Projeto salva produção alimentar de populações ribeirinhas durante enchentes



    


Trabalho faz parte do plano de ações da OTCA e já beneficiou 22 mil pessoas

As constantes cheias nas regiões Amazônicas deixam populações ribeirinhas sem fonte de renda e alimento, causando situações de calamidade pública nos municípios. Nesses períodos, é comum que produtores da região percam toda a plantação e fiquem sem poder cultivar durante quatro ou seis meses.

Nesse cenário, a Organização do Tratado de Cooperação Amazônica (OTCA), organismo intergovernamental que reúne oito países da Bacia Amazônica, desenvolveu, em parceira com diversas comunidades, um projeto que prevê a construção hortas em plataformas elevadas e permite o cultivo de alimentos durante enchentes extremas. Além disso, o projeto inclui tanques de redes no solo, para aumentar a produção de peixes, em municípios localizados em áreas com planícies inundáveis na região Amazônica, as chamadas Florestas de várzea. Com isso, mais de 22 mil habitantes da região puderam manter a produção alimentar de hortaliças e a pesca durante os períodos de cheias.

O Diretor Executivo da OTCA, Embaixador Mauricio Dorfler, explica que todos os trabalhos da organização são feitos com foco na população local. "A OTCA entende a vida como eixo central do seu trabalho, estuda e gera soluções a longo prazo para as comunidades em que atua. Buscamos alternativas para a população regional, trabalhamos para que haja um equilíbrio e harmonia entre o homem e a natureza, acreditando que  deve-se respeitar essa tão frágil relação", diz. 

As Florestas de várzea da Bacia Amazônica estão localizadas na região que fica entre o Brasil e o Peru. Por isso, o projeto-piloto foi implantado nas comunidades brasileiras de Tapará Grande, Urucurituba e Igarapé do Costa, do Município de Santarém (Pará), e nas comunidades peruanas São Jacinto e São Regis, localizadas na Reserva Nacional Pacaya Samiria, Província de Nauta (Departamento de Loreto).

O projeto comprova que regiões inundáveis podem ser cultivadas durante os períodos de cheias, aproveitando a riqueza e a biodiversidade do ecossistema de forma produtiva, por meio de agrotecnologias inovadoras. Tais práticas possibilitam a inclusão das comunidades ribeirinhas em mercados pouco explorados durante eventos climáticos extremos, como a cheias.

Dia Mundial da Água

O trabalho de hortas elevadas e piscicultura inovadora faz parte do projeto GEF Amazonas – Recursos hídricos e mudanças climáticas, que trata da gestão sustentável e integrada dos recursos hídricos transfronteiriços e é uma das principais frentes de ações da OTCA.

Diante do seu compromisso e responsabilidade na preservação e conservação dos recursos hídricos da região Amazônica, a OTCA define em sua agenda estratégica ações com objetivo de facilitar e promover a conservação, proteção e uso sustentável dos recursos hídricos da Amazônia.

O Secretário-Geral da OTCA, Embaixador Robby Ramlakhan, explica a relevância da preservação desses recursos, principalmente, devido à importância da água para a vida na Bacia Amazônica.

"Sabemos que não existe vida sem água e que a demanda por água potável aumenta continuamente, porém os recursos são limitados e esticados até seu limite. Além disso, as variabilidades e mudanças climáticas podem ter efeitos graves no abastecimento de água doce necessários para atender às nossas necessidades diárias. Portanto, a OTCA prevê a proteção e provisão de água doce na Amazônia. Para isso, desenvolveu o programa para atingir esse objetivo", afirma.

Nesse sentido, a OTCA preparou um comunicado sobre o Dia Mundial da Água, celebrado no próximo dia 22 de março, que assume um significado especial em função da importância da água para a vida na Bacia Amazônica.

A OTCA

A Organização do Tratado de Cooperação Amazônica é um organismo internacional criado em 1998 que, por meio de sua Secretaria Permanente (SP), trabalha nos procedimentos do Tratado de Cooperação Amazônica (de 1978) e na dinâmica da execução de suas decisões.

A OTCA atua em programas de ações estratégicas que propõem um manejo integrado e sustentável aos recursos hídricos que o rio Amazonas fornece. Assim, colabora para o enfrentamento dos desafios das mudanças climáticas que os ameaçam.

A partir de estudos qualificados, executa projetos-pilotos com foco nas potencialidades econômicas geradoras de renda e oportunidade para a região amazônica, proporcionando a efetiva cooperação dos países-membro.

Os países da região amazônica que integram a OTCA são: Bolívia, Brasil, Colômbia, Equador, Guiana, Peru, Suriname e Venezuela. Esses oito países possuem cerca de 20% das reservas mundiais de água doce, que estão concentradas na vasta bacia amazônica e sua rede de afluentes, composta por milhares de rios, dos quais 25 mil são totalmente navegáveis, fato que lhes confere um grande valor econômico.

A OTCA promove a cooperação regional, identificando em cada país-membro suas capacidades, conhecimentos e tecnologias. A partir desses potenciais, detecta quais as prioridades do desenvolvimento da região Amazônica e atua para uma cooperação positiva entre as nações.

Mais informações:





Comentários