Header Ads

Pesquisa revela que um a cada 100 idosos sofre de depressão em Manaus

PERLA SOARES

Em Manaus, um a cada 100 idosos sofre de depressão. É o que aponta uma pesquisa realizada pela psicóloga da Universidade de São Paulo (USP), Márcia Scazufca. O estudo foi desenvolvido durante dois anos e analisou mais de 700 idosos de quatro distritos de saúde da capital amazonense. Os dados mostram também que menos de 2% dos idosos que possuem a doença fazem tratamento.



“O estigma da depressão ainda é muito grande porque existe uma barreira que impede o tratamento da doença. É uma das principais doenças no mundo, em termos de impactos sociais e familiares. Ao analisar os prontuários em Manaus, percebemos que apenas 1,5% dos idosos recebiam tratamento”, disse a psicóloga.

A pesquisa foi feita, simultaneamente, em São Paulo e Manaus e envolveu cerca de 1500 idosos. Os estudos eram feitos com base no cadastro dos idosos nas Unidades Básicas de Saúde, mesmo sem que eles realizassem tratamento para a doença.

“Bastava à pessoa ser registrada na UBS que nós íamos à casa dela avaliar se ela tinha depressão. Nas duas cidades, nós observamos a prevalência de diversos fatores à depressão como fatores de risco, o que no ambiente dessas duas populações distintas aumenta o risco da doença”, disse Scazufca.

Workshop

O estudo durou cerca de dois anos e foi uma das 15 pesquisas apresentadas durante o “1° Workshop de Pesquisa Sobre o Envelhecimento e Longevidade no Amazonas”, realizado pela Universidade do Estado do Amazonas (UEA), por meio da Universidade Aberta da Terceira Idade da Universidade (UnATI), na quinta e sexta-feira. As atividades foram desenvolvidas no auditório Belarmino Lins da Assembleia Legislativa do Estado, rua Mário Ypiranga, Zona Centro Sul, e a programação encerrou na sexta.

O reitor da UEA, Cleinaldo de Almeida Costa, ressaltou que o Workshop é um momento de ciência, mas também de extensão, porque é uma forma de aproximar a sociedade da comunidade acadêmica.

“As pesquisas estão mostrando que na região amazônica, mais especificamente na região de Maués, uma grande parte da população está acima de 90 anos. Isso é um fato diferente de outras regiões do País. Isso fala a favor de dieta, de exercícios físicos, e qualidade de vida”, disse Costa.

De acordo com o diretor-presidente da UnATI, Euler Ribeiro, há 11 anos a Universidade realiza um encontro para discutir o envelhecimento e essa será a primeira vez que as pesquisas sobre o tema serão debatidas.

“Pesquisar o envelhecimento humano e aspectos a ele relacionados, como a genética, o sono reparador, o exercício e a dieta amazônica, nos proporcionou analisar que a comunidade ribeirinha está favorecida por não possuir um contato direto com os grandes centros urbanos. A pressão social e o estresse ajudam na promoção da morte celular, que é um dos fatores do envelhecimento”, disse Ribeiro.

Os idosos, nos seus aspectos biológico, psicológico e social, apresentam transformações próprias, requerendo tipos de assistências diferenciadas. A atenção focada ao seguimento do idoso é um ato político que envolve diferentes atores sociais: gestores, sociedade civil organizada, família e a clientela de idosos em um processo democrático, participativo e consensual.
posted from Bloggeroid

Nenhum comentário

1. O Blog em Destaque reserva-se o direito de não publicar ou apagar acusações insultuosas, mensagens com palavrões, comentários por ele considerados em desacordo com os assuntos tratados no blog, bem como todas as mensagens de SPAM.

Tecnologia do Blogger.