o dólar descontrolado", disse.

"Optei pela austeridade, cortando na carne, mas tomando decisões corretas, ao invés de fazer proselitismo político. Chegamos ao final do ano como um dos três estados mais equilibrados, pagando a folha, o 13º e os fornecedores e podendo anunciar investimentos vultosos", acrescentou o governador.

O novo ano chega com investimentos garantidos a partir da autorização de empréstimos, disse Melo. Na próxima semana, o governo estadual espera assinar contrato com a Caixa Econômica Federal para formalizar a contratação de recursos da ordem de R$ 300 milhões, dinheiro que será empregado na duplicação da AM 010 até Rio Preto da Eva, no asfaltamento de estradas vicinais no interior e no desenvolvimento da piscicultura e fruticultura. Além destes, o governo já conta com recursos de R$ 354 milhões para a construção de 24 escolas de tempo integral e novas escolas padrão e outros R$ 300 milhões, dessa vez de empréstimo com o Banco do Brasil, para infraestrutura na capital e investimento no setor primário do interior.

"A partir do próximo ano vou implantar o 'Todos Pela Vida' e, para isto, teremos investimento forte na recuperação de ginásios poliesportivos nas escolas. Passei um ano e três meses peregrinando nos corredores de Brasília, tentando recursos para o povo do Amazonas. Temos investimento em caixa também para concluir a Avenida das Flores, a AM 070 e o Prosamim. Vamos entrar no Mestre Chico, São Sebastião, Sharp e Arthur Bernardes", elencou o governador, ressaltando que, através de emendas impositivas do senador Omar Aziz, também já há recursos para as obras dos anéis viários Leste e Sul, que beneficiam o Polo Industrial de Manaus.

Geração de Emprego – Além do pacote de investimentos, o governador afirmou que trabalhará forte em 2017 no estimulo a geração de emprego e renda. Melo revelou que pretende aumentar o crédito para os pequenos negócios reforçando o programa estadual de microcrédito Banco do Povo, mantido pela Agencia de Fomento do Estado do Amazonas (Afeam). A previsão inicial e que o programa conte com recursos de R$ 60 milhões.

"Quero dizer que o mote do nosso trabalho no próximo ano é geração de emprego. O Brasil tem mais desempregado que a população inteira de Portugal. Então, todo o nosso trabalho será no sentido de gerar emprego. Por isso, determinei a Afeam que separe 70% dos recursos para empregar no Banco do Povo, para emprestar para aquela manicure montar seu negócio, para o pedreiro, para multiplicar o dinheiro e gerar emprego e renda", enfatizou Jose Melo.

Em menos de dois anos, o Banco do Povo beneficiou 26 mil empreendedores e um total de R$ 124,5 milhões em valores financiados. A maior fatia do financiamento se destinou ao interior, onde o programa tem sido visto como a "salvação da lavoura" para a agricultura familiar, principalmente por conta dos juros baixos – 3% ao ano. Enquanto na capital foram realizadas 12 mil operações de crédito, envolvendo um valor de R$ 52,7 milhões, no interior do Estado foram realizadas 14 mil, financiando um valor de R$ 71,8 milhões.

Também para estimular a geração de emprego e melhora da economia, o governador destacou a implantação da Matriz Econômica Ambiental, focada no desenvolvimento do interior a partir do incentivo a atividades, como a piscicultura e fruticultura. Parte dos recursos obtidos pelo governo em empréstimos está assegurada para essa finalidade. Nesse sentido, por exemplo, a expectativa é pelo asfaltamento de 48 vicinais em todo o Estado.

"Estamos trabalhando junto a Seplan-CTI, em colaboração com a Suframa, em um processo completamente diferente para que as empresas tenham facilidade de se implantar, gerando emprego, renda e receita para o Estado. Fortalecendo a Zona Franca, geramos efeitos positivos em toda a economia. A outra coisa fundamental é a implantação da nova Matriz Econômica Ambiental, que tem como base produzir proteína, consorciado com a fruticultura. Vamos incentivar e trabalhar para a base mineral ser explorada", destacou.

Fotos: Roberto Carlos/Secom

Foto: Vitor Souza/Secom


Nenhum comentário:

Postar um comentário

1. O Blog em Destaque reserva-se o direito de não publicar ou apagar acusações insultuosas, mensagens com palavrões, comentários por ele considerados em desacordo com os assuntos tratados no blog, bem como todas as mensagens de SPAM.