Header Ads

Petrobras comemora 'descoberta excepcional' em Sergipe

A presidente da Petrobras, Graça Foster, classificou a descoberta na bacia de Sergipe-Alagoas como “excepcional”. "O que não estamos fazendo é divulgar números porque não podemos. Estamos fazendo um teste e trata-se, de fato, de uma bela e excepcional descoberta. A Petrobras precisa de grandes descobertas", afirmou a presidente, ao participar de evento em São Paulo nesta terça-feira.

O governo de Sergipe chegou a dizer que a descoberta no estado seria "a maior de 2013 em todo o mundo", mas a presidente se mostra cautelosa em falar sobre o tema, sobretudo depois da descrença generalizada que as descobertas frustradas da OGX, de Eike Batista, suscitaram no mercado.
Segundo Graça, a área de Sergipe-Alagoas, já apelidada de Sergipe Águas Profundas, já consta na curva de produção da Petrobras e uma das áreas da bacia deverá entrar em operação em 2018. Reportagem publicada pela Reuters em setembro afirmava que a área descoberta no estado nordestino tinha capacidade para 1 bilhão de barris, volume que não foi confirmado pela estatal.
O governador em exercício do estado de Sergipe, Jackson Barreto, disse recentemente que o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, anunciará oficialmente a descoberta durante uma visita a Aracaju em 23 de outubro — dois dias depois do leilão do Campo de Libra.
Libra — Graça disse também que a empresa vem trabalhando fortemente nos últimos três meses em torno das parcerias para Libra, a primeira área do pré-sal que será leiloada no dia 21 de outubro. Ela não quis revelar se a Petrobras terá mais de 30% de participação - a estatal, por lei, será a operadora única de Libra, com no mínimo 30% de participação, independentemente do vencedor da licitação.
A estatal precisa de caixa para fazer frente a um dos mais robustos plano de negócios do mundo. Graça acredita que a companhia deve encerrar o ano de 2013 com investimentos de cerca de 50 bilhões de dólares. "Investimos 45 bilhões de dólares em 2012 e este ano estamos caminhando para algo próximo de 50 bilhões", disse Graça.
Desinvestimentos — Contudo, em meio à necessidade de pesados investimentos no desenvolvimento das áreas do pré-sal, a Petrobras realiza um programa expressivo de corte de custos. Graça Foster disse que há previsão de fechar 38 escritórios no exterior até 2015, o que, segundo ela, não significa sair do país. "É questão de otimização de custos e simplificação da estrutura societária da Petrobras", afirmou.
Segundo a coordenadora de relacionamento externo da área de Exploração e Produção corporativo da Petrobras, Rafaela Monteiro, a estatal já alcançou um volume de desinvestimentos de 4,3 bilhões de dólares até o momento.
Em seu Plano de Negócios 2013 - 2017, a empresa tem como meta vender 9,9 bilhões de dólares em ativos não estratégicos. Isso significa que a companhia já atingiu metade desse valor com as operações realizadas até agora. A venda de ativos faz parte de um plano de reduzir custos e gerar caixa para executar os investimentos em curso na companhia, sobretudo na área de exploração e produção, de modo que a estatal não comprometa ainda mais seu endividamento, que já fez com que a agência de classificação de risco Moody’s rebaixasse sua nota de crédito na semana passada.

Nenhum comentário

1. O Blog em Destaque reserva-se o direito de não publicar ou apagar acusações insultuosas, mensagens com palavrões, comentários por ele considerados em desacordo com os assuntos tratados no blog, bem como todas as mensagens de SPAM.

Tecnologia do Blogger.