10 de outubro de 2014

Com ausência de José Melo ao debate da Band Amazonas, Eduardo Braga expõe propostas e realizações


Como anunciado antecipadamente pela assessoria de imprensa da coligação “Fazendo mais por nossa Gente”, o candidato à reeleição José Melo não participou do primeiro debate do segundo turno, realizado e transmitido pela TV Band Amazonas na noite desta quinta-feira (09/10). Um dos púlpitos no estúdio ficou vazio.

De acordo com a assessoria de imprensa de José Melo, o convite foi feito em cima da hora e sem regras definidas. A diretoria da TV Band Amazonas, contudo, esclareceu que a data e o horário para o debate no segundo turno já estavam registrados no TRE desde o primeiro turno, quando candidatos e representantes de coligações assinaram um documento concordando com as regras gerais.

Eduardo Braga agradeceu aos eleitores pela vitória no primeiro turno das eleições, ressaltando que o resultado mostra o descontentamento da maioria do eleitorado. “Tivemos duas grandes vitórias no primeiro turno das eleições. Primeiro, ganhamos. Segundo, pela primeira vez na História do Amazonas a eleição vai a segundo turno”, afirmou.

Braga apontou que faltar a um debate significa desrespeito com o povo. “O eleitor gostaria de confrontar as nossas ideias e analisar melhor nossas propostas”, disse o candidato, que pôde, com a ausência de seu adversário, expor com bastante tempo e clareza as ideias contidas em seu programa de governo.

No primeiro bloco, Eduardo Braga teve a oportunidade de falar sobre suas ideias para o crescimento econômico do Amazonas. O mediador do debate, que acabou se transformando em entrevistador, falou sobre a crise econômica brasileira e indagou sobre as possíveis ações para a economia do Amazonas. “Isso mostra o quanto é importante essa eleição. O Amazonas vai ter que lidar com uma realidade de crise no mundo. É preciso criar mais políticas de geração de emprego e renda na capital e no interior”.

A prorrogação da Zona Franca de Manaus também foi lembrada por Eduardo Braga como uma medida importante para a saúde econômica do Estado. “Esse foi um compromisso que a presidenta Dilma firmou e cumpriu com o Estado do Amazonas”, disse, acrescentando que é preciso fazer ajustes tributários para garantir a chegada de mais investimentos e permitir a criação de polos econômicos estratégicos no interior do Estado.

O problema crônico de falta d’água em alguns bairros de Manaus não ficou de fora. Eduardo Braga esclareceu que o Proama foi criado por ele justamente para resolver a falta d’água nas zonas Norte e Leste da cidade. “Tenho um compromisso absoluto com essa questão. Faltam alguns investimentos para que funcione plenamente e elimine definitivamente o problema da falta d’água nas zonas Norte e Leste”, disse.

Eduardo Braga aproveitou para expor suas ideias sobre saneamento básico. “O problema do saneamento é competência da prefeitura, mas não dá para ficar olhando para um programa sério como esse e dizer: ‘já fiz minha parte, não vou fazer mais nada’. O saneamento tem que ser visto como ação de saúde, para melhorar a qualidade de vida do homem do Amazonas”, defendeu.

A segurança pública não poderia ficar de fora. Braga defendeu a necessidade de construção urgente de pelo menos cinco novos presídios no Amazonas. “Precisamos construir dois novos presídios em Manaus e mais um em Parintins, um em Maués e um em Tefé. É preciso melhorar também a gestão desses presídios”, afirmou. 

O combate ao tráfico de drogas e de armas, bem como uma melhor gestão da Polícia Militar, com a implantação de uma polícia técnica com aparelhos modernos, também foram defendidos por Braga. “Tenho muito respeito pela Polícia Militar. Sei que é formada em sua maioria por bons policiais, mas não podemos deixar a maçã podre contaminar. Segurança é um desafio que vamos enfrentar com seriedade”, garantiu.

Além de suas propostas, Eduardo Braga também teve a oportunidade de apresentar suas realizações. Na área da saúde, por exemplo, revelou que dobrou o número de leitos na capital quando foi governador. Lembrou também que acabou com as filas durante a madrugada para marcar consultas e exames. “Construí 37 hospitais no interior. Dá, sim, para resolver o problema da saúde desde que tenhamos compromisso com vocês. Quero construir mais policlínicas, mais SPAs e levar médicos especialistas para o interior”, declarou.

O fato de que o Amazonas teve um péssimo desempenho no último Ideb, caindo inclusive várias posições, não foi esquecido por Braga. “Eles confundiram política de educação com partido político na educação. Eu quero colocar o Amazonas entre os cinco melhores do Brasil”, afirmou.

Braga se dirigiu diretamente ao servidor público no último bloco do programa. “Registro aqui o meu respeito pelo servidor público. Não podemos pensar em construir um Amazonas moderno sem valorizar o servidor público para que ele tenha qualidade”, defendeu, acrescentando que pretende elaborar um novo plano de cargos, carreiras e salários para os servidores do Estado.

Em suas considerações finais, Eduardo Braga lamentou a ausência de seu adversário no debate. “Nada justifica a ausência nesse debate. Estou aqui em respeito a você, telespectador. Em respeito à democracia. Faltar ao debate foi um desrespeito a você, que não pôde ver aqui um debate de ideias. Por tudo isso peço a você que, no dia 26, vote no 15 de Eduardo e Rebecca”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

1. O Blog em Destaque reserva-se o direito de não publicar ou apagar acusações insultuosas, mensagens com palavrões, comentários por ele considerados em desacordo com os assuntos tratados no blog, bem como todas as mensagens de SPAM.