Header Ads

Governador José Melo reúne prefeitos do interior do Amazonas para apresentar cenário econômico do Estado e discutir prioridades de investimento

O governador do Amazonas, José Melo, está reunido nesta quinta-feira, 22 de outubro, com prefeitos de municípios do interior do Estado para apresentar o cenário econômico do Estado e discutir prioridades de investimentos em conjunto para o ano que vem. A reunião ocorre no Centro de Convenções Vasco Vasques, na zona centro-sul de Manaus, e dever durar até o final da manhã.

José Melo afirmou que o objetivo do encontro com os prefeitos é estabelecer prioridades para investimentos e a necessidade de adotar medidas em conjunto com as prefeituras. Com o agravamento da crise no País, política e econômica, o Governo do Estado espera, com a reunião, se antecipar para enfrentar o cenário de recessão em 2016, indicado por especialistas.
"Quero juntos, governo e prefeitos, encontrar mecanismos para que a gente possa estabelecer prioridades e dentro delas trabalhar em conjunto. A crise é aguda, se agrava cada vez mais. É uma crise do país e, portanto, atinge os Estados, os Municípios, as pessoas. Eu já fiz duas reformas para que a gente não quebrasse o Estado. Mas agora preciso passar para os prefeitos a real gravidade e para que eles também possam tomar decisões de prioridades", ressaltou o governador.

Secretários de governo também estão participando da reunião. O encontro tem a presença de 55 prefeitos do interior. Apenas os prefeitos de Barreirinha, Humaitá, Ipixuna, Lábrea, Manacapuru e Tapauá não compareceram.
O governador afirmou, ainda, que a situação de cada município será avaliada em particular e as ações que estão em andamento terão continuidade a partir do que está planejado. "Se há uma escola de tempo integral em obras e já está empenhada, vamos seguir. Se há projeto, vamos avaliar o que fazer, quando será possível iniciar aquela obra. Essencial será não deixar de lado os serviços prioritários".
Em entrevista à imprensa antes da reunião, José Melo disse que enfrentou o desafio de ter investimentos menores, mas manter os serviços e garantir o pagamento da folha. Desde o início do ano, o Governo tem reduzido custos. Em março, foi implantada a primeira reforma governamental, que diminuiu cargos comissionados, secretarias, reduziu valores de convênios, projetando economia de R$ 700 milhões. Em outubro, José Melo aprovou a segunda fase da reestruturação, com nova meta de cortes de mais R$ 500 milhões. Entre outras medidas, como fusão de secretarias, José Melo reduziu em 10% o próprio salário, o do vice-governador Henrique Oliveira, e dos secretários do governo.
"Dezessete Estados brasileiros estão tendo dificuldades para pagar a folha de pessoal. Fizemos o sacrifício de ter poucos investimentos, mas não cortar salários e manter a folha em dia, e garantir a continuidade dos serviços em diversas áreas, como saúde, educação e segurança", frisou o governador.
Sobre o aumento de gastos com pessoal, José Melo acrescentou: "A lei de responsabilidade fiscal impõe decisões que estão além da vontade. Como já ultrapassamos o limite prudencial da legislação, estou impedido na condição de governador de praticar qualquer ato que venha a aumentar a folha", disse.
Fotos: Valdo Leão/Secom


Nenhum comentário

1. O Blog em Destaque reserva-se o direito de não publicar ou apagar acusações insultuosas, mensagens com palavrões, comentários por ele considerados em desacordo com os assuntos tratados no blog, bem como todas as mensagens de SPAM.

Tecnologia do Blogger.