Header Ads

COARI É A SEGUNDA CIDADE MAIS VIOLENTA DO INTERIOR DO AMAZONAS

UM POST ESPECIAL ALERTANDO PARA A NECESSIDADE DO ENFRENTAMENTO À VIOLÊNCIA E BUSCA URGENTE DE SOLUÇÕES PARA ESTE PROBLEMA

Daniel Maciel

Nos últimos anos Coari tem sido notícia constante nas páginas policiais dos jornais da capital. Roubos,  assaltos,  tentativas de homicídio e homicídios engrossam as estatísticas da violência.  O Blog Em Destaque conversou com o Delegado da Polícia Interativa de Coari,  Dr.  Mauro Duarte que afirmou categoricamente:  Coari hoje é a segunda cidade mais violenta do interior do Estado do Amazonas,  perdendo apenas para a cidade de Tabatinga,  na região de fronteira.

A rotina de  trabalho dos policiais civis enfrenta muitas dificuldades. O maior problema na delegacia é falta de pessoal.  "Temos apenas 04 investigadores, 01 escrivão 'ad hoc'  cedido pela prefeitura e 02 delegados. Para uma cidade que tem quase 100 mil habitantes e uma incidência se crimes enormes,  a estrutura humana para o funcionamento da delegacia é  insuficiente" – afirmou o delegado.  Infelizmente a criminalidade ganha espaço com esta precariedade do serviço de segurança. O baixo efetivo é também uma realidade na polícia militar. A expectativa é que seja realizado um concurso público,  para que novos investigadores sejam lotados na delegacia de Coari,  mas ainda não há data para realização deste concurso.

A afirmação de que Coari é uma cidade violenta é comprovada pelas estatísticas da Polícia Civil. O número de homicídios é determinante para dizer se uma cidade é violenta ou não.

"Nós podemos considerar Coari uma cidade muito violenta" – informou o delegado – em 2015 foram cometidos 18 homicídios e 15 tentativas de homicídio.  Já este ano nós já estamos com 16 homicídios e 09 tentativas de homicídio.  A expectativa é que os números da violência este ano ultrapassem o do ano passado" – lamentou o delegado Mauro. As vítimas geralmente não fazem boletim de ocorrência, nem quando são ameaçadas porque temem represália ou por estarem possivelmente envolvidas com o tráfico de drogas. 

O tráfico de drogas está sendo apontado como a principal causa para que os números da violência aumentem ano após ano no município de Coari.  Mesmo assim não surgiram meios eficazes para combater o tráfico de drogas. Não há uma união de forças para somar esforços com o objetivo de minimizar o impacto do tráfico em um município que tem tudo para continuar sendo um lugar bom de viver,  em meio d floresta Amazônica.

Os casos de tráfico de drogas são recorrentes em Coari.  Em 2015 a polícia adotou 30 procedimentos de tráfico de drogas e em 2016 foram 08. No caso mais recente foram apreendidos 24 quilos de Maconha em uma embarcação regional.  O Rio Solimões é um grande corredor para os traficantes,  pouco vigiado e com geografia que contribui para a ocultação, disfarce e comercialização das drogas. Devido o baixo efetivo de investigadores,  em ocasiões em que há denúncias da população é que a polícia tem apurado os casos de tráfico e flagranteado as ocorrências.

A violência em Coari mostra sua face também através dos roubos,  assaltos à  mão armada e outras práticas criminosas do gênero.  O delegado alertou para o fato que são registrados 5 boletins de ocorrência por dia de roubo e assaltos,  sem contar os casos em que as pessoas não vão à delegacia registrar ocorrência. Celulares e motocicletas são os objetos mais roubados. Os frutos dos roubos são vendidos por um preço bem barato nas bocas de fumo,  ou trocados por drogas, para sustentar o vício. "Com apenas 01 investigador trabalhando por plantão fica difícil de fazer um trabalho de inteligência para estourar as bocas de fumo, seriam necessários pelo menos 12 investigadores para fazer um trabalho de inteligência suficiente para detectar os locais que o tráfico usa, para em seguida representar pela busca e apreensão dos lugares suspeitos" – afirmou o delegado .

Crimes como abuso sexual e exploração sexual de menores são também constantemente apurados pela delegacia de Coari,  a partir das denúncias do Conselho Tutelar. A polícia é enérgica com crimes desta natureza, e sempre que ocorrem a prisão dos criminosos é pedida imediatamente com o objetivo de tirar do convívio com a sociedade,  a fim de que outros males sejam evitados. As pessoas também podem ligar para o disque 100 para fazer denúncias de abuso e exploração sexual.

Com o objetivo de manter a população de Coari informada foi criada uma página no Facebook da Delegacia Interativa da Polícia Civil. A população pode acompanhar os casos de prisão,  fazer denúncias e verificar as pessoas que estão sendo presas ou procuradas.  Com as informações na rede social a polícia também mostra o trabalho que está sendo realizado em segurança pública,  apesar das dificuldades.

O problema está aí e precisa de uma solução urgente.  O aparelhamento da criminalidade ocorre a partir do momento da ausência do Estado, assim como com o envolvimento de pessoas que optam por um caminho que vai dar em morte ou em cadeia. Coari, que conta com muitas escolas e duas universidades públicas, também com diversas instituições religiosas e ongs,  não tem conseguido superar a onda de violência que aflorou nos últimos anos.  A solução tem que ser urgente e presente e agora para que o futuro de nosso Município não fique comprometido.

Nenhum comentário

1. O Blog em Destaque reserva-se o direito de não publicar ou apagar acusações insultuosas, mensagens com palavrões, comentários por ele considerados em desacordo com os assuntos tratados no blog, bem como todas as mensagens de SPAM.

Tecnologia do Blogger.