Diversidade - ARTHUR VIRGÍLIO





Tupé

*ARTHUR VIRGÍLIO
          Lisboa – Quando governei Manaus, criei a Secretaria Municipal de Meio Ambiente, dissolvendo várias outras, inúteis ou menos relevantes, com o fito de poupar recursos públicos. Nascia a Sedema, portanto.
          E ela enfrentou grileiros de terra, fez jorrar água pura no Tarumã Grande, silenciando as dinamites das pedreiras, criou o Parque do Mindu e, dentre muitos outros fatos mais, protegeu a praia do Tupé. Trabalhamos campanhas educativas sobre o lixo e destacamos efetivos da Sedema para a fiscalização da área, notadamente nos fins de semana.
          Militância ambiental se faz na prática, no dia-a-dia, nas realizações efetivas. E não em programas ilusórios, fantasiosos, como o Bolsa Floresta, que atinge apenas 6 mil famílias e serve mais para propaganda, para efeito demonstração, do que para, a rigor e com rigor, combater o desmatamento irresponsável.

          *Diplomata

spacer

Combate ao câncer de mama e colo de útero terá caminhada neste sábado

Abertura da programação do Outubro Rosa, nesta sexta-feira, contou com a participação da primeira-dama Nejmi Aziz 

         Um abraço simbólico no entorno da sede da Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon)  marcou o início, na manhã desta sexta-feira (30), da programação do Outubro Rosa - mês da mobilização mundial de combate ao câncer de mama e colo de útero. Neste sábado, 1º de outubro, centenas de pessoas também participam da caminhada contra o câncer, com concentração no Largo de São Sebastião, em frente ao Teatro Amazonas, no Centro, às 16h. 

         A primeira-dama do Estado, Nejmi Aziz, apoiadora frequente das campanhas de prevenção à doença, acompanha a programação do Outubro Rosa que, em Manaus, é organizada pelo Grupo de Apoio às Mulheres Mastectomizadas do Amazonas (Gamma), com o apoio do Governo do Amazonas. Nejmi, que neste ano foi eleita madrinha do Dia Rosa de Combate ao Câncer, evento que tem o apoio da Sociedade Brasileira de Mastologia, destacou o compromisso do governador Omar Aziz em ampliar a rede de assistência à saúde para combater, principalmente, estes que são os tipos de câncer que mais matam mulheres no Amazonas e no Norte do país. 

          "Já estamos com 12 mamógrafos em fase final de aquisição, logo, a partir do primeiro trimestre do ano que vem, os equipamentos já estarão atendendo nas regiões mais extremas do Amazonas. Além disso, os mamógrafos que irão completar a cobertura total do exame de mamografia no Estado, segundo o governador Omar, já estão em processo de licitação", informou a primeira-dama. Os aparelhos adquiridos vão atender inicialmente 12 municípios do interior do Estado.

         Casos no Amazonas - Para a primeira-dama, o 'Abraço Humano' na FCecon representou um ato simbólico de sensibilidade a um problema de saúde pública, contra o qual o Governo do Estado tem priorizado ações de assistência.  De acordo com dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca), o Amazonas deve registrar 2.590 novos casos de câncer em mulheres em 2011, dos quais 870 serão de mama e colo uterino, o equivalente a 32% do total.

         "Este é um momento de chamar atenção das mulheres acima de 40 anos a realizar o exame de mamografia. E usando o laço rosa cada mulher poderá sensibilizar a outra para esta prevenção", disse Nejmi. 

            Na FCecon,  a estatística aponta 1.426 neoplasias malignas diagnosticadas em 2009 e 1.172 em 2010, com redução de 17,8% entre um ano e outro. De acordo com a fundação, no caso do câncer de mama foram registrados 324 novos diagnósticos em 2009, contra 248 no ano passado (- 23,5%). Já o câncer de colo uterino passou de 218 casos em 2009 para 205 (-6%).

         Iluminação de monumentos – O Outubro Rosa foi criado em 1997, nas cidades de Yuba e Lodi, na Califórnia (EUA), e se caracteriza por colorir de rosa ambientes de acesso público. Tradicionalmente, o evento tem sido marcado pela iluminação de prédios e monumentos. 

         Na capital amazonense, estão confirmadas as iluminações nos seguintes locais: FCecon (Dom Pedro, zona centro-oeste), Assembleia Legislativa do Amazonas (avenida Mário Ypiranga Monteiro, zona centro-sul), Arena Amadeu Teixeira (Dom Pedro, zona centro-oeste), Instituto Dona Lindú (avenida Mário Ypiranga Monteiro, zona centro-sul) e Unidades Básicas de Saúde (UBS). Em alguns desses locais, haverá distribuição de material educativo.

         Além disso, Parintins (a 369 km de Manaus) também participará do movimento neste ano, iluminando o Bumbódromo e o Centro de Saúde Waldir Viana. Outros municípios que participarão são Coari (a 370 km da capital), cujos pontos a serem iluminados são o Cristo Redentor e a Policlínica; Borba (distante 150 km de Manaus), com a Estátua de Santo Antônio e o novo hospital da cidade. Manacapuru, Maués e Tabatinga também confirmaram, mas os locais ainda estão sendo definidos.

         "Além da iluminação conjunta, cada município terá uma agenda diária voltada às causas câncer de colo do útero e mama, tais como realização de exames preventivos, mamografias, palestras educativas, entre outros", explica a diretora do DPCC, enfermeira Marília Muniz.

         Ação se estende às presidiárias – Como parte da programação do Outubro Rosa, informa Marília, dia 13 de outubro as detentas do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) e da Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa (anexo), localizadas na BR-174 (Manaus-Boa Vista) e Centro de Manaus, respectivamente, realizarão seus exames preventivos (Papanicolau) e mamografias, e participarão de palestras educativas sobre o câncer de colo uterino e de mama.

         Além disso, fará parte da programação do Outubro Rosa, dia 28 de outubro, o "Treinamento para preenchimento de dados nos formulários padronizados do Siscolo (Sistema de Informações do Câncer do Colo do Útero) e Sismama (Sistema de Informação do Controle do Câncer de Mama)", voltado para profissionais das UBS que realizam a coleta do exame citológico do colo uterino e solicitam exames de mamografia.

Programação de atividades (outubro) 

Dia 1º - Às 16 horas. Caminhada no Centro de Manaus. Concentração Largo de São Sebastião, em frente ao Teatro Amazonas 

Dia 4º – Às 18h, será feito o lançamento oficial simultâneo do Outubro Rosa em Manaus, Parintins, Coari, Manacapuru, Maués e Tabatinga, e nas demais capitais brasileiras. 

Dia 13 – Exames preventivos e palestras serão realizadas para as detentas do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) e da Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa (anexo), localizadas na BR-174 (Manaus-Boa Vista) e Centro de Manaus.

Dia 28 – Treinamento para preenchimento de dados nos formulários padronizados do Siscolo (Sistema de Informações do Câncer do Colo do Útero) e Sismama (Sistema de Informação do Controle do Câncer de Mama) para profissionais das UBS.
 


Fotos: Herick Pereira / AGECOM



spacer

VEREADOR DE COARI PODE ESTAR ENVOLVIDO EM CRIME AMBIENTAL QUE ESTAR EM ANDAMENTO NO BAIRRO PÊRA

Um grande desmatamento está em andamento no Bairro do Pêra com consequência devastadora, uma vez que centenas de árvores nativas foram derrubadas e inclusive caucula-se cerca de 50 castanheiras. O crime pode ser mais terrível ainda se for levado em consideração que além do desmatamento está em andamento pelos envolvidos uma terraplanagem para uma estrada de barro, e nesta terraplanagem nascentes de águas estão sendo soterradas. Tudo isso de iniciativa particular, sem autorização do IPAAM e dos órgãos ambientais.

Segundo moradores o vereador Clemilton Silveira (PR) estaria por trás da iniciativa da construção da estrada de barro que ligaria um terreno recentemente adquirido pelo mesmo ao Bairro Grande Vitória. A denúncia passa a ser investigada por órgãos competentes que foram acionados por pessoas ligadas ao meio ambiente e que fizeram a denúncia também ao Blog Em Destaque.

Não é a primeira vez que o referido vereador estaria envolvido em crimes ambientais. Desde extração ilegal de areia, até a construção de uma vicinal entre a Estrada Coari-Mamiá e Coari-Itapéua, além de desmantamento de outras áreas para construção de conjuntos habitacionais. Em que mãos está o meio ambiente de Coari. 
spacer

ARNALDO DESGASTADO POLITICAMENTE: “O COPO ENCHEU E O PINGO D’ÁGUA TRANSBORDOU”. COM ESTA FRASE IRAN (DEM) ROMPE COM MITOUSO EM COARI

A declaração do Presidente da Câmara Municipal de Coari, o vereador Iranilson Medeiros, afirmando nesta última terça-feira (27) ter deixado definitivamente a base de apoio ao prefeito de Coari Arnaldo Mitouso pegou os vereadores presentes no Plenário da Câmara Municipal de surpresa. O pronunciamento aconteceu após mais uma vitória da Câmara em uma batalha jurídica contra a prefeitura de Coari. O presidente iniciou sua fala dizendo “que a partir de hoje, este que vos fala não faz mais parte da base aliada do governo, tomei uma decisão de seguir o meu caminho, de seguir a minha vida, e o que for preciso fazer para ajudar o povo de minha cidade, iremos fazer”. Iran afirmou falando especificamente aos outros vereadores dizendo que sua aliança com o prefeito “foi bom enquanto durou”, mas que infelizmente ele teria que traçar sua própria vida e caminho.

DESCASOS RELACIONADOS A ADMINISTRAÇÃO DA CÂMARA

Iran reafirmou que a principal motivação para tomar a decisão de deixar a base aliada de apoio a Mitouso foram os “tantos descasos” relacionados à sua administração a frente da Câmara. Iran disse respeitar a decisão dos vereadores em permanecer na base aliada, mas que ele próprio iria tomar seu caminho e como o futuro pertence a Deus ele não afirmou o que irá acontecer. Iran disse não estar levantando bandeira de nenhum outro grupo político.

BLOQUEIOS DE CONTAS CONSECUTIVOS ERAM INDÍCIOS 

Recentemente a Prefeitura de Coari não vinha repassando o duodécimo destinado à Câmara Municipal. Com isto, Iranilson Medeiros recorreu à justiça para que o repasse fosse prefeito e por duas vezes consecutivos em menos de 60 dias os recursos do duodécimo foram bloqueados e repassados diretamente para a conta da Câmara através de sentença judicial. A medida só foi tomada, segundo informou o Procurador da Câmara o advogado Elton Moraes, porque a Prefeitura de Coari negou atender os vários ofícios que foram enviados solicitando o pagamento do duodécimo, “e não havendo alternativa só restou a Câmara recorrer à justiça” – informou o advogado. Através deste blog, o procurador já havia afirmado que os recursos seriam bloqueados tantas vezes se fizessem necessário.

A ALIANÇA DE IRAN COM ARNALDO 

Mesmo historicamente antagônico a Arnaldo Mitouso, na política em Coari Iranilson Medeiros (DEM) foi eleito em 2008, pela base aliada de apoio ao ex-prefeito Rodrigo Alves. Quando da eleição suplementar Iran fechou aliança com Arnaldo e acompanhou o atual prefeito na eleição suplementar com seu grupo político onde Mitouso foi eleito. Iran elegeu-se presidente da Câmara para o biênio 2011-2012, mesmo à revelia de Arnaldo. Segundo especialistas na política local a briga já era anunciada, havendo uma respectiva de inclusive Iran cassar o mandato de Arnaldo assim que assumisse. Fato que não aconteceu. Mas em virtude dos novos fatos, os comentários sobre uma possível cassação voltaram à tona, principalmente se o prefeito continuar negando passar o duodécimo em dia e confrontando o papel do poder legislativo.

PARA A OPOSIÇÃO 

Arnaldo que já havia ganhado um opositor de peso com a saída de Evandro Moraes (ex-secretário) agora sofre mais uma baixa em sua base aliada. As consequências disto são imprevisíveis ainda, mesmo assim em entrevista ao blog no dia da declaração de Iran o vereador Emídio Neto (PP), negou que tenha havido participação ou interesse de seu grupo político na saída de Iran da base de apoio a Mitouso. Emídio apenas afirmou que a decisão do vereador só mostra que nem os próprios aliados do prefeito suportam tanta incompetência e que ele mesmo (Arnaldo) está mais perdido “do que cego em tiroteio”.
spacer

TENTÁCULOS DO NEPOTÍSMO NA CÂMARA MUNICIPAL DE COARI

Muitas pessoas questionam o fato de que apesar de estarem evidentes tantos sintomas de irregularidades e de improbidade por parte do prefeito Arnaldo Mitouso, mesmo assim ele detém a maioria dos vereadores na base de apoio ao seu governo atropelando valores éticos e legais sem que haja uma fiscalização rigorosa dos atos do chefe do poder executivo. Uma das explicações para esta manutenção está sem dúvida no NEPOTÍSMO, usado por Mitouso como arma e moeda de troca. Não é só nos quadros do primeiro escalão do executivo que Mitouso usa deste expediente, na Câmara há exemplo claro de parentes de vereadores com assessoria que ganham para simplesmente não fazer nada em troca de apoio de seus parentes membros do legislativo, autoridades que são responsáveis por aprovações de lei tão importante como é o caso da lei orçamentária, dentre outras .

COOPTANDO ADVERSÁRIOS

O vereador Márcio Oliveira (PSL) é um dos principais aliados, no momento, do prefeito Arnaldo Mitouso. Segundo o Blog da Floresta, ele tem vários parentes que hoje ganham assessoria da Prefeitura de Coari, o blog citou que “Viviana Úrsula Oliveira Ribeiro (prima) e Alcides Martins de Oliveira Neto (irmão), são apenas dois dos parentes nomeados pelo prefeito para que o parlamentar fique de bico calado”. O decreto dos dois parentes do vereador foram assinados no dia 4 de julho deste ano. Ambos são cargos comissionados, não havendo necessidade de concurso público para tal, mas ficando no poder do prefeito exonera-los quando achar conveniente, o que faz com que o vereador fique comprometido com as decisões do chefe do poder executivo.

NOMEADO PARA CUIDAR DO MERCADINHO 

Outro vereador que tem parentes com cargo comissionado na Prefeitura de Coari é o vereador Adnamar Maciel (PMN). Um exemplo disto é o Sr. Adelson Neri Guimarães que é Assessor Especial Nível II, da Secretaria de Infraestrutura Rural, mas que é visto normalmente no horário de serviço cuidando de seu mercadinho no Bairro Amazonino Mendes. Adelson foi nomeado no dia 27 de Abril deste ano pelo prefeito de Coari Arnaldo Mitouso.

OUTROS EXEMPLOS 

Estes são dois pequenos exemplos, de informações públicas que estão a disposição de qualquer cidadão que tenha acesso ao Diário Oficial. O vereador Adnamar ficou conhecido por defender um discurso ético e de oposição, assumindo um compromisso de batalhar por concurso público uma vez que era ligado ao Sindicato. Hoje, este discurso caiu no esquecimento, assim como a iniciativa do acesso de funcionários através de concurso, uma vez que há uma facilidade muito grande para manter parentes e aliados na folha de pagamento da Prefeitura de Coari sem concurso público, é só manter o apoio ao chefe do executivo.
spacer

Governador Omar Aziz espera que presente de Dilma no aniversário de Manaus seja a prorrogação da Zona Franca


         O governador Omar Aziz afirmou esperar que o presente surpresa anunciado pela presidenta Dilma Roussef para os amazonenses no aniversário de Manaus seja a prorrogação da Zona Franca por mais 50 anos. "Ela falou que vai nos dar um grande presente dia 24. Acho que o maior presente que ela pode dar à cidade de Manaus é a consolidação da nossa maior riqueza, a Zona Franca", disse o governador, ao lembrar que este foi um compromisso assumido com ele no segundo turno das eleições do ano passado.
         Ao desembarcar no aeroporto Eduardo Gomes, na manhã desta quarta-feira, para lançar o programa Bolsa Verde e assinar o termo de pactuação do plano " Brasil Sem Miséria" com os governadores da Região Norte, a presidenta Dilma Rousseff, reafirmou, em entrevista a emissoras de rádio locais,  que vai cumprir, "o mais cedo possível", a promessa de prorrogar a Zona Franca de Manaus e estender os benefícios fiscais do modelo para a Região Metropolitana de Manaus (RMM). 

         "Vou cumprir minha palavra, vou prorrogar a Zona Franca por 50 anos e vou estender os benefícios para a grande Manaus. Pode ter certeza que eu vou, o mais cedo possível, retornar aqui para assinar os instrumentos que viabilizam isso. Primeiro a PEC (Proposta de Emenda Constitucional), que é um instrumento legislativo, e o segundo, um instrumento executivo, que é o Decreto que vou assinar. Não digo quando, é surpresa",  afirmou Dilma, ao confirmar que  volta a capital do Amazonas no próximo dia 24 de outubro para a inauguração da Ponte Rio Negro, ocasião em que prometeu "dar um presente para Manaus".

          
A presidente destacou que a prorrogação da Zona Franca de Manaus é "um compromisso de honra", principalmente porque, segundo ela,  o modelo permitiu aliar o desenvolvimento econômico com a preservação ambiental, beneficiando a população que vive na região amazônica.

         Programas Sociais –  Em cerimônia no Teatro Amazonas a presidenta assinou com os governadores da região Norte o Termo de Pactuação do Plano Brasil Sem Miséria e lançou o programa de transferência de renda Bolsa Verde, destinado a famílias que vivem em áreas de conservação ambiental. 

         Na ocasião, foram assinados vários termos e contratos com os governadores, Prefeitura de Manaus, com cooperativas e associações que visam não só os programas de transferência de renda, como o Bolsa Família e o Bolsa Verde, como também o incentivo à agricultura familiar, além da regularização fundiária.

         O governador Omar Aziz assinou, junto com a ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, o convênio do Programa de Aquisição de Alimentos (PPA), que permite a compra de produtos produzidos por agricultores familiares para programas de auxílio a entidades sociais. O programa beneficiará 683 agricultores de 17 municípios.

         Com a Prefeitura de Manaus, foi assinado um contrato semelhante, para aquisição de alimentos produzidos pela Cooperativa Agroindustrial do Projeto de Assentamento Uatumã. Os alimentos serão distribuídos para 430 escolas de Manaus via Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). 

         Participaram da solenidade no Teatro Amazonas, as ministras do Desenvolvimento Social e Combate a Fome, Tereza Campello; do Meio Ambiente, Izabella Teixeira; e das Comunicações, Helena Chagas, além dos governadores do Amazonas, Omar Aziz; do Pará, Simão Jatene; do Acre, Tião Viana; de Rondônia, Confúcio Moura; do Tocantins, Siqueira Campos; do Amapá, Camilo Capiberibe e de Roraima, Anchieta Júnior.

         O Bolsa Verde é um programa de transferência de renda, que está inserido no "Plano Brasil Sem Miséria", e prevê o pagamento de R$ 300, por trimestre, a famílias em situação de extrema pobreza que promovam a conservação ambiental, tendo concepção semelhante ao programa estadual Bolsa Floresta.  No Amazonas, a primeira fase do programa vai beneficiar 1.112 famílias que residem em Unidades Federais de Conservação de Uso Sustentável e projetos de assentamento da reforma agrária. O Governo do Amazonas vai trabalhar em parceria com o Governo Federal na identificação de famílias em condição de extrema pobreza para inclusão no programa. 

         Sensibilidade – O governador Omar Aziz reconheceu a sensibilidade da presidenta Dilma Rousseff, ao lançar programas de complementação de renda na Amazônia, porém defendeu que os programas não devem contemplar apenas ajuda financeira. Segundo ele, é preciso que o Estado promova junto às famílias o acesso à educação, saúde e às políticas públicas, que possam melhorar a qualidade de vida das pessoas. "Não basta receber dinheiro, elas (as famílias) têm que ter alternativas", disse o governador.
         Omar citou como exemplo o programa Bolsa Floresta, do Governo do Amazonas, no qual o Bolsa Verde, do Governo Federal, foi inspirado. Paralelo à bolsa mensal do Bolsa Floresta, uma série de outros programas são levados às comunidades, como cursos de capacitação à distância, que ensinam como usufruir da floresta de forma sustentável.
         Segundo Omar Aziz, o Governo do Estado está disposto a fazer parcerias, dentro dos projetos que já são realizados com as comunidades ribeirinhas, a exemplo do Pronto Atendimento Itinerante (PAI), cujos barcos oferecem ações de cidadania e saúde e, agora, passarão a levar exames de mamografia para prevenção do câncer de mama.
         Outro exemplo de projeto citado por Omar é o Jovem Cidadão, que oferece bolsa auxílio para estudantes da rede estadual e mantém o aluno em alguma atividade extracurricular no contraturno escolar. Segundo o governador, hoje são contemplados 100 mil alunos, mas a meta é expandir a todos os municípios e alcançar, em dois anos, 200 mil estudantes.  "Ao mesmo tempo em que oferecemos a bolsa, mantemos o aluno num local de tranquilidade para os pais", explicou o governador, ao destacar também as Escolas de Tempo Integral, outro programa que, segundo ele, é uma saída para a educação e ainda ajuda a prevenir a criminalidade.



Fotos: Alex Pazuello / AGECOM

spacer

Presidente Dilma Rousseff garante que vai assinar decreto que prorroga Zona Franca de Manaus por mais 50 anos

A presidente Dilma Rousseff disse, na manhã desta quarta-feira, logo após ser recebida pelo governador Omar Aziz, no Aeroporto Eduardo Gomes, que vai assinar uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) e um Decreto prorrogando a Zona Franca de Manaus por mais 50 anos e estender os benefícios fiscais do modelo para a Região Metropolitana de Manaus. Ela não adiantou a data que os instrumentos serão assinados, mas garantiu que estará em Manaus, no próximo dia 24 de outubro, para a inauguração da Ponte Rio Negro.

Dilma disse que, em sua vinda na data do aniversário de Manaus, vai dar um presente surpresa para a capital do Amazonas. " Vou prorrogar a Zona Franca por mais 50 anos e vou estender os benefícios para a Região Metropolitana de Manaus. A data que isso vai acontecer é surpresa", disse a presidente Dilma em entrevista a emissoras de rádio de Manaus no aeroporto. Dilma também falou, em entrevistra às radios, sobre investimentos do governo federal na área social, em logística e na ampliação da oferta de energia elétrica no Amazonas.

Mais notícias em breve.


FOTO: ALEX PAZUELLO
spacer

Governador Omar Aziz anuncia sede própria para a UnATI/UEA



         O governador Omar Aziz anunciou nesta terça-feira, 27 de setembro, que a Universidade Aberta da Terceira Idade, da Universidade do Estado do Amazonas (UnATI/UEA), irá ganhar uma sede própria em breve. O local escolhido é o Centro de Convivência do Idoso da Compensa, na avenida Brasil, zona oeste, que está em fase final de construção pelo Governo do Amazonas.  
         O anúncio foi feito durante a aula inaugural das Oficinas e Cursos Livres da instituição, realizada no Salão Rio Solimões, anexo ao Centro Cultural Palácio Rio Negro. Ao lado da primeira dama Nejmi Aziz, o governador disse que está disposto a discutir uma forma de dar autonomia à UnATI, hoje vinculada à reitoria da UEA. "Eu fico feliz porque o Governo pode dar a estas pessoas a chance de terem uma oportunidade de uma atividade que contribua para melhorar seus conhecimentos, aumentar a autoestima e prevenir problemas que venham a surgir, como a depressão e outras doenças", disse Omar Aziz.
         O evento contou com a presença do reitor da UEA, José Aldemir de Oliveira, do diretor da UnATI, Euler Ribeiro, e de alunos, professores e colaboradores da instituição, que oferece várias atividades esportivas e culturais para quem tem idade a partir de 55 anos. Todas as 1,5 mil vagas abertas estão preenchidas.
         Para Euler Ribeiro, a UnATI tem uma importância grande no acompanhamento do processo de envelhecimento da população do Estado. O Amazonas possui, segundo ele, mais de 200 mil idosos com idade acima de 80 anos, o que representa 1% da população do Estado, quando a média nacional é de 0,5%.  
         Euler informa que parte dos cursos são voltados a reintegração ao mercado de trabalho. "Estamos visando a Copa do Mundo de 2014 e para isso oferecemos cursos como recepcionistas bilíngues, além de ensinar o empreendedorismo". Ano passado, foram reintegrados ao mercado de trabalho, via UnATI, 90 idosos, sendo que o mais novo tinha 73 anos".
         O reitor da UEA, José Aldemir de Oliveira, destacou que a principal missão da  UEA ao criar a universidade da terceira idade é oportunizar às pessoas idosas a chance de retornarem a universidade, de discutirem o seu papel na sociedade e, sobretudo, buscar a garantia dos direito dessas pessoas.        
         A UnATI/UEA está situada no 3° andar- Bloco Anexo da Escola Superior de Ciências da Saúde (ESA), na avenida Carvalho Leal, nº 1777, Cachoeirinha. Os cursos e oficinas acontecem de segunda a sexta-feira, na ESA, na Escola Superior de Ciências Sociais (ESO) e no Centro de Convivência do Idoso da Aparecida.
         A instituição oferece cursos de idiomas (português, inglês, francês e espanhol), informática (pré-básica e básica), empreendedorismo e ornamentação de eventos, alguns destes em parceria com o Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam). As oficinas oferecidas são: envelhecimento saudável, alimentação saudável, pilates, caminhada, cuidando do corpo, exercitando o equilíbrio, teatro, coral, seresta, dança de salão, dança coreográfica, violão, fotografia digital, exercitando a memória e espiritualidade no cotidiano, entre outros.
 FOTOS: ALEX PAZUELLO
spacer

Má qualidade do ensino


Este é um daqueles problemas brasileiros que todos os diagnósticos já foram publicados assim como todos os prognósticos. Todas as causas e os efeitos são totalmente conhecidos, mas a cada dia que passa só piora e, de novidade, só as justificativas banais das autoridades e algumas medidas exóticas para camuflar a gravidade do problema. 

Ainda que tudo que se escreva seja café requentado, é preciso se insurgir contra a duradoura péssima qualidade do ensino. Mas é necessário, para não fazer o jogo que mais interessa aos responsáveis pelo ensino, que julgam suficiente escamotear e esperar a melhoria sem nenhuma iniciativa impactante, além de vir acompanhada de todas as outras menores, mas permanentes.

Falta professor ensinando matéria que não estudou é a crítica mais recorrente. Para isso existem vários órgãos, conselhos, equipes de estudo para viabilizar tanto a formação adequada dos universitários, como apontar medidas a serem executadas pelas autoridades. Entretanto, a própria lei que exige formação superior de professores para os diversos níveis de ensino vem tendo essa exigência adiada por décadas.  

Outra vertente importante para a melhoria são os pais de alunos ou seus responsáveis. Estes se limitam a matricular os filhos, muitos com o objetivo principal de transferirem à escola a deseducação apreendida nos lares. Nas reuniões, os professores falam e os pais dizem amém. Conveniência para ambos. Sem cobrança, nem o profissional nem o pai tem referência de nível de aprendizado para os filhos. Faltam parâmetros para todos e isso favorece ao preguiçoso e desinteressado de todos os lados. 

Como em regra a péssima qualidade está nas escolas públicas, muitos pais não têm mesmo conhecimento suficiente para cobrar, além da total falta de interesse. Mas não há escola sem diretor, vice disso e daquilo, tantos outros coordenadores que se limitam a olhar caderneta e presença de alunos. Acima, tem-se uma imensidão de delegacias e seccionais da educação. 

Para as estratégias mais amplas existem um Ministério, com representação em todos os estados. Existem 27 secretarias estaduais de Educação, seguidas das seis mil municipais. É uma infinidade de secretários sem nenhuma solução Quase à unanimidade são escolhidos entre cabos eleitorais, totalmente despreparados. Aí, cria-se cartilha para ensinar que se deve escrever corretamente "nóis vai". 

Mesmo com esse contingente equivalente a um Exército, as informações sobre as boas iniciativas não circulam de maneira a permitir que sejam adotadas por outros estados e municípios. Seria preciso questionar até onde pode ser proposital a superioridade de anos luz do ensino privado. Afinal, se a escola pública ensinasse ninguém seria ingênuo suficientemente para contribuir para formar uma verdadeira indústria de tirar dinheiro e pagar uma fortuna por um ensino igual.

Virou moda atribuir às pessoas o dever de apontar soluções, como se não fosse eleito ou nomeado para ocupar cargos públicos. Ainda que seja para inglês ver, dentro de dez anos, toda escola está obrigada por lei federal a ter uma biblioteca. Como também é da cultura nacional, outra lei deveria trazer outro artigo expandindo essa obrigação a todas as empresas, sindicatos, igrejas e instituições. 

Por enquanto a má qualidade é órfã, quando vier a solução terá mais de mil pais. Os governos vão passando e não se sentem responsáveis. A culpa é sempre do que já passou. É a cultura da herança maldita. 

Cada vez que se publica uma estatística do desastre, do que todo mundo já conhecia, fervilham especialistas e profissionais a explicarem o fracasso. E as autoridades a afirmarem que nunca antes na história deste país, do estado ou do município tanto dinheiro foi aplicado na educação. Equiparam-se ao zagueiro valentão, geralmente o mais grosso do time que, ao sofrer um gol, sai pagando pau e gritando com todos. Na maioria das vezes foi ele quem falhou. Mas seus berros delatores garante sua escalação na próxima partida.

Na fracassada educação tem jogador com projeto para se tornar técnico no próximo ano. Cabe à torcida permitir ou não. Mesmo assim, "a gente vamos" continuar de braços cruzados. Eis a saúva brasileira. Ou descruzamos os braços e tiramos o bundão do sofá, ou nada muda. Não é por falta de aviso; não é presidente Lula?

    Pedro Cardoso da Costa – Interlagos/SP
         Bel. Direito


spacer

Busca ativa de famílias para o Bolsa Verde será feita em parceria entre os Governos Federal e Estadual no Amazonas

            O Governo do Amazonas vai trabalhar em parceria com o Governo Federal na identificação de famílias em condição de extrema pobreza para inclusão no programa Bolsa Verde, que será lançado em Manaus, nesta quarta-feira (28), pela presidente Dilma Rousseff, com a presença do governador do Estado, Omar Aziz, às 11 horas, no Teatro Amazonas, Centro. Inicialmente, o benefício do Governo Federal vai alcançar 1.112 famílias de oito Unidades Federais de Conservação e de seis programas de assentamento.

            Na ocasião do lançamento do programa Bolsa Verde, os governadores dos Estados da Região Norte vão assinar o Termo de Pactuação do "Plano Brasil Sem Miséria", com o objetivo de reunir esforços para atender a meta do programa federal, que visa elevar a renda e as condições de bem-estar à população, sobretudo de famílias extremamente pobres que ainda não são atendidas de forma integrada nos programas sociais da União. No Amazonas, o Governo Estadual já iniciou o trabalho de busca ativa para o Plano.

            Participam da solenidade no Teatro Amazonas, as ministras do Desenvolvimento Social e Combate a Fome, Tereza Campello; do Meio Ambiente, Izabella Teixeira; e das Comunicações, Helena Chagas, além dos governadores do Amazonas, Omar Aziz; do Pará, Simão Jatene; do Acre, Tião Viana; de Rondônia, Confúcio Moura; do Tocantins, Siqueira Campos; do Amapá, Camilo Capiberibe e de Roraima, Anchieta Júnior.

            O Bolsa Verde é um programa de transferência de renda, que está inserido no "Plano Brasil Sem Miséria", e prevê o pagamento de R$ 300, por trimestre, a famílias em situação de extrema pobreza que promovam a conservação ambiental, tendo concepção semelhante ao programa estadual Bolsa Floresta.  No Amazonas, a primeira fase do programa vai beneficiar 1.112 famílias que residem em Unidades Federais de Conservação de Uso Sustentável e projetos de assentamento da reforma agrária.

            Em todo o Amazonas, existem 32 Unidades de Conservação pertencentes à União, o que corresponde a 15% do território do Estado. Nessa primeira fase, o Bolsa Verde vai alcançar oito destas unidades e seis programas de assentamento. Em todo o país, o programa federal pretende atender 75 mil famílias, com recursos da ordem de R$ 240 milhões, até 2014.

            A secretária de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Nádia Ferreira, explica que os programas de transferência de renda de cunho ambiental, dos Governos Federal e Estadual, atendem a públicos diferentes e atuam de maneira complementar. De acordo com Nádia Ferreira, o Bolsa Floresta é o maior programa de pagamento por serviços ambientais do mundo e atende 7.332 famílias no Estado em 15 Unidades de Conservação.

            Os critérios para participar do Bolsa Verde são os mesmos utilizados pelo "Plano Brasil sem Miséria", que atende famílias com renda per capita mensal de R$ 70, registradas no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico). O benefício será pago no mesmo cartão do "Bolsa Família" e os beneficiados terão que exercer comprovadamente atividade de conservação.

            Segundo a diretora do Departamento de Extrativismo do Ministério do Meio Ambiente, Andréa Oncala, as propriedades identificadas passam ainda por um diagnóstico ambiental para verificar o cumprimento da reserva legal de 80% da propriedade. O Bolsa Verde é concedido após assinatura de termo de adesão e responsabilidade. "O programa tem duas finalidades. Uma é a elevação de renda de famílias em extrema pobreza e o outro é justamente contribuir com a conservação ambiental dessas áreas de bastante relevância para o meio ambiente no País", afirmou.

            O programa será gerenciado pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), com monitoramento do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e do Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam).

            Plano Brasil sem Miséria – Para a busca ativa das famílias em condição de extrema pobreza para inclusão do "Plano Brasil sem Miséria", o Governo do Amazonas vai empregar a estrutura dos três barcos do Programa de Pronto Atendimento Itinerante (PAI), dos Centros de Referência de Assistência Social (Cras) e dos Centros de Referência Especializada de Assistência Social (Creas), mantidos pela Secretaria de Estado de Assistência Social (Seas). O trabalho será realizado em parceria com o Governo Federal em articulação com as prefeituras municipais.

            Segundo a secretária de Assistência Social, Regina Fernandes, o comitê gestor das estratégias de busca ativa estadual, formado por representantes de Secretarias de Governo, já se reuniu com todos os secretários de assistência social dos 62 municípios do Amazonas para discutir o plano e definir a busca ativa.

            Principal plataforma do Governo Federal para inclusão social da população em situação de extrema pobreza, o plano vai atuar em articulação direta com governos estaduais e municipais com a meta de alcançar 16,2 milhões de brasileiros que vivem na linha da pobreza, com renda per capita mensal de até R$ 70. No Amazonas, o mapa da pobreza feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) identificou 648,6 mil famílias.
            Segundo a assessora especial da Secretaria de Erradicação da Pobreza do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate a Fome, Lúcia Modesto, até maio deste ano, em todo o Brasil, 220 mil famílias foram incluídas nos programas sociais do governo.
            Na região Norte, o Governo Federal estima que 30 mil famílias pobres precisam ser incluídas nos programas sociais. "No Amazonas, essas famílias identificadas serão incluídas no Bolsa Família e aquelas que estiverem em unidades de conservação também receberão o Bolsa Verde", disse Lúcia Modesto.


spacer

Plantio de 15 mil mudas de plantas em áreas do Prosamim

A Unidade de Gerenciamento do Programa Social e Ambiental dos Igarapés de Manaus (UGPI/Prosamim), do Governo do Amazonas, promove até o final do ano o plantio de 15 mil mudas em todas as áreas da cidade beneficiadas pelo programa. De acordo com o biólogo e coordenador do projeto, Weber Vieira, a arborização corresponde ao cumprimento da etapa ambiental do Prosamim. Na tarde desta segunda-feira (26), 200 mudas foram plantadas no Parque Residencial Paulo Jacob, entre a avenida Sete de Setembro e rua Ipixuna, no Centro.
            "Estudos comprovaram que a sensação de calor em Manaus varia de local para local conforme a quantidade de árvores existentes nas imediações. Baseado nisso o Prosamim pretende transformar suas praças e parques em grandes bosques onde a sensação de calor deve ser bem menor do que é hoje", disse Weber, ao destacar que nos últimos cinco anos, o Prosamim já realizou o plantio de aproximadamente dez mil mudas nos conjuntos habitacionais Nova Cidade, João Paulo, Parque Residencial Manaus e Professor José Jeferson Carpinteiro Perez.
            No Parque Residencial Paulo Jacob, no Centro, foram plantadas, em comemoração à semana da árvores, 200 mudas de plantas como açaizeiros, acerola, palmeira merrille, pau pretinho, jutairana, mogno, seringueira, abacaba, jambo e pitanga. A ação contou com a participação da banda da Polícia Militar. Na ocasião, os moradores do Prosamim foram os jardineiros do parque.
            A participação da comunidade, segundo o coordenador do Prosamim, Frank Lima, é de extrema importância para manutenção da paisagem. "As mudas serão cercadas e regadas pela comunidade. Cada comunidade tem uma liderança que vai coordenar e distribuir o material necessário para conservação", disse Lima, ao destacar que o projeto de arborização segue orientação do governador Omar Aziz de elevar o bem-estar da população atendida pelo Prosamim.
            Para incentivar a continuidade desse tipo de ação junto à comunidade, o Programa realiza ainda palestras em escolas, atividades lúdicas com palhaços, grupos de dança da comunidade e apresentações teatrais envolvendo  parceiros como a Secretaria Municipal de Limpeza e Serviços Públicos (Semulsp), Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas), Secretaria de Educação do Amazonas (Seduc), Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), Vara Especializada do Meio Ambiente e Questões Agrárias (Vemaqa) e Grupo de Escoteiros do Estado do Amazonas.

Fotos: Nonato Duarte / AGECOM


spacer

ESTÁ VIRANDO ROTINA, CÂMARA DE COARI BLOQUEA RECURSOS DA PREFEITURA MAIS UMA VEZ

Ser um prefeito mau pagador ainda vai render muita dor de cabeça para Arnaldo Mitouso. O Tribunal de Justiça do Amazonas, mais uma vez bloqueou os recursos destinados ao pagamento do duodécimo para o poder legislativo coariense. Mais uma vez, Mitouso é pego em uma irregularidade e é obrigado pela justiça a cumprir o que a lei determina.

A Câmara tem seu direito reconhecido pela justiça, só falta ter seu poder reconhecido pelos vereadores que se submetem a troca de favores (conforme provas coletadas) em ignorarndo o que a lei fala, prevaricando com o chefe do executivo e mantendo um prefeito que desonra o poder que eles juraram resguardar.

Falta energia da parte do Presidente da Câmara, que com tantos bloqueios consecutivos já tem provas suficiente para abrir uma comissão processante e não o faz.
spacer

O NEPOTÍSMO ESCANCARADO NO COARIPREV

A prática de um governo marcado pelo nepotísmo já não é nenhuma novidade na gestão do prefeito Arnaldo Mitouso, em Coari. Durante esta semana veremos vários exemplos da prática que imoral na gestão pública e que é objeto de várias denúncias e investigações que estão em andamentos. Outras destas denúncias precisam ser apuradas pelos orgãos competentes, pois ferem mortalmente as leis do país e o bom senso.


MARIDO E MULHER BRINCAM COM RECURSOS PÚBLICOS NO COARIPREV.

No Coariprev um casal comanda as finanças da instituição. A autarquia é comadada pelo advogado ELISANDRO DE SOUZA PORTELA que assina e autoriza diárias para sua esposa a senhora MONIQUE RODRIGUES que é diretora administrativa da instituição. Um exemplo disto é a PORTARIA 004/2010-GDP onde ele designa sua esposa (a diretora financeira) para viajar ganhando diárias para custeio das despesas com deslocamento e alimentação, isto no dia 13 de janeiro de 2010.

Não demora muito, e o generoso favor é devolvido com o dinheiro público. A esposa antes beneficiada com as diárias, no dia 15 de janeiro de 2010, devolve a gentileza designando através da PORTARIA 009/2010-GDAF o Direitor Presidente a viajar também para Manaus, com diárias pagas por dinheiro público para despesas com passagem, alimentação.

Um concede diária para o outro. Fácil, fácil. E fica mais fácil quando as funções no serviço público se confundem com os laços afetivos de parentesco ou de familiaridade, como é o caso de marido e mulher.


UM DEPÓSITO QUE ESTÁ SENDO INVESTIGADO

Uma outra denúncia, alvo de investigação, vai muito mais afundo e envolve uma autorização constante do Ofício n. 034/2010/CP-GDP, destinado ao gerente do Banco do Brasil AUTORIZANDO o débito do valor de R$ 16.700,00 (Dezesseis mil e setecentos reais) para a conta corrente n. 67147-9 de uma agência de Manaus, favorecendo a empresa Imagens Comércio Importação e Exportação Ltda. A autorização era para que o dinheiro fosse transferido automaticamente da conta do Coariprev para a referida empresa.

A suspeita, que gerou a denúncia, é de que a referida empresa teria ligações com o casal que comando administrativa e financeiramente a autarquia. O Coariprev é o órgão da administração direta da Prefeitura de Coari que cuida dos aposentados e pensionista do município e assim como a CAESC possui orçamento próprio.

As denúncias em torno da suspeita levantada foram entregues ao Tribunal de Contas do Estado e provalvemente a outras entidades reguladoras.



spacer

POSTS COM TEMAS POLÊMICOS DA PREFEITURA DE COARI

O Blog em Destaque vai postar durante esta semana uma série de temas relacionados ao dia-a-dia da administração pública em Coari, temas corroborados com vasta documentação que estão sendo investigadas pelo Tribunal de Contas do Estado, Ministério Público e pela Polícia Federal.

Os temas que serão publicados dizem respeito a temas de interesse público e não são temas direcionado a vida particular de quem quer seja e sim tem a ver com o aspectos da publicidade e transparência do serviço público que é previsto na Constituição Federal.

Quem se envolver no serviço público deve entender que está administando recursos públicos, que são da coletividade e não de grupos fechados, sendo portando uma das exigências fundamentais é a publicidade dos atos.
spacer

DESMANDOS EM COARI CHAMAM A ATENÇÃO DA IMPRENSA DO ESTADO

O município que tem a segunda maior arrecadação do estado mas que não constrói uma obra relevante, nem paga seus funcionários em dias e não repassa o dinheiro para pagar os funcionários da Câmara Municipal em dias, é o retrato de Coari. Isto além de outros problemas maiores que afetam a economia e o comércio local. Uma administração assim só poderia chamar a atenção pela aberração que estes fatos indicam.

Com um orçamento de 182 milhões/ano o prefeito de Coari vive com o pires na mãos, como se fosse administrador de um vilarejo. Estes fatos não passam despercebidos para quem tem o menor grau de sanidade mental. Agora passam a chamar a atenção da imprensa do Estado do Amazonas.

No jornal Acritica de hoje, versão impressa, no primeiro caderno, na coluna Pinga Fogo, diz o seguinte:

A primeira-dama de Coari, Aldeneida Mitouso, dise que vai pedir ajuda do Governo Federal para construir um poço artesiano na cidade. O pedido chama atenção já que Coari tem o segundo maior orçamento do Estado.
 Só poderia chamar a atenção mesmo, pois este tem sido o procedimento de Mitouso em Coari. Ele publica na TV local ações que são da iniciativa privada ou do governo do Estado com a assinatura do Governo Municipal. As obras que já existiam ele apenas pintou e pôs placa como se fosse obra dele. Inaugurou rua já pavimentada, quando fez pequenos buracos e ponte no meio do nada, de madeira, com apenas alguns metros de extenção.

O povo de Coari que vê diariamente as mesmas ruas, os mesmos prédios, os mesmos buracos e a mesma negligência do governo municipal cansou. Pergunte a 10 coarienses aleatoriamente o que eles pensam de Mitouso e sua equipe nepóstica e eles falarão o desagrafo que sentem. A humilhação de ser um município rico e viver com o sentimento amargo na boca de pobreza e abandono.


spacer

TEMPORAL EM COARI LEVOU 336 MILHÕES - ELEDILSON COLARES

 Para busca-lo no aeroporto de Coari prefeito distribui gasolina


O município de Coari mantém seu nome grafado na história do estado do Amazonas por diversos motivos. O principal deles é por causa de ser o único produtor amazonense de petróleo e gás natural, fincando sua posição de segunda maior economia do Amazonas. Por outro lado, o município amarga a reputação de ser violenta, pois já teve dois prefeitos assassinados. A véspera de completar dois anos na administração municipal o atual prefeito, Arnaldo Mitouso (apontado como assassino do ex-prefeito Odair Carlos Geraldo) já torrou mais de R$ 300 milhões e nada construiu no município, além de pintar prédios públicos e o asfalto de algumas ruas.

O acusado assumiu em 2009 e logo torrou R$ 40 milhões, sem pagar o 13º do funcionalismo público. Em 2010 foram gastos R$ 146 milhões, sem que alguma sala de aula fosse construída e os funcionários tiveram que apelar ao judiciário para receber salários. Para 2011 o orçamento é de R$ 182 milhões e a folha de pagamento continua atrasada. Além da grande insatisfação popular, ficam as dúvidas: Onde foram parar os mais de 300 milhões de reais que entraram na Prefeitura de Coari, que conta com apoio de oito dos dez vereadores municipais. Coincidência ou não, este é o valor aproximado a PMC recebeu nos últimos oito anos que antecederam a chegada de Mitouso aos cofres públicos.
spacer

Diversidade - ARTHUR VIRGÍLIO

*ARTHUR VIRGÍLIO

          Lisboa – Manaus é uma cidade praticamente sem ciclovias. O perigo corre à solta para os ciclistas. E a montoeira de automóveis só contribui para engarrafar o trânsito e poluir a atmosfera.
          São cerca de quatro mil novos carros que, a cada mês, passam a circular na cidade. A mobilidade humana e urbana ficou impraticável.
          Sou ciclista e, do ponto de vista pessoal, vejo pelo ângulo do esporte. Como cidadão, enxergo que inserir ciclovias na paisagem urbana de Manaus poderá ser uma boa válvula de escape para o trânsito atravancado e para a movimentação de pessoas no trajeto casa-trabalho-casa. Custa pouco para os cofres públicos e é solução parcial, porém criativa e ecológica para um problema que se agrava a olhos vistos.
          Tem gente que mede a prosperidade pelo número de carros que consegue colocar a trafegar nas ruas. E até confunde isso com felicidade. Sente-se poderoso, senhor de baraço e cutelo de uma ordem que, vemos hoje, é injusta e irracional.
          Essa ideia não exclui meios de transporte de tecnologia avançada, que sejam capazes de transportar pessoas, desafogar as vias urbanas e não agredir o ar que respiramos. Seria ingênuo pensar diferente disso. Apenas estranho que uma cidade do porte de Manaus não tenha ciclovias, com tantos ciclistas apaixonados pelo pedal e com tanta dificuldade de as pessoas se locomoverem de um lugar para outro.
          Fica a sugestão. Quem sabe o prefeito se sensibiliza e começa e conclui alguns bons trechos de seguras e eficazes ciclovias!

          *Diplomata
     
spacer

Amazonastur discute investimentos no setor de hotéis, bares e restaurantes para a Copa de 2014

            A Empresa Estadual de Turismo do Amazonas (Amazonastur) reuniu, nesta quinta-feira (22), na sede da Agência de Fomento do Estado do Amazonas (Afeam), lideranças empresariais do ramo da hotelaria, bares e restaurantes, setor bancário e entidades representativas da indústria e do comércio para definir propostas que serão discutidas na reunião da Câmara Temática para a Copa do Mundo de Futebol de 2014 com o novo ministro do Turismo, Gastão Vieira, no próximo dia 28 de setembro, em Brasília.

            A reunião da Câmara Temática do Ministério do Turismo vai tratar das demandas de investimento nas 12 cidades-sede do mundial, principalmente para melhoria da infraestrutura, ampliação da rede hoteleira, capacitação de pessoal e promoção turística. "A ideia é receber bem o turista que vem assistir a copa e fazê-lo retornar. Não adianta ele vir somente para ver os jogos, passar dois ou três dias, queremos atraí-lo para permanecer mais tempo e voltar em outras ocasiões", enfatizou a presidente da Amazonastur, Oreni Braga.

            Manaus tem 15 pontos históricos e naturais no levantamento do Ministério do Turismo para definição de um calendário de visitação no país para a Copa. Entre os pontos estão a Praça Heliodoro Balbi (da Polícia), o Teatro Amazonas, o Palácio da Justiça, a praia da Ponta Negra, o Palácio Rio Negro, o Bosque da Ciência, o Centro Cultural Eduardo Ribeiro, o Jardim Botânico, o Museu de Ciências Naturais, a Igreja de São Sebastião, o Encontro das Águas, o Parque do Mindu, a Igreja da Matriz Nossa Senhora da Conceição, o Mercado Adolpho Lisboa e o Porto de Manaus. Esses locais devem receber investimentos do Ministério do Planejamento para melhorias na infraestrutura.

            "Até a próxima terça-feira (27), nós finalizamos o diagnóstico da situação desses locais para saber que tipo de melhorias e reparos precisam e podem ser feitos pelo Ministério", disse Oreni Braga, ao convidar os participantes da reunião a sugerirem novos locais para inclusão na lista.

            Na área de infraestrutura turística, um dos projetos do Governo do Estado em andamento é a construção do Centro de Convenções do Estado do Amazonas (CCA), ao lado da Arena da Amazônia, no valor total de R$ 80 milhões. De acordo com a presidente da Amazonastur, também existem outros projetos do Amazonas que já estão em análise no Ministério do Turismo para investimentos. Entre eles, a construção do Parque Galo da Serra, em Presidente Figueiredo, e do Bioparque, no Lago do Paracuúba em Iranduba.

            Para a sinalização turística de Manaus nos padrões internacionais, a Amazonastur também possui projeto em fase de avaliação no Ministério do Turismo. Em relação ao receptivo de turistas, a órgão estadual prevê a ampliação dos Centros de Atendimento ao Turista, que atualmente funcionam no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes e no Centro da cidade, para todos os shoppings de Manaus e portos do Centro e do Ceasa. Um dos pontos importantes na preparação das cidades sedes para receber a Copa é a capacitação de pessoal. No Amazonas, o Governo do Estado já capacitou 33 mil pessoas através do Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam) em cursos de idioma e outros 14 mil, pela Amazonastur, com qualificação voltada ao setor de serviços nas área de alimentação e hotelaria.


            Setor hoteleiro – Os investimentos do setor privado em infraestrutura hoteleira devem atingir a marca de R$ 317 milhões até 2014, estima a presidente da Amazonastur. Até o evento, sete novos hotéis devem entrar em funcionamento em Manaus, o que deve aumentar o número de leitos na cidade dos atuais 11 mil para 16 mil leitos. Segundo a Amazonastur, a rede hoteleira de Manaus, 20 hotéis de selva e barcos hotéis são responsáveis pelos cerca de 11 mil leitos para hóspedes. "É importante que hotéis de pequeno porte também se adequem para receber o turista", destacou Oreni Braga.



Fotos: Alfredo Fernandes / AGECOM
spacer

Monitoramento permanente do Ciman reduz queimadas e desmatamento no Amazonas

            Balanço do Centro Integrado Multiagências de Combate às Queimadas e Incêndios Florestais (Ciman), coordenado pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (SDS), aponta que o monitoramento permanente tem reduzido queimadas e desmatamento em todo o Estado. O trabalho realizado por meio do Ciman, que reúne parceiros dos governos federal. municipal e sociedade civil, segue orientação do governador Omar Aziz para intensificar o combate às queimadas e incêndios florestais, principalmente no período de chuvas escassas.

            Nos meses de agosto e setembro deste ano, a integração e compartilhamento de dados entre os órgãos envolvidos no trabalho de combate a queimadas e desmatamento possibilitou a agilidade da ação em campo. A partir de monitoramento diário, equipes de fiscalização do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), do Corpo de Bombeiros e Polícia Militar se deslocam com direcionamento mais preciso para as áreas detectadas pelos satélites do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). "O Estado do Amazonas está sob controle e sabe exatamente onde estão os problemas de desmatamento e queimadas", ressaltou Hamilton Casara, subsecretário da SDS, que está no comando das ações. 

            De acordo com Casara, a ação tornou-se ainda mais estratégica a partir dos sobrevoos realizados semanalmente em áreas de pressão. "O apoio aéreo está sendo fundamental  para identificar os focos de calor e queimadas em lugares distantes, que levariam dias para chegar via terrestre. Essa ação conta ainda como elemento surpresa para possíveis infratores", explicou o subsecretário. 

            No Ciman, uma equipe de plantão recepciona as informações dos órgãos que estão trabalhando com as imagens de satélite, e encaminha para as equipes de campo (fiscalização e brigadistas). E a participação dos órgãos tem feito o diferencial. Segundo Casara, a Defesa Civil, por exemplo, acompanha o monitoramento diário e fica em estado de alerta para qualquer situação de risco mais abrangente. Os técnicos da Prefeitura, da SDS/Ceclima ficam de plantão no Ciman recebendo informações dos municípios. 

            O Corpo de Bombeiros tem trabalhado com a formação de brigadistas, somente em 2011 foram 273 formados em 12 municípios,  reforçando o apoio de campo para eventuais situações. O Ipaam também tem atuado pontualmente no combate ao desmatamento e suspendeu, temporariamente, todas as licenças de queima em função do período crítico de redução da umidade relativa do ar, que registrou um dos percentuais mais baixos índices em agosto deste ano. "Os responsáveis por atos de queimas irregulares serão responsabilizados pelos órgãos de fiscalização, que deverão garantir o cumprimento da lei", frisa Casara.

            No município de Boca do Acre (a 1.028 quilômetros de Manaus), foi instalada uma sala de situação, que está sendo chamada de "Cimanzinho", com equipes de plantão formadas pela comunidade local, Prefeitura e do escritório do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam).

            O Ciman é formado pela SDS, Corpo de Bombeiros, Ipaam, Defesa Civil, Polícia Militar, Instituto Nacional do Meio Ambiente e Reucrsos Naturais Renováveis (Ibama-PrevFogo), Polícia Rodoviária, ICMBio, Sipam, Inmet, Incra, Funai, FAS, GTA, Faea,  Idam, secretarias Municipais e sociedade civil.

spacer

Rock também terá festival promovido pelo Governo do Amazonas


            O Teatro Amazonas, palco de muitas manifestações culturais, será cenário do primeiro festival de rock realizado pelo Governo do Amazonas, com previsão para novembro próximo. O anúncio foi feito pelo secretário estadual de Cultura, Robério Braga, durante abertura do 2º Festival Amazonas de Música (FAM), na noite de quarta-feira (21), no Teatro Amazonas. "O palco do teatro é universal, portanto, vai da ópera ao rock", destacou Robério.

O festival de rock está em fase de planejamento pela Secretaria de Estado de Cultura (SEC). Segundo o secretário, o evento seguirá o mesmo profissionalismo de outros eventos culturais promovidos pelo Estado, a exemplo do 2º FAM que, até o próximo domingo (25), proporcionará ao público, além da mostra competitiva, oficinas e shows no Largo de São Sebastião, no Centro.

Robério destacou que o festival atende diretriz do governador Omar Aziz em criar oportunidades, neste caso aos artistas do Amazonas. "Nossa proposta é transformar o palco e o Largo de São Sebastião em uma efervescência muito grande, de ano a ano, para que nós possamos traduzir a melhor arte dos amazonenses ou daquelas pessoas que optaram por viver e produzir na nossa terra", frisou.

O Fórum Permanente de Música no Amazonas, ressaltou o secretário da SEC, tem contribuído para a consolidação de projetos culturais como o FAM e a divulgação de novos talentos. "É interesse do Governo do Estado que a parceria com o Fórum da Música continue sendo construída e pensando efetivamente no melhor para arte e produção cultural no Amazonas. Dessa maneira, é possível revelar talentos e consolidar um público participante dos festivais".


A representante do Fórum, Lucilene Castro, destacou que o 2º FAM apresenta avanços. "Na primeira edição foi apenas uma mostra competitiva e algumas apresentações esporádicas. Nesta segunda edição, incluímos na agenda as oficinas e workshops para discutir temas, como direitos autorais, música e tecnologia e outros". A programação acadêmica acontece no Centro Estadual de Convivência do Idoso de Aparecida, na rua Wilkens de Matos, s/n; no Palacete Provincial, que fica na Praça Heliodoro Balbi, no Centro; e no Liceu de Artes e Ofício Cláudio Santoro, na avenida Pedro Teixeira, 2565, Flores, Sambódromo.

A segunda edição do FAM conta, ainda, com o "Circuito Off", que envolve apresentações nos espaços da iniciativa privada no Centro de Manaus. "Nos cinco dias do festival, após as mostras competitivas, os bares ao redor do Teatro Amazonas vão dar continuidade à noite com shows de música ao vivo, valorizando o artista local", destacou Lucilene.

Os happy hours acontecem todos os dias, a partir das 18 horas, no Tacacá da Gisela, no Largo de São Sebastião. Nesta sexta feira (23), o cantor Salomão Rossi é a atração do evento que antecede à competição, às 19 horas, no Teatro Amazonas. No sábado (24), às 18h30, uma mostra não competitiva, também no largo, vai reunir talentos como Elisa Maia, Mirtes Melo, Bquatro, Kelly e Klinger, Alaídenegão, Underflow, Tudo pelos Ares e Rooadie.

O encerramento do 2º FAM acontece no domingo (25), às 19 horas, quando serão apresentados os dez finalistas da mostra competitiva. A atração nacional Rita Ribeiro encerra a programação do evento com o show "Tecnomacumba a tempo e ao vivo".    

EVOLUÇÃO DO FESTIVAL AMAZONAS DE MÚSICA
2010
106 inscritos na Mostra Competitiva
30 músicas selecionadas para o Festival

2011
122 músicas inscritas na Mostra Competitiva
15 músicas inscritas na Mostra Não Competitiva
13 músicas inscritas para Shows Musicais
Total: 150 inscrições



Fotos: Nonato Duarte / AGECOM

spacer