12 de agosto de 2014

Merenda escolar regionalizada

Tendo acesso diário a itens alimentícios oriundos da produção agrícola regional, a comunidade estudantil tem avaliado positivamente a merenda escolar, que é composta de 50 itens, disponibilizada nas escolas da rede pública estadual de educação do Amazonas. A ação é parte do Programa de Regionalização da Merenda Escolar (Preme), que garante alimentação de qualidade para as escolas da capital e do interior.

Hoje, produtos como batata doce, macaxeira, pirarucu, açaí, banana pacovã, farinha de tapioca, batata cará, abóbora, além de outros itens fazem parte do cardápio escolar.

Localizada no conjunto Xingu, bairro da Compensa, zona oeste de Manaus, a Escola Estadual Senador Flávio da Costa Brito é uma das mais de 500 unidades de ensino da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) favorecidas com os alimentos regionais e que ofertam diariamente uma merenda diferenciada aos alunos, contribuindo para um hábito alimentar saudável.

Segundo a gestora da escola, Eliana Nascimento de Almeida, uma alimentação saudável é fundamental para o desenvolvimento dos estudantes. "Nós oferecemos uma alimentação de qualidade para que as crianças incorporem esse hábito também em casa e procuramos mostrar isso aos pais. São diversos produtos regionais disponibilizados, muito importantes para essa fase de desenvolvimento em que se encontram os estudantes", destacou.

A supervisora da merenda escolar da escola Flávio Brito, Jean Neide Santana, evidenciou a grande aceitabilidade dessa alimentação pelos alunos. "A maioria dessas crianças não têm acesso a esses alimentos em casa, mas aqui na escola nós suprimos essa necessidade. Nós ofertamos produtos regionais, como taperebá, cupuaçu, açaí e pirarucu, ingredientes regionais que têm uma aceitabilidade ótima por parte das crianças", afirmou.

O Programa de Regionalização da Merenda Escolar é executado em parceria com a Agência de Desenvolvimento Sustentável do Amazonas (ADS), responsável pela contratação de cooperativas regionais e repasse rotineiro dos itens alimentícios às escolas do Estado.

De acordo com a gastrônoma e instrutora da ADS, Gorete Ferreira Pontes, além de disponibilizar alimentos saudáveis, o Programa visa a valorização dos produtos da região. "Eu acho extremamente importante essa alimentação para os estudantes porque nós regionalizamos todos os produtos em uma merenda escolar, produtos que são bastante valorizados em todo o Brasil, inclusive no exterior", lembrou Gorete.

Para que a qualidade alimentar chegue aos estudantes, o Governo do Estado, através da Seduc investiu, somente em 2014, R$ 30 milhões na aquisição dos itens regionais para a merenda escolar. Os investimentos além de beneficiar os estudantes, favorecem produtores e cooperativas agrícolas regionais, uma vez que a garantia da comercialização gera emprego e renda.

Produtores beneficiados – No Amazonas, o Programa de Regionalização da Merenda Escolar atende a mais de  10 mil agricultores em todo o Estado. Um deles é o Dorivan Santos que mora em Iranduba (a 27 quilômetros em linha reta de Manaus) e há dois anos está inserido no programa. Na horta, Dorivan planta couve e cheio verde, itens da merenda escolar. De acordo com o produtor, o trabalho para a merenda escolar na horta envolve esposa, irmãos e cunhados e garantiu um aumento de 70% nas vendas.

"O escoamento de produção chegou a 70%. Antes, nós jogávamos fora produtos, colhíamos e não tínhamos para quem vender ou vendíamos para atravessadores e eles pagavam um valor baixo. Agora é diferente. Quando temos uma qualidade de vida melhor e uma renda melhor, começamos a investir na nossa produção, na casa, na educação dos filhos. Já dá até para  sonhar com o carro novo. É um sonho que já está no alcance das mãos", afirmou.
 
Ao todo o Estado investiu R$ 99.730 de 2011 a 2014 no Preme, o que garantiu uma produção de 22.548 toneladas de alimentos no mesmo período. Ao todo, os 62 municípios do Amazonas estão inclusos no programa, que conta com a participação de 75 agroindústrias e 60 cooperativas.

Itens – A merenda regionalizada nas escolas públicas estaduais do Amazonas é composta por 50 itens: abacaxi, abóbora, açaí (polpa), açúcar mascavo, arroz (tipo 1), banana in natura, banana pacovã, bananada, batata cará, batata doce, carne bovina (em tiras), castanha, cenoura, colorau, couve, doce de frutas, farinha amarela, farinha branca, jerked beef, cheiro verde, cenoura, farinha de tapioca, feijão de metro, feijão de praia, geleia de frutas, laranja, limão, macaxeira, mamão, melancia, músculo bovino (em cubos), ovos, palmito, picadinho de peixe, picadinho de carne, pimenta de cheiro, pimentão, polpa de frutas, queijo coalho, queijo frescal, queijo mussarela, quiabo, rapadurinha, repolho, tangerina, tempero regional, tomate, filé de pescado, pirarucu seco salgado e néctar de laranja.

CRÉDITO DAS FOTOS: NATHALIE BRASIL/AGECOM

Nenhum comentário:

Postar um comentário

1. O Blog em Destaque reserva-se o direito de não publicar ou apagar acusações insultuosas, mensagens com palavrões, comentários por ele considerados em desacordo com os assuntos tratados no blog, bem como todas as mensagens de SPAM.