25 de outubro de 2016

ESPORTES Trio de boxeadores do Amazonas viaja para seletiva nacional em busca de vaga no Campeonato Brasileiro de Boxe

Três dos melhores pugilistas do Amazonas viajam nesta quarta-feira, dia 26, para Salvador, Bahia, para participar da Seletiva Nacional de Boxe Olímpico, categoria Elite, que acontecerá de 26 a 30 de outubro. O evento vale vaga para o Campeonato Brasileiro de Boxe, marcado para novembro. Para ir à competição, os atletas recebem apoio do Governo do Amazonas, via Secretaria de Estado de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel).

 

Desde os 18 anos no boxe, Rodrigo Queiroz, 32, vai para o torneio confiante que pode se credenciar para a competição nacional. Ainda que o caminho na categoria 56 kg seja espinhoso para a conquista do cinturão, o atleta da academia Pantera Negra confia no cartel de 30 lutas com apenas cinco derrotas.

 

“Essa vai ser a minha segunda competição nacional, disputei o Brasileiro em 2006, mas perdi na primeira luta. Porém, o fato serviu para ganhar experiência. Tenho consciência que este ano as lutas serão muito difíceis e vai ser preciso ter um bom desempenho. Preciso vencer três lutas para ir ao Brasileiro”, contou.

 

Parceiro de academia de Rodrigo, o pugilista Cleberson Serrão, 32, está invicto desde 2015. Na primeira competição fora do Amazonas, o lutador da categoria 51 kg acredita que sua estreia será positiva.  “Estou bem confiante. Vão ser lutas difíceis e essa será a minha primeira competição fora do Estado, mas vou para ganhar a vaga para o Brasileiro”, decretou.

 

Considerada uma das promessas do time amazonense, João Lenon, 23, já conquistou tudo nas competições de boxe do Amazonas. Sem sorte nos últimos Brasileiros, o jovem nascido em Santarém-PA, que viveu em Roraima e há três anos mora e treina na Vila Olímpica de Manaus, pretende virar os últimos ‘capítulos’ e ter um final feliz.

 

“Já disputei umas seis competições nacionais. Espero algumas pedreiras na categoria 64 kg, como o Cara de Cobra da Bahia e o Cássio de Sergipe, eles são fortes. O Cássio, por exemplo, é medalha de bronze no último Mundial cadete. Estou tranquilo e na esperança de um bom resultado. Já fui bronze no Brasileiro de 2011, em 2013 perdi nas classificatórias, assim como em 2014 e em 2015 não fui. Agora em 2016, com uma nova visão e preparação, espero um resultado bom”, contou.

 

Para o presidente da Federação Amazonense de Boxe (FAB), Luis Rocha, os pugilistas podem surpreender na competição. “Eles foram os atletas que mais se destacaram nas competições desse ano. O Cleberson ainda não perdeu desde o ano passado. O Rodrigo vem se destacando bastante e o João Lenon dispensa comentários. Só não tem tido sorte no Brasileiro, mas agora pode ser diferente”, acredita.

FOTOS: MAURO NETO/SEJEL

Nenhum comentário:

Postar um comentário

1. O Blog em Destaque reserva-se o direito de não publicar ou apagar acusações insultuosas, mensagens com palavrões, comentários por ele considerados em desacordo com os assuntos tratados no blog, bem como todas as mensagens de SPAM.