Header Ads

Arena da Amazônia é marcada por recordes e fatos históricos em 2016 e Colina e Zamith também se destacam

O ano de 2016 foi de recordes e muitos fatos históricos para a Arena da Amazônia. Maior público registrado, número expressivo de eventos realizados no Podium, estreias de técnicos, despedida de atleta e, claro, nunca se abriu tanto os portões do estádio para que o principal atrativo do local, o campo, fosse utilizado. Ao todo, foram jogos que empolgaram os amazonenses e até pessoas de outros estados e países que conferiram de perto o Brasileirão Feminino e Masculino, o Campeonato Carioca, a Copa do Brasil, o Campeonato Amazonense, Olimpíadas, Eliminatórias do Mundial da Rússia, e o Torneio Internacional Feminino de Seleções. Opções não faltaram para a população adotar o local como 'segunda casa'.

O titular da Secretaria de Estado de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel), Fabricio Lima, destaca que das 49 vezes que o gramado foi ocupado pelos times de futebol, 20 foram pelas equipes locais que disputaram o Estadual das categorias Principal, Júnior, Juvenil, e Infantil. As partidas de camisa de fora e das Seleções, proporcionaram a movimentação do Feel (Fundo Estadual de Esporte e Lazer), que arrecadou porcentagens distintas dos diversos eventos.

 

"É importante salientar que diante de muitos desafios encontrados para gerir um estádio da magnitude da Arena, tentamos sempre buscar soluções. Muita gente só olha as quatro linhas, que realmente nos deu muitas alegrias este ano, mas vou além e destaco pontos importantes, como: o número considerado de eventos que a Arena recebeu em 2016, a arrecadação para o Feel, o apoio aos clubes locais, quando abrimos o estádio sem cobrar aluguel, oferecendo custo zero aos times; e a injeção na economia provocada pelo turismo esportivo, pois cada time, seleção e turista que aqui chegou, contribuiu financeiramente com hotéis, lojas, restaurantes. É um ciclo a seguir, e que vamos trabalhar ainda mais em 2017 para superá-lo", destacou Lima

 

Os mais de 4,410 minutos de bola rolando reuniram 371 mil pessoas durante o ano na apoteótica praça esportiva. Profissionais da imprensa do Brasil e de vários países também se renderam a beleza do estádio. "Manaus é uma cidade grande, possui um estádio muito lindo, muito bem feito e com detalhes chamativos", disse um dos principais nomes da imprensa colombiana, a jornalista da TV Caracol, Marina Granziera, em jogo das Eliminatórias entre Brasil e Colômbia no mês de setembro.

 

Nomes consagrados do futebol também elogiaram a Arena, que provou dar sorte quando o assunto é estreia de técnicos. Isso porque, tanto Tite (à frente da Seleção Brasileira Masculina) quanto Emily Lima (comandante do Time Canarinho Feminino) saíram do estádio amazonense cantando vitória e colecionando ainda mais admiradores. Pelas Eliminatórias da Copa do Mundo da Rússia, o Brasil venceu por 2 a 1 os colombianos, com gols de Miranda e do craque Neymar, e as meninas deram show ao conquistar o sétimo título da Copa CAIXA de Seleções, com um saldo de 18 gols.

 

"Este estádio é lindo e ficamos felizes com toda a recepção do povo amazonense. Desde que chegamos em Manaus, ficamos impressionadas com tanto carinho e é ótimo poder estrear na Seleção Brasileira com vitória. Com certeza esses dias ficarão na minha memória para sempre", destacou Emily.

 

RETROSPECTIVA 

Zico, José Aldo e Pizzonia na Arena

 

Das pistas da Fórmula 1, dos octógonos do UFC e dos gramados do mundo eternizados pelo Galinho de Quintino. Antonio Pizzonia, José Aldo e Zico "arrendaram" a Arena da Amazônia em prol da solidariedade no dia 27 fevereiro. Em jogo beneficente entre Amigos do José Aldo x Amigos do Pizzonia, o trio brilhou dentro de campo e arregimentou 32,122 torcedores diante de um placar de 4 x 1, que beneficiou a equipe do lutador. O evento arrecadou mais de 40 toneladas de alimentos doados para os municípios do interior atingidos pela seca, além de instituições da capital.

 

Manaus, a capital do Futebol Feminino

 

O ano de 2016 também ficou marcado para o futebol feminino. As meninas do Iranduba avançaram para a segunda fase do Campeonato Brasileiro e fecharam a I Liga de Futebol Feminino Sub-20 na segunda posição. Partidas de qualidade e resultados expressivos do Verdão fizeram a Arena da Amazônia ficar conhecida como a casa do futebol feminino no primeiro semestre e o torcedor amazonense abraçou as meninas do Hulk.

 

Um dos maiores públicos de partida do futebol feminino brasileiro foi conquistado, inclusive, na Arena da Amazônia.  O recorde nacional veio pela disputa da Liga Sub-20, quando o Iranduba enfrentou o Adeco-SP e reuniu 17.322 no dia 24 de junho, superando os 12.300 de Saad X Cresspom, em 2007. Na ocasião, o primeiro título de uma equipe feminina na Arena da Amazônia ficou com a equipe paulista, que venceu a equipe local por 1 a 0.  

 

Manaus nas Olimpíadas

 

Em agosto, o majestoso estádio voltou a ser atração mundial. Com show em campo e também na arquibancada, Manaus recebeu seis jogos, sendo quatro das seleções masculinas e dois dos times femininos, pela Rio 2016.  As Seleções da Suécia, Japão, Nigéria, Colômbia, Estados Unidos, Japão e Brasil passaram pelo 'tapete' da Arena.

 

Tão esperado pelo torcedor, a partida da Seleção Brasileira contra a África do Sul, no dia 09 de agosto, acabou em 0 x 0. Já classificada para a fase seguinte, o técnico Vadão decidiu poupar algumas jogadoras. Com uma primeira etapa sem gols, a craque Marta só entrou no segundo tempo, depois de ter o nome bastante pedido pelo torcedor amazonense.

 

Público recorde

 

A tarde do dia 24 de abril ficou eternizada na história do esporte amazonense. Com recorde de público de 44.419 mil pessoas, a Arena da Amazônia foi tomada por uma multidão de apaixonados por Vasco e Flamengo pela disputa da semifinal do Campeonato Carioca. A quebra deixou para trás a marca de 40.322 pessoas, conquistada no dia 25 de junho, quando Honduras e Suíça se enfrentaram pela Copa do Mundo de 2014. 

Diante da torcida que era minoria, o Gigante da Colina ganhou de 2 a 0 e "calou' os rubro-negros. Andrezinho e Riascos foram os autores dos gols que ampliaram a vantagem sobre o Fla. Na época, o presidente cruzmaltino Eurico Miranda não escondeu a felicidade em eliminar o maior rival. Ele estava em Manaus pelo segundo final de semana consecutivo, após ver sua equipe sagrar-se campeã da Taça Guanabara, também na Arena. "Eu fiz tudo para perder para o Flamengo. Vocês viram. Mas o Vasco foi lá e ganhou", brincou o presidente. 

Tite estreia na Arena

 

O orgulho do torcedor brasileiro com a Seleção Principal estava bastante apagado em 2016. Correndo sérios riscos de ficar fora da Copa Mundo da Rússia, a Seleção Brasileira passou a contar com o técnico Tite. Após a demissão de Dunga, o treinador remontou o time verde e amarelo e o local escolhido para o primeiro desafio do novo comandante do time pentacampeão mundial frente à torcida Brasileira foi a Arena da Amazônia.

 

O estádio baré voltou a ser destaque com o show de Neymar em campo, sendo impulsionado por mais de 36 mil vozes dentro do estádio. A seleção encantou ao vencer por 2 a 1 os colombianos com gols de Miranda e do craque Neymar. Era o "combustível" para a Seleção de Tite chegar hoje ao primeiro lugar nas Eliminatórias da Copa, justamente na estreia do treinador.

 

Futebol do AM brilhou

 

Com o objetivo de apoiar o futebol local, os times e as categorias de base do Amazonas ganharam espaço na Arena. O futuro do futebol amazonense vindo das equipes Infantil, Juvenil e Juniores entraram para a história da Arena, ao levantaram a taça de campeão pela primeira vez no local.

 

Ao todo, o estádio recebeu 20 partidas do Campeonato Amazonense.  O título de campeão amazonense ficou com o Fast Clube, assim como no Juvenil no Juniores. O Sul América foi a última equipe a levantar a taça na Arena. O trem da Colina venceu o Holanda por 2 a 1 no tempo normal e nos pênaltis venceu por 4 a 2, conquistando o título para o Infantil.

 

O quadro móvel e demais despesas do Estadual foram custeada pelo Fundo Estadual de Esporte e Lazer (Feel), que recebe recurso financeiro dos eventos privados e jogos de times de outras partes do país que acontecem nas praças esportivas da Sejel.

 

O fim de uma Era

 

Para encerrar o ano com chave de ouro e de muito futebol, quatro seleções desembarcaram em Manaus. A casa do futebol feminino foi palco dessa vez da Copa CAIXA Internacional de Seleções. Brasil, Costa Rica, Itália e Rússia foram as escolhidas para a disputa da oitava edição.

 

O Torneio foi vencido pela Seleção Brasileira, que sem Marta e Cristiane fez o torcedor ver Bia e Gabi surgirem como artilheiras e com um futuro promissor junto à nova comandante da tropa, Emily Lima.

 

A competição marcou a despedida da volante Formiga da Seleção Principal. A atleta de 38 anos possui mais de 160 jogos com a camisa amarelinha em 21 anos dedicados a Seleção. A Seleção ficou com o heptacampeonato ao vencer a Itália por 5 a 3, no último dia 18 de dezembro.

 

Futebol, só que Americano

 

No dia 22 de dezembro, uma nova modalidade passou a fazer parte da lista de 'agraciada' pela Arena da Amazônia. Isso porque, pela primeira vez a final do XI Amazonense de Futebol Americano, o Manaus Bowl, foi decidido no estádio de Copa do Mundo.  Em campo, quem levou a melhor foi o North Lions, que venceu o Manaus Broncos por 17 a 14, diante de 8.515 pessoas.

 

Com o resultado, a equipe conquistou o título inédito da competição. O evento ainda foi considerado o quarto melhor do ano em relação a público e o de melhor estrutura a nível nacional.

 

Zamith e Colina respiraram futebol

 

Construídos para servirem de Centro de Treinamento para as Seleções que disputaram a Copa do Mundo, os estádios Ismael Benigno, a Colina, na Zona Oeste, e o estádio Carlos Zamith, na Zona Leste, reforçam a prática do futebol na capital.

 

Juntos, os dois estádios receberam 216 partidas em 2016. Jogos das categorias de base do futebol amazonense, como do Profissional, além de eventos particulares (que arrecadaram para o Feel), foram realizados nos estádios que fazem parte da administração do Governo do Amazonas, por meio da Sejel.

 

No estádio Carlos Zamith, foram realizadas 128 partidas, sendo 36 pelo Infantil; 04 feminino; 02 profissional; 34 pelo juvenil; 36 pelo juniores; 08 evangélicos e 08 master.

 

No estádio da Colina, foram realizadas 88 partidas sendo 10 pelo infantil; 04 feminino; 25 juvenil; 23 juniores; 12 profissional; 10 evangélico e 04 master.

FOTOS: MAURO NETO/SEJEL e ANTONIO LIMA/SEJEL

Nenhum comentário

1. O Blog em Destaque reserva-se o direito de não publicar ou apagar acusações insultuosas, mensagens com palavrões, comentários por ele considerados em desacordo com os assuntos tratados no blog, bem como todas as mensagens de SPAM.

Tecnologia do Blogger.