O ministro-chefe da Casa Civil, Jaques Wagner, utilizou sua página pessoal no microblog Twitter nesta segunda-feira (4) para comentar sobre o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. Para o ministro, não há "fundamentação jurídica" para que o processo siga e a "impopularidade" da presidente "não é crime".
O processo de impeachment de Dilma foi autorizado em dezembro do ano passado pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).
Wagner também afirmou que o governo irá obter "muito mais do que os 171 votos necessários" para barrar a tramitação do processo e que o impeachment "não sobreviverá aos primeiros testes na Câmara".