COARI

Coari é um município brasileiro do estado do Amazonas. É uma das cidades mais ricas da Região norte. Na área territorial do município, localiza-se a plataforma da Petrobrás de Urucu, onde se extrai petróleo e gás. No local foi construído gasodutos quem levam gás até Manaus e Porto Velho.

O município está localizado no rio Solimões entre o Lago de Mamiá e o Lago de Coari, traz em sua herança e memória a força dos índios Catuxy, Jurimauas, Passés, Irijus, Jumas, Purus, Solimões, Uaiupis, Uamanis e Uaupés. O nome Coari também está ligado às raízes indígenas e há duas versões: Em 1759 a aldeia é elevada a lugar com o nome de Alvelos. Em 2 de dezembro de 1874 foi elevada a vila, em 2 de agosto de 1932 a Vila de Coari é elevada a categoria de município. É a segunda cidade mais rica do Amazonas, com um PIB de 1.114.177, o que faz de Coari a 303º cidade mais rica do Brasil.

História

Em 1759 a aldeia foi elevada à Lugar, recebendo o nome de Alvelos. Em 1833, foi o Lugar Alvelos elevado à Freguesia, sob a invocação de Nossa Senhora Santana. Em 30 de setembro de 1854, a sede da freguesia foi transferida em virtude da Lei nº 37,para a foz do lago de Coari. Em 1 de maio de 1874, pela Lei Provincial nº 287, a freguesia foi elevada à vila de Coari. Em 21 de maio de 1874, pela Lei Provincial nº 287, é criado o município de Coari. Em 15 de novembro de 1890 é instalado o termo judiciário de Coari. Em 10 de abril de 1891, pelo Decreto nº 95-A é criada a comarca de Coari, que se instala em 30.06.1891. Em 30 de outubro de 1913, pela Lei Estadual nº 741, é suprimida a comarca de Coari, ficando seu Termo Judiciário subordinado a Tefé. Em 14 de fevereiro de 1916, pela Lei Estadual nº 844, é reinstalada a comarca de Coari, ficando seu Termo Judiciário subordinado a Tefé. Em 7 de fevereiro de 1922, pela Lei Estadual nº 133, é suprimida novamente a comarca. Em 10 de março de 1924, pela Lei Estadual nº 122, restaura-se definitivamente a comarca de Coari, compreendendo os Termos de Coari, Manacapuru e Codajás. Em 2 de agosto de 1932, pela Lei Estadual nº 1665, Coari é elevada à categoria de cidade. O nome Coari também está ligado às raízes indígenas e há duas versões: vem das palavras indígenas "Coaya Cory", ou "Huary-yu", ou significa respectivamente "rio do ouro" e "rio dos deuses".

Visão geral

O município conhecido pela produção de banana, hoje se destaca por produzir petróleo e gás natural, que ocorre em uma região denominada de Urucu. A produção de petróleo gira em torno de 53.500 bbl/d (2007) e de gás natural chega a 10 milhões de m³/d. Outro fato importante é que está sendo construído um gasoduto que ligará sua província produtora ao mercado consumidor localizado em Manaus. Serão 450 km de distância da sede da cidade à Manaus a serem construídos, somando aos 278 km de um gasoduto, já existente, que interliga os campos produtores à cidade de Coari. A previsão de conclusão e início de operação está para o 1. semestre de 2009.

Demografia

A população de Coari é de 66.991 habitantes, segundo as estimativas do IBGE/2009, o que a coloca na posição de quinta maior cidade do Amazonas, atrás apenas da capital, Manaus, e Parintins, Itacoatiara e Manacapuru.

População

* População total: 66.991 habitantes (67% urbana; 33% rural; 52,07% mulheres e 47,93% homens)
* Densidade demográfica: 2,69 habitantes por km²
* Mortalidade infantil até cinco anos de idade: 22,26 a cada mil crianças
* Taxa de fecundidade: 6,74 filhos por mulher
* Taxa de alfabetização: 88,63%
* Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,703
o IDH-M Renda: 0,846
o IDH-M Longevidade: 0,776
o IDH-M Educação: 0,946
* Renda per capita (dados de 2000 expressos em R$ de 1 de agosto de 2000): R$ 1,508,20

Economia

Setor primário
Cupuaçú, fruta típica do Amazonas.
* Agricultura: Cultiva-se principalmente produtos como a mandioca, feijão, coentro, pepino, maxixe, pimenta e couve-flor em períodos temporários. Na cultura permanente destaque maior para a produção de banana, limão, goiaba, mamão, cupuaçú e maracujá.[10]
* Pecuária: O criatório no município consiste no desenvolvimento de espécies como Mestiço e Nelore.
* Avicultura: A criação é tipicamente doméstica e o consumo é familiar, representado pela criação de galinhas e perus.
* Extrativismo Vegetal: A produção e extração de madeira é uma atividade de destaque na cidade.Figuram também a extração do cacau, castanha-do-pará e sorva.

Setor secundário
* Indústrias: Madeira, tijolos, produtos alimentares, pescado, gelo e imobiliária.

Setor terciário
* Comércio: Varejista e atacadista.
* Serviços: Hotéis, pensões, agências bancárias e matadouro.

Cultura e sociedade
Festas populares
* Festival Folclórico; na segunda quinzena de julho.

Nos meses que antecendem a festa junina, a cidade fica bastante movimentada, pois é época de festa culturais diversas como as noitadas caipiras que movimentam as escolas e a cidade em geral, onde as danças regionais fazem uma prévia para o Festival Folclórico de Coari dispultado em junho. As cirandas, quadrilhas caipiras, adultas de luxo, boi-bumbá mirim, danças internacionais assim como outras categorias, se manifestam para abrilhantar a todos que gostam de prestigiar a cultura do município. A maior rivalidades das brincadeiras é entre as Cirandas Luxos (Categoria Adulto), pois desde 1999, com o surgimento da Ciranda Renovação, surgiu uma nova remodelagem entre essa categoria, ficando conhecida a partir desse ano como a era da "ciranda moderna", ja que antes de 1999 as ciranda do Amor (a mais antinga) e a extinta Ciranda Paraíso (sucessora da Ciranda Renovação), as mesmas apresentavam-se nos moldes da ciranda tradiconal, para os populares conhecida como a era da "ciranda de xita". Então com a extinção da Ciranda Paraíso em 1998, eis que surge a Ciranda Renovação, fundada no dia 4 de abril de 1999, e no ano seguinte (2000), com um rachão dos brincantes da Ciranda do Amor, eis que esses fundam a Ciranda Paixão, atualmente a mais nova entre as três, da categoria adulta. É grande a expectativa para prestigiá-las, desde então a maior campeã dentre elas é a Ciranda Renovação com cinco Títulos (1999, 2000, 2003, 2006 e 2007), em segundo vem a Ciranda Paixão com dois titulos apenas (2001 e 2008) e Ciranda do Amor nunca ganhou na era moderna, mas foi tri-campeã na era da "ciranda de xita", (1996, 1997 e 1998).

Outras festas populares de destaque também ocorrem no município:

* Festejo do Padroeiro São Sebastião: 2ª quinzena de Janeiro;
* Carnaval de Rua de Coari : entre fevereiro e março conforme calendário nacional dessa festa;
* Festejo do Divino Espirito Santo: 2ª quinzena de Abril;
* Festejo de N. S. do Perpétuo Socorro: 1ª quinzena de maio;
* Festejo de Santana: 2ª quinzena de Junho;
* Festival Folclórico de Coari: realizado no final julho juntamente com o aniversário da cidade;
* Aniversário da cidade: em 1 e 2 de Agosto;
* Festejos de Santo Afonso: 1ª quinzena de Agosto;
* Festival da Música Popular de Coari; 24 à 26 de Outubro;
* Festejos de São Sebastião: 2ª quinzena de outubro;
* Autos de Natal: 1ª quinzena de dezembro;
* Festa do Gás Natural(Subistituta da Festa da Banana desde do ano 2000); 1ª quinzena de Dezembro
* Reveillion da Cidade: Final de Dezembro;

Referências

1. ↑ a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
2. ↑ Estimativas da população para 1º de julho de 2009 (PDF). Estimativas de População. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (14 de agosto de 2009). Página visitada em 16 de agosto de 2009.
3. ↑ Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
4. ↑ Produto Interno Bruto dos Municípios 2002-2005. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (19 de dezembro de 2007). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
5. ↑ name="IBGE_PIB_2005"
6. ↑ CEP de cidades brasileiras. Correios. Página visitada em 09 de novembro de 2008.
7. ↑ Eleitorado do Amazonas. TRE-AM. Página visitada em 09 de novembro de 2008.
8. ↑ Urbanização das cidades brasileiras. Embrapa Monitoramento por Satélite. Página visitada em 09 de novembro de 2008.
9. ↑ Sidra. IBGE. Página visitada em 09 de novembro de 2008.
10. ↑ " Coari a todo gás. Biblioteca Virtual do Amazonas (25 de dezembro de 2008).
spacer