Projeto de Fomento e valorização da Cultura Literária Coariense


Acreditando que a literatura é de fato uma manifestação artística indispensável para a formação cultural e social de um povo, a Prefeitura de Coari, através da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo – SECULT está dedicando uma atenção especial ao Projeto de Fomento à Cultura Literária Coariense, criado com o objetivo de incentivar à criação, à produção e a difusão literária coariense.

O projeto funciona como uma espécie de estímulo à cultura ou promoção ao desenvolvimento cultural através do qual a SECULT incentiva à produção, o financiamento e a publicação de obras de autores coarienses, e ainda ajuda a difundir distribuindo gratuitamente nas escolas da rede municipal e estadual de ensino do município. E, por meio do Projeto Sexta Cultural, que reúne todos os segmentos da cultura local em eventos realizados em praças e ginásios da cidade, os autores têm a oportunidade de ter um contato direto com seus leitores e vice-versa.
Nos últimos 11 meses, o projeto já financiou a publicação de três livros, Saga Ribeirinha, Uma Literatura Coariense e A História e a Cultura Coariense nas Rimas do Cordel. "Saga Ribeirinha" é um livro de poemas de autoria do jovem poeta coariense, Alex Alves. Obra na qual o poeta expressa a solidão que o caboclo sente, os passamentos dos ribeirinhos, o sofrimento do povo nas mãos dos maus políticos e ainda ensina como fazer uma farinhada. Já, a obra "Uma Literatura Coariense" foi organizada numa parceria de Archipo Góes e Daniel Almeida, respectivamente secretário e assessor de comunicação da Secult. Com 100 páginas, o livro reúne 49 obras, em prosa e em versos, de autores coarienses que na sua maioria viviam no anonimato, mas também destaca o trabalho literário de três ícones da literatura coariense que pertenceram a escola literária Clube da Madrugada, Francisco Vasconcelos, José Coelho Maciel e Erasmo Linhares. 3 mil exemplares das obras foram distribuídos nas escolas do município.
Para o titular da pasta de Cultura e Turismo, Archipo Góes, que também é pesquisador, escritor e poeta, "com esse trabalho o atual Governo Municipal, através da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo, está estimulando a fruição e a leitura literária, contribuindo, assim, para que a literatura que se utiliza da língua como um instrumento de comunicação e interação social, seja, pois, uma manifestação artística indispensável para a difusão da cultura e para a democratização do conhecimento", garante o secretário.

Daniel Almeida

Comentários