Política, Cotidiano, Amazonas e Notícias a partir de Coari.

A CRITICA: NOVO ARIPUANÃ, QUE VAI ASSUMIR A PREFEITURA?

Novo Aripuanã saberá amanhã quem assume 

Raphael Alves
As ameaças ao juiz Rommel Júnior (à direita) e ao promotor Adriano Alecrim Marinho reforçam a segurança deles



Emerson Quaresma
Enviado Especial  

  NOVO ARIPUANÃ (AM) - Amanhã, o Pleno do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) decide quem assume a Prefeitura Municipal de Novo Aripuanã. Na semana passada, o juiz Mário Marques, relator do embargo de declaração do candidato Hilton Laborda Pinto, o Peixoto, votou pela concessão do registro de candidatura, antes cassado em primeira instância. Mas, o juiz federal Agliberto Gomes Machado, pediu vistas do processo. Se o TRE mantiver pela segunda vez o indeferimento do registro de Peixoto, o segundo colocado nas urnas, Aminadab Santana (PSC), proclamado prefeito eleito, será o diplomado.
  
Ameaça

  Enquanto o Tribunal não decide, o clima no município é de instabilidade. Tanto que o juiz da comarca de Novo Aripuanã, Rommel Queiroz Júnior, e o promotor Adriano Alecrim Marinho, andam no município acompanhados de policiais militares. O juiz relatou que tem sofrido ameaças de morte, por ter indeferido a candidatura de Peixoto. “Recentemente circulou que simpatizantes de Peixoto disseram que eu e o Aminadab Santana não passávamos da diplomação”, disse o magistrado.
  
  Os simpatizantes aos quais se referiu o juiz da comarca são Olímpio Laborda Pinto, irmão de Hilton, e seu primo Paulo César de Souza. Os dois foram presos. De acordo com Rommel, Olímpio figura como réu, junto ao irmão, ambos acusados de matar o  ex-prefeito de Novo Aripuanã Adiel Santana, no dia 28 de agosto de 2002, na praça de alimentação do Dom Pedro,  emManaus. Peixoto era vice-prefeito de Adiel.
  
Segurança

  Durante a eleição o magistrado pediu a presença do Exército, e depois reforço da Ronda Ostensiva Cândido Mariano (Rocam), a fim de manter a ordem pública. A Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP) enviou oito soldados da Rocam. “O contingente de 14 PMs do município não é suficiente para esse momento”, afirmou o magistrado.
  
  Rommel disse que o registro de candidatura de Peixoto foi indeferido porque, em 2004 foi condenado pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região por crime contra o patrimônio público. Mas, só cumpriu duas sentenças anos depois: a pecuniária em 2006 e em março de 2007 pagou multa. De acordo com o magistrado, a Lei da Inelegibilidade nº 64, no seu artigo 1º, diz que após o cumprimento de pena a pessoa pode votar, mas não pode ser votado por três anos.

Simplex Magazine2

Aliquam erat volutpat. Ut wisi enim ad minim veniam, quis nostrud exerci tation ullamcorper suscipit lobortis nisl ut aliquip ex ea commodo consequat.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

VIDEOS - ASSISTA DIRETO DO BLOG EM DESTAQUE

ENTRE EM CONTATO CONOSCO

Nome

E-mail *

Mensagem *

DESTAQUE

UEA divulga lista de convocados para segunda chamada do Vestibular e SIS

A Universidade do Estado do Amazonas (UEA) divulga o Edital de Matrícula e 2ª Chapada para Recepção de Documentos referente ao Vestibul...