Header Ads

Impactos ambientais causados pelo Linhão de Tucuruí serão compensados com investimentos em Unidades de Conservação do Estado


A empresa Manaus Transmissora de Energia S/A, responsável pela implantação do Linhão de Tucuruí, assinou um repasse no valor de pouco mais de R$ 1 milhão para a Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema), correspondente a serviço de compensação ambiental. O montante será destinado a duas unidades de conservação estaduais para elaboração de plano de gestão, manejo de recursos, proteção e monitoramento ambiental. O pagamento foi publicado na edição no 33.024 do Diário Oficial do Estado (DOE) desta sexta-feira, 24 de abril.

O valor e a destinação do repasse foi definido pelo Comitê de Compensação Ambiental Federal do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama), atendendo o artigo 36 da Lei Federal n9.985 de 15 de junho de 2000. A verba beneficiará diretamente a Área de Proteção Ambiental – APA Nhamundá, localizada entre os municípios de Parintins e Nhamundá, e a Reserva de Desenvolvimento Sustentável – RDS Uatumã, situada entre os municípios de Itapiranga e São Sebastião do Uatumã, ambas definidas como Unidades de Conservação do Estado, gerenciadas pela Sema.

Uma parcela dessa verba (R$ 416.892,22) será repassada à APA Nhamundá com o objetivo de elaboração do Plano de Gestão dessa área. O restante, (R$ 625.338,33) será investido na RDS Uatumã, com aplicação em regularização fundiária, implantação do Plano de Gestão, uso público e manejo dos recursos, além de proteção e monitoramento ambiental.

"Esse investimento será muito importante para que possamos intensificar a gestão dessas unidades de conservação. Nesses locais vivem centenas de famílias, essas pessoas têm demandas diárias que são atendidas com fontes de recursos como essas", disse o secretário do Meio Ambiente, Antonio Stroski, ao destacar que captação de recursos para essas e outras unidades de conservação do Estado é uma linha prioritária em que a Sema vem atuando fazendo articulações com instituições nacionais e internacionais.

Na primeira quinzena deste mês, o secretário esteve reunido em Brasília com a representação do projeto Áreas Protegidas da Amazônia (Arpa) e garantiu a renovação de um Termo de Cooperação Técnica no valor de R$ 9 milhões para auxiliar na manutenção de 20 unidades de conservação. O Arpa também deu sinal positivo para incluir mais cinco unidades a partir do ano que vem. 

Obra - A Linha de Transmissão 500kV Oriximiná – Silves – Eng. Lechuga, mais conhecida como Linhão de Tucuruí - Manaus, é relativa ao Projeto de Implantação do Lote C da Interligação Tucuruí-Macapá-Manaus, com 586 km de extensão, atravessando os municípios de Oriximiná, Terra Santa e Faro no Estado do Pará e os municípios de Nhamundá, Parintins, Urucará, São Sebastião do Uatumã, Itapiranga, Silves, Itacoatiara, Rio Preto da Eva e Manaus, no Estado do Amazonas. Possui como empreendedor a Manaus Transmissora de Energia S/A, sob a Licença de Operação Nº. 1135/2013 – IBAMA.

Sobre as Unidades de Conservação -  A Área de Proteção Ambiental Estadual - APA Nhamundá, criada por meio do Decreto Estadual nº. 12.836, de 9 de Março de 1990, com área de 195.900 hectares, localiza-se no extremo Leste do Estado do Amazonas, em um espaço físico ao norte do município de Parintins e Sul do Município de Nhamundá, situado em dois ecossistemas, sendo, terra firme (15%) e várzea (85%). Foi criada com objetivo de preservar habitats e espécies da fauna amazônica, além da área de um dos maiores complexos de lagos de várzea da Amazônia, o qual possui grande beleza cênica. Suas 33 comunidades abrigam 1.400 famílias, totalizando cerca de 7.000 pessoas.

A Reserva de Desenvolvimento Sustentável – RDS Uatumã foi criada por meio do Decreto Estadual nº. 24.295, de 25 de junho de 2004, com área total de 424.430 ha, situada nos municípios de Itapiranga e São Sebastião do Uatumã, nordeste do Estado do Amazonas. Abriga um diversificado acervo de exemplares de espécies da fauna e flora amazônica, além de possuir uma especial beleza cênica que favorece a prática do turismo ecológico. Vivem na RDS cerca de 300 famílias, distribuídas em 20 comunidades situadas às margens do rio Uatumã, Jatapu e Caribi.  

Nenhum comentário

1. O Blog em Destaque reserva-se o direito de não publicar ou apagar acusações insultuosas, mensagens com palavrões, comentários por ele considerados em desacordo com os assuntos tratados no blog, bem como todas as mensagens de SPAM.

Tecnologia do Blogger.